Resistência antimicrobiana de Salmonella isolada de carcaças de frango em Dakar, Sénégal

Rianatou Bada-Alambedji Aïssatou Fofana Malang Seydi Ayayi Justin Akakpo Sobre os autores

O presente estudo foi realizado com o propósito de aviliar a resistência aos antibióticos dos sorovares da Salmonella isolados da carne de frango crua. De novembro de 2003 até abril de 2004, um total de 120 carcaças de frango foram compradas em 13 pontos de venda e 23 centros de criação de frangos. As Salmonella foram isoladas a partir de 75 (62,2%) carcaças analisadas. Vinte e um (21) sorotipos diferentes foram identificados, sendo os mais freqüentes S. Kentucky (30%), S. Muenster (13,3%), S. Brancaster (8,8%), S. Enteritidis e S. Hadar (6,6%). Todos os sorovares de salmonela foram examinados a fim de determinar a resistência à 16 antibióticos. Setenta e quatro (79,6%) foram resistentes à um antibiotico ou mais, das quais 33 (45,6%) mostraram resistência múltipla a cinco antibióticos (ampicilina, trimetoprim, trimetoprim-sulfametoxazol, tetraciclina e sulfonamidas). Foram encontrados 36 perfis diferentes de resistência múltipla. O nível elevado de resistência dos isolados de Salmonella encontrados na carne do presente estudo, é um indicador do uso indevido e contínuo de doses subterapêuticas de antibióticos nos animais. Por outro lado, os resultados do estudo demonstram a importância da carne de frango como fonte potencial de sorovares de Salmonella multiresistentes transmissíveis ao homem e sugerem um estudo epidemiólogico detalhado.

Salmonella sp; frangos; resistência à antimicrobianos


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br