Caracterização de lipase alcalina de Fusarium oxysporum e o efeito de diferentes surfactantes e detergentes sobre a atividade enzimática

Janaina Nicanuzia dos Prazeres Juliana Aparecida Bortollotti Cruz Gláucia Maria Pastore Sobre os autores

Atualmente, há uma tendência de utilizar baixas temperaturas em limpeza de lavanderia por razões ambientais e econômicas, situações estas que tornam indispensáveis o uso de enzimas em produtos detergentes. Devido às lipases serem excelentes catalisadoras em soluções e em interface água-óleo, elas são potencialmente apropriadas para aplicação na remoção de manchas de gorduras em lavanderia industrial e detergentes domésticos. O efeito de diferentes detergentes comerciais e surfactantes sobre a atividade enzimática da lipase de Fusarium oxysporum foi observado através de ensaios com p-nitrofenilpalmitato (pNPP). A enzima foi compatível com vários surfactantes iônicos e não-iônicos como também com detergentes comerciais. Atividade lipolítica foi fortemente inibida por Sulfato Dodecil de Sódio (SDS), mas não por Triton X-100 e Triton X-114. As melhores condições de ensaio observadas para esta lipase foram pH 8,0 e 50ºC. A enzima foi estável em pH alcalino e manteve 93% da atividade residual durante 1 h de incubação a 60ºC. A maior atividade lipolítica foi medida com triglicerídeos de ácidos graxos de cadeia média e longa (C8-C18). A especificidade hidrolítica da enzima em vários óleos e gorduras testados foi variável. Todas estas propriedades e sua resistência a vários surfactantes e tolerância a detergentes comerciais fazem desta lipase um aditivo potencial para formulação de detergentes.

Lipase alcalina; Fusarium oxysporum; surfactantes; detergentes


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br