Susceptibilidade de Nasutitermes Ehrhardti (Isoptera: Termitidae) a subespécies de Bacillus thuringiensis

Raquel de Castilhos-Fortes Aida T.S. Matsumura Elena Diehl Lidia M. Fiuza Sobre os autores

O efeito de Bacillus thuringiensis sobre o cupim Nasutitermes ehrhardti (Isoptera, Termitidae) foi avaliado em condições laboratoriais. Ensaios in vivo com 55 cepas do patógeno, cedidas pelo Instituto Pasteur de Paris foram realizados em condições controladas onde sete destas foram consideradas patogênicas, sendo que B. thuringiensis subsp. yunnanensis, B. thuringiensis subsp. huazhongiensis, B. thuringiensis subsp. brasiliensis, B. thuringiensis subsp. colmeri, B. thuringiensis subsp. kurstaki, provocaram mortalidade inferior a 72% em isópteros. Os isolados B. thuringiensis subsp. sooncheon e B. thuringiensis subsp. roskildiensis causaram 100% de mortalidade ao sétimo dia após a aplicação das bactérias. As CL50 para B. thuringiensis subsp. sooncheon corresponderam a 47x10(8); 66,2x10(6) e 5,1x10(5) células/ml. Os valores correspondem aos três, cinco e sete dias, respectivamente. Para B. thuringiensis subsp. roskildiensis, no terceiro dia a CL50 correspondeu a 30,8x10(5), no quinto dia a 48,4x10(6) e no sétimo dia a 16,8x10(4) células/ml. Os dados obtidos mostram que as duas subespécies com maior patogenicidade podem ser estudadas, considerando o controle do cupim N. ehrhardti.

Bacillus thuringiensis; controle biológico; bactéria entomopatogênica; Nasutitermes ehrhardti; cupim


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br
Accessibility / Report Error