Produção de xilanase e CMCase por fermentação em estado sólido em diferentes resíduos pelo fungo termofílico Thermoascus aurantiacus miehe

Roberto da Silva Ellen S. Lago Carolina W. Merheb Mariana M. Macchione Yong Kun Park Eleni Gomes Sobre os autores

O emprego de residuos como matéria prima é importante como estrategia governamental e para o balanço ambiental. O propósito deste trabalho foi estudar a produção de CMCase e xilanase de uma linhagem de Thermoascus aurantiacus isolado de solo brasileiro em fermentação em estado sólido (SSF) usando diferentes resíduos agrícolas (farelo de trigo, bagaço de cana, bagaço de laranja, sabugo de milho, grama verde, grama seca, serragem de eucalipto e palha de milho) como substratos sem enriquecimento dos meios e caracterizar as enzimas. O estudo das enzimas hemiceluloliticas extracelulares mostrou que o fungo T. arantiacus é mais xilanolítico do que celulolítico. Ele produziu maiores níveis das enzimas em meios contendo sabugo de milho, grama e palha de milho. Todas as enzimas foram estáveis por 24 h à temperatura ambiente numa ampla faixa de pH (3,0 - 9,0) e também foram estáveis a 60ºC por 1 h. O pH ótimo e temperatura ótima para xilanase e CMCase foram 5,0- 5,5 e 5,0 e 75ºC, respectivamente. O microrganismo cresceu muito bem estacionariamente no meio simples, de baixo custo. As enzimas estáveis secretadas extracelularmente apresentam as características necessárias para sua aplicação industrial.

Thermoascus aurantiacus; xilanase; CMCase; fermentação em estado sólido; resíduos agrícolas


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br