Perfil microbiológico e químico da silagem de cana-de-açúcar com aditivos químicos

A silagem de cana-de-açúcar apresenta grande potencial para o uso na alimentação animal, entretanto o crescimento de microrganismos não desejáveis durante o processo fermentativo pode causar perdas nutricionais e conseqüentemente afetar o rendimento de produção e também a saúde dos animais. Este estudo objetivou avaliar a qualidade microbiológica e a composição química de silagens de cana-de-açúcar em silos experimentais com e sem a adição de aditivos nutritivos durante o período de 30 dias. Bactérias aeróbicas facultativas e fungos filamentosos não foram detectados nas amostras em nenhum dos tratamentos analisados. A população de leveduras nas silagens das cinco variedades de cana-de-açúcar sem aplicação de aditivos foi em média 6,55 log UFC g-1 de silagem e, com aplicação de 1% de sulfato de amônia e 1% de uréia foi em média de 5,86 e 5,50 log UFC g-1 de silagem, respectivamente. A população de bactérias do ácido lático nos silos sem aditivos foi de 8,62 log UFC g-1 de silagem e nos silos com sulfato de amônio e uréia foi de 6,40 e 6,54 log UFC g-1 de silagem, respectivamente. A percentagem média de matéria seca das silagens nos três tratamentos foi de 20,76%. A adição dos nutrientes nitrogenados diminuiu a população microbiana após os 30 dias da cana de açúcar ensilada, mas aumentou a concentração de proteína bruta. A presença dos aditivos também afetou a concentração das fibras de detergente neutro e ácida e lignina nas cinco variedades de cana de açúcar ensiladas.

silagem de cana-de-açúcar; fermentação; leveduras; bactérias do acido lático


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br