Intra-regional transportation of a tugboat fouling community between the ports of recife and natal, northeast Brazil

Este trabalho objetivou identificar os animais incrustantes e sedentários associados ao casco de um rebocador que atuava nos Portos de Pernambuco e foi cedido para o Porto de Natal, Rio Grande do Norte. Áreas com densa bioincrustação foram raspadas e as espécies foram posteriormente classificadas em relação ao status de bioinvasão no litoral brasileiro. Dentre as espécies identificadas, seis eram nativas do Brasil, duas criptogênicas e 16 exóticas. Destas, oito foram classificadas como estabelecidas (Musculus lateralis, Sphenia fragilis, Balanus trigonus, Biflustra savartii, Botrylloides nigrum, Didemnum psammatodes, Herdmania pallida, Microscosmus exasperatus, Symplegma rubra) e três como invasoras (Mytilopsis leucophaeta, Amphibalanus reticulatus e Striatobalanus amaryllis). A presença de M. leucophaeata, Amphibalanus eburneus e A. reticulatus no casco da embarcação, propiciou sua introdução na costa de Natal. A ocorrência de grande número de espécies de tunicados em Natal refletiu a biodiversidade bêntica da área portuária e facilitou a inclusão de dois bivalves, Musculus lateralis e Sphenia fragilis, encontrados em seus sifões e nos interstícios entre colônias ou indivíduos, respectivamente. Os dados obtidos indicam que a incrustação em cascos de embarcações tem um papel preponderante na introdução de espécies exóticas, e que o Porto do Recife atuou como fonte de algumas destas espécies.

Bioinvasão; casco de embarcação; comunidade incrustante; área portuária; espécie exótica


Universidade de São Paulo, Instituto Oceanográfico Praça do Oceanográfico, 191 , 05508-120 Cidade Universitária, São Paulo - SP - Brasil, Tel.: (55 11) 3091-6501, Fax: (55 11) 3032-3092 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: io@usp.br