Epilithic community development on artificial reefs deployed along a cross-shelf environmental gradient off Paraná state, southern Brazil

Frederico Brandini Ariel Scheffer da Silva Sobre os autores

Blocos quadriláteros de concreto foram assentados no fundo marinho nas isóbatas de 11, 18 e 30 metros ao longo de um transecto na plataforma interna perpendicular a costa do estado do Paraná, Região sudeste do Brasil, com o objetivo de analisar a colonização de macroinvertebrados epilíticos em superfícies artificiais em relação ao gradiente ambiental. Após um ano de submersão foram identificadas 63 espécies de organismos epilíticos dominados por Ostrea puelchana, Chthamalus bisinuatus, Balanus cf spongicola, Astrangia cf rathbuni, Didemnum spp, esponjas e briozoários. Os índices de diversidade e porcentagens de cobertura da macrofauna epilítica nos recifes artificiais assentados sobre as isóbatas de 11, 18 e 30 metros foram respectivamente 2.28 and 66.7%, 2.79 and 96.6% and 1.66 and 77.4%. As diferenças entre a estrutura da comunidade epilítica nas tres isóbatas não foram claramente relacionadas com as condições ambientais no fundo próximo aos recifes artificiais. Turbidez e abundância de larvas do meroplâncton foram considerados fatores importantes no controle da colonização epilítica e nas diferenças entre a estrutura das comunidades observada nos tres recifes experimentais. Os resultados indicam que profundidades entre 15 e 20 metros são mais adequadas para a instalação de sistemas de recifes artificiais em larga escala na plataforma do estado do Paraná e, possivelmente, em toda a região Sudeste do Brasil com características hidrográficas semelhantes.

Recifes artificiais; Fauna epilítica; Paraná; Brazil


Universidade de São Paulo, Instituto Oceanográfico Praça do Oceanográfico, 191 , 05508-120 Cidade Universitária, São Paulo - SP - Brasil, Tel.: (55 11) 3091-6501, Fax: (55 11) 3032-3092 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: io@usp.br