Impacto do esvaziamento cervical radical modificado no número de linfonodos recuperados, recorrência e sobrevida

O esvaziamento cervical é parte integral dos tumores de cabeça e pescoço. Ao longo de sua história, passou por mudanças procurando a melhora do resultado funcional sem perda da eficiência oncológica. OBJETIVO: Demonstrar que os esvaziamentos radicais modificados apresentam um resultado oncológico comparável ao esvaziamento radical clássico. MATERIAL E MÉTODOS: Foram incluídos os pacientes com carcinomas epidermoides do andar inferior de boca e orofaringe, submetidos a esvaziamento cervical radical clássico ou modificado. Foram excluídos desta análise pacientes submetidos a tratamento prévio ou a esvaziamentos cervicais ampliados. DESENHO DO ESTUDO: Retrospectivo, envolvendo uma instituição. RESULTADOS: Identificou-se 481 pacientes que preenchiam os critérios de inclusão, correspondendo a 521 esvaziamentos. O número médio de linfonodos dissecados foi de 44,92 (SD 16.45) linfonodos para o ECR; 44,16 (SD 15,76) para o ECRM +XI e 56,02 (SD 22,91) para o ECRM VJI+XI. A ANOVA indicou uma diferença estatisticamente significativa entre os grupos (p<0,001). O tipo de esvaziamento cervical não foi significativo para recidiva regional ou para sobrevida doença-específica. CONCLUSÃO: O uso de esvaziamentos cervicais modificados não apresenta impacto significativo para o estadiamento patológico, sobrevida livre de doença ou sobrevida doença-específica.

análise de sobrevida; esvaziamento cervical; neoplasias bucais


Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Sede da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, Av. Indianópolia, 1287, 04063-002 São Paulo/SP Brasil, Tel.: (0xx11) 5053-7500, Fax: (0xx11) 5053-7512 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@aborlccf.org.br