Carcinoma papilífero da tireoide: a associação com tireoidite de Hashimoto influencia nas características clínico-patológicas da doença?

Fábio Muradás Girardi Marinez Bizarro Barra Cláudio Galleano Zettler Sobre os autores

INTRODUÇÃO:

O carcinoma papilífero é a neoplasia maligna mais comum da tireóide. O efeito da coexistência da tireoidite de Hashimoto (TH) no prognóstico do carcinoma papilífero da tireóide (CPT) permanece controverso.

OBJETIVO:

Avaliar a associação entre TH e parâmetros clínico-patológicos entre pacientes com diagnóstico de carcinoma papilífero da tireóide obtidos através da análise de uma série histórica institucional.

MÉTODO:

Coorte transversal com base em uma coorte histórica, envolvendo todos os casos submetidos à tireoidectomia total por motivo de carcinoma papilífero, realizadas na mesma Instituição ao longo de 11 anos.

RESULTADOS:

Um total de 417 pacientes foram incluídos no estudo, estando 148 (35,4%) associados à TH. Observamos preponderância de mulheres entre os casos associados à TH. Esses casos se apresentaram com menor média de diâmetro tumoral, menor frequência de comprometimento extra-tireoidiano e estadiamento clínico-patológico mais precoce.

Conclusões:

Um percentual expressivo de casos de CPT apresenta-se associado à TH. A associa ção entre esses casos com vários fatores histopatológicos já reconhecidos por seu valor prognóstico, pode, por si só, influenciar no desfecho desses pacientes.

Neoplasias da glândula tireoide; Prognóstico; Carcinoma papilar


Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Sede da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, Av. Indianópolia, 1287, 04063-002 São Paulo/SP Brasil, Tel.: (0xx11) 5053-7500, Fax: (0xx11) 5053-7512 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@aborlccf.org.br