Efeito de agentes espessantes na microdureza do esmalte submetido ao clareamento dental caseiro

O clareamento dental ocorre devido a uma reação de oxidação entre o agente clareador e as macromoléculas de pigmentos presentes nos dentes. Esta reação é inespecífica e o peróxido pode agir na matriz dental causando perdas de mineral. Por outro lado, estudos recentes sugerem que o agente espessante carbopol também pode causar perda mineral. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar in vitro o efeito do clareamento caseiro sobre a microdureza do esmalte após o uso de agentes clareadores com e sem carbopol como espessante. Fragmentos de esmalte bovino de 3 x 3 x 3 mm foram obtidos, polidos seqüencialmente e aleatoriamente divididos em 4 grupos de acordo com o tratamento experimental: G1: carbopol a 2%; G2: peróxido de carbamida a 10% com carbopol; G3: carbowax; G4: peróxido de carbamida a 10% com poloxamer. O clareamento foi realizado diariamente por 4 semanas em saliva artificial. A microdureza do esmalte foi avaliada antes (T0) e após 7 (T1), 14 (T2), 21 (T3), 28 (T4), e 42 (T5) dias do início do tratamento. A ANOVA e o teste de Tukey revelaram diferenças estatísticas significantes somente para o fator Tempo (F = 5,48; p < 0,01). Os agentes clareadores e espessantes não causaram alterações na microdureza do esmalte.

Esmalte dentário; Testes de dureza; Clareamento de dente; Espessantes


Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica - SBPqO Av. Prof. Lineu Prestes, 2227, 05508-000 São Paulo SP - Brazil, Tel. (55 11) 3044-2393/(55 11) 9-7557-1244 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: office.bor@ingroup.srv.br