Accessibility / Report Error

Transferência da resistência a Fusarium oxysporum f. vasinfectum baseada em inoculações durante a germinação de sementes de algodoeiro e em testes sob condições naturais

Transfer of Fusarium wilt resistance based on inoculation of germinating cotton seeds and on field tests

Resumos

No programa de melhoramento da Seção de Algodão do Instituto Agronômico, freqüentemente são obtidas linhagens melhoradas que não podem ser lançadas na lavoura do Estado de São Paulo por serem suscetíveis ao fungo da murcha de Fusarium. Tal foi o caso da IAC 67/59, híbrido entre variedades paulistas e mocó. Foi projetada a transferência de resistência ao patógeno para essa linhagem a partir da variedade 'IAC 17'. Realizaram-se cinco retrocruzamentos para a IAC 67/59, sem passagem por gerações autofecundadas, assegurando-se a retenção dos heterozigotos para resistência através de uma técnica de inoculação em caixas de germinação, nas gerações retrocruzadas. Estas e as gerações F1 e F2 foram comparadas em testes de campo com infestação natural pelo agente patogênico, e avaliadas em função das populações paternais e da testemunha resistente, através de índices relativos de tolerância e de resistência. A seleção em caixas foi eficiente em aumentar o índice de tolerância, o vigor e a uniformidade das populações, conferindo ao material resistência do tipo horizontal. A técnica de "dipping" pareceu ser mais eficiente na seleção de genes específicos para resistência. Foram isoladas linhagens promissoras, tanto por seleção em F2 quanto pelo processo de retrocruzamentos seguidos de autofecundação e seleção em condições de campo.


Due to the importance of Fusarium oxysporum, F. vasinfectum (Atk.) Snyder & Hansen in the State of São Paulo, improved strains, obtained by the cotton breeders of the "Instituto Agronômico", are often discarded because they are susceptible to Fusarium. This was the case of IAC 67/59. Wilt resistance was transfered to this line from 'IAC 17' by five backcrosses, without passing through selfed generations. The selection of the.


ARTIGOS

Transferência da resistência a Fusarium oxysporum f. vasinfectum baseada em inoculações durante a germinação de sementes de algodoeiro e em testes sob condições naturais1 1 Trabalho realizado com apoio financeiro do Convênio Ministério da Agricultura/FAPESP/Instituto Agronômico. Apresentado na 29.ª Reunião Anual da SBPC - São Paulo (SP) de 6 a 13 de julho de 1977.

Transfer of Fusarium wilt resistance based on inoculation of germinating cotton seeds and on field tests

Imre Lajos Gridi-PappI, 2 2 Com bolsa de suplementação do CNPq. ; Edivaldo CiaI, 2 2 Com bolsa de suplementação do CNPq. ; Jaciro SoaveII, 2 2 Com bolsa de suplementação do CNPq.

ISeção de Algodão, IAC

IISeção de Microbiologia Fitotécnica, Instituto Agronômico, IAC

SINOPSE

No programa de melhoramento da Seção de Algodão do Instituto Agronômico, freqüentemente são obtidas linhagens melhoradas que não podem ser lançadas na lavoura do Estado de São Paulo por serem suscetíveis ao fungo da murcha de Fusarium. Tal foi o caso da IAC 67/59, híbrido entre variedades paulistas e mocó. Foi projetada a transferência de resistência ao patógeno para essa linhagem a partir da variedade 'IAC 17'. Realizaram-se cinco retrocruzamentos para a IAC 67/59, sem passagem por gerações autofecundadas, assegurando-se a retenção dos heterozigotos para resistência através de uma técnica de inoculação em caixas de germinação, nas gerações retrocruzadas. Estas e as gerações F1 e F2 foram comparadas em testes de campo com infestação natural pelo agente patogênico, e avaliadas em função das populações paternais e da testemunha resistente, através de índices relativos de tolerância e de resistência. A seleção em caixas foi eficiente em aumentar o índice de tolerância, o vigor e a uniformidade das populações, conferindo ao material resistência do tipo horizontal. A técnica de "dipping" pareceu ser mais eficiente na seleção de genes específicos para resistência. Foram isoladas linhagens promissoras, tanto por seleção em F2 quanto pelo processo de retrocruzamentos seguidos de autofecundação e seleção em condições de campo.

SUMMARY

Due to the importance of Fusarium oxysporum, F. vasinfectum (Atk.) Snyder & Hansen in the State of São Paulo, improved strains, obtained by the cotton breeders of the "Instituto Agronômico", are often discarded because they are susceptible to Fusarium. This was the case of IAC 67/59. Wilt resistance was transfered to this line from 'IAC 17' by five backcrosses, without passing through selfed generations. The selection of the

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

LITERATURA CITADA

Recebido para publicação em 4 de abril de 1979.

  • 1. ARMSTRONG, G. M. A solution-culture infection method used in the study of Fusarium wilts. Phytopathology, 31:549-553, 1941.
  • 2. BUG-BEE, W. M. & PRESLEY, J. T. A rapid inoculation technique to evaluate resistance of cotton to Verticillium albo-atrum. Phytopathology, 57:1.264. 1967.
  • 3. _________ & SAPPENFIELD, W. P. Varietal reaction of cotton after stem or root inoculation with Fusarium oxysporum f. vasinfectum. Phvtopathology, 58:212-214. 1968.
  • 4. FLOR, H. H. Current status of the gene for gene concept. A. Rev. Phytopathol., 9:275-296, 1971.
  • 5. GRIDI-PAPP. I. L.: FUZATTO, M. G.; FERRAZ. C. A. M. & CIA. E. Seleção do algodoeiro para resistência à fusariose em área onde ocorre doença semelhante em plantas de labelabe (Dolichos labiab L.). Bragantia. Campinas, 29:67-72, 1970.
  • 6. _________ ; CIA, E.; FERRAZ. C. A. M.; CAVALERI, P. A.; FUZATTO, M G.: SILVA, N. M. da & SABINO, N. P. Resposta do algodoeiro à seleção para resistência à fusariose em condições de campo. Bragantia, Campinas, 32:261-273, 1978.
  • 7. JONES, E. J. Inheritance of resistance to Fusarium wilt in Upland cotton Diss. Abstr., 22(1), 1961.
  • 8. KNIGHT. R. L. The genetical approach to disease resistance in plants. Emp. Cott. Grow. Rev., 33:191-196, 1956.
  • 9. MILLER, D. A. & COOPER, W. E. Greenhouse technique for studying Fusarium wilt in cotton. Crop Science, 7:75-76, 1967.
  • 10. MINTON, N. A. & MINTON, E. B. Effect of root knot and sting nematodes on expression of Fusarium wilt of cotton in three soils. Phytopathology, 56:319-322, 1966.
  • 11. ROBINSON. R. A. Horizontal resistance. Rev. Plant. Pathol., 52:483-501. 1973.
  • 12. SMITH, A. L. & DICK, J. B. Inheritance of resistance to Fusarium wilt in Upland and Sea Island cottons as complicated by nematodes under field conditions. Phytopathology, 50:44-48, 1960.
  • 13. THARP, W. H. A sand-nutrient infection technique for the study of Fusarium wilt of cotton. Phytopathology, 28:206-209, 1939.
  • 14. WILES, A. B. Comparative reactions of certain cottons to Fusarium and Verticillium wilts. Phytopathology, 53:586-588, 1963.
  • 1
    Trabalho realizado com apoio financeiro do Convênio Ministério da Agricultura/FAPESP/Instituto Agronômico. Apresentado na 29.ª Reunião Anual da SBPC - São Paulo (SP) de 6 a 13 de julho de 1977.
  • 2
    Com bolsa de suplementação do CNPq.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      15 Dez 2007
    • Data do Fascículo
      1979

    Histórico

    • Recebido
      04 Abr 1979
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br