Accessibility / Report Error

INTERAÇÃO ENTRE GENÓTIPOS E AMBIENTE NA PRODUTIVIDADE E NA QUALIDADE TECNOLÓGICA DOS GRÃOS DE TRIGO NO ESTADO DE SÃO PAULO

Resumos

Avaliou-se a influência do ambiente na produtividade e na qualidade tecnológica de dezenove genótipos de trigo, mediante seis experimentos instalados, em condições de sequeiro e de irrigação por aspersão, em 1992, em duas regiões tritícolas paulistas. Destacaram-se para a produtividade de grãos os genótipos IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 e IAC 325, na condição de sequeiro, e IAC 312 e IAPAR 60, quando se empregou irrigação. A diferença na produtividade com a irrigação por aspersão foi de 124% na média geral entre os experimentos. As condições climáticas da região de Mococa (SP) e o uso da irrigação por aspersão apresentaram tendência de melhorar o peso hectolítrico, o rendimento em farinha, a sedimentação e a energia de deformação da massa (W). Entretanto, não influenciou os parâmetros farinográficos, como percentual de absorção de água, tempo de desenvolvimento da massa e estabilidade. Somente o índice de tolerância à mistura foi influenciado para melhor nessa condição. Os genótipos IAC 24, IAC 287, IAC 353, IAC 297, Anahuac e IAC 311 apresentaram alto valor de estabilidade e IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313, IAC 311 e IAC 332, alto valor de W, indicativo da força de panificação. O coeficiente de correlação entre sedimentação (SDS) e W apresentou-se significativo, indicando que o método de sedimentação poderia ser utilizado nas primeiras fases de seleção para qualidade.

Triticum aestivum L.; genótipos; rendimento de grãos e qualidade tecnológica da farinha


Nineteen wheat genotypes were evaluated in six experiments carried out in upland and under sprinkler irrigation conditions, in six different locations (two wheat production regions) of the State of São Paulo, Brazil, in 1992. The genotypes IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 and IAC 325 presented good performance taking into account grain yield in upland conditions and IAC 312 and IAPAR 60 when sprinkler irrigation was used. The use of sprinkler irrigation increased the average grain yield of the experiments in 124%. The climatic conditions in Mococa region, and the use of irrigation improved the values obtained for test weight, the flour extraction, the sedimentation test, and deformation work (W), except for the farinograph parameters such as water absorption, the dough development time and stability. Only the mixing tolerance index was improved under this condition. The genotypes IAC 287, IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac and IAC 311 presented high dough stability and the genotypes IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313, IAC 311 and IAC 332 presented high W value, that is an indication of bread making quality. The correlation coefficient between sedimentation test and W was significant showing that this test may be used in the early generation of the quality genotype selection.

Triticum aestivum L.; genotypes; grain yield; flour technological quality


INTERAÇÃO ENTRE GENÓTIPOS E AMBIENTE NA PRODUTIVIDADE E NA QUALIDADE TECNOLÓGICA DOS GRÃOS DE TRIGO NO ESTADO DE SÃO PAULO (1)(1) Recebido para publicação em 24 de julho de 1997 e aceito em 3 de março de 1998. Recebido para publicação em 24 de julho de 1997 e aceito em 3 de março de 1998.

JOÃO CARLOS FELÍCIO(2) (2) Centro de Plantas Graníferas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP). (4) Centro de Pesquisa e Tecnologia de Cereais, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13079-001 Campinas (SP). , CARLOS EDUARDO DE OLIVEIRA CAMARGO (2,5) (2) Centro de Plantas Graníferas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP). (4) Centro de Pesquisa e Tecnologia de Cereais, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13079-001 Campinas (SP). , ROGÉRIO GERMANI(3) (2) Centro de Plantas Graníferas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP). (4) Centro de Pesquisa e Tecnologia de Cereais, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13079-001 Campinas (SP). e CRISTINA DE PAULA RIBEIRO DOS SANTOS MAGNO(4) (2) Centro de Plantas Graníferas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP). (4) Centro de Pesquisa e Tecnologia de Cereais, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13079-001 Campinas (SP).

RESUMO

Avaliou-se a influência do ambiente na produtividade e na qualidade tecnológica de dezenove genótipos de trigo, mediante seis experimentos instalados, em condições de sequeiro e de irrigação por aspersão, em 1992, em duas regiões tritícolas paulistas. Destacaram-se para a produtividade de grãos os genótipos IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 e IAC 325, na condição de sequeiro, e IAC 312 e IAPAR 60, quando se empregou irrigação. A diferença na produtividade com a irrigação por aspersão foi de 124% na média geral entre os experimentos. As condições climáticas da região de Mococa (SP) e o uso da irrigação por aspersão apresentaram tendência de melhorar o peso hectolítrico, o rendimento em farinha, a sedimentação e a energia de deformação da massa (W). Entretanto, não influenciou os parâmetros farinográficos, como percentual de absorção de água, tempo de desenvolvimento da massa e estabilidade. Somente o índice de tolerância à mistura foi influenciado para melhor nessa condição. Os genótipos IAC 24, IAC 287, IAC 353, IAC 297, Anahuac e IAC 311 apresentaram alto valor de estabilidade e IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313, IAC 311 e IAC 332, alto valor de W, indicativo da força de panificação. O coeficiente de correlação entre sedimentação (SDS) e W apresentou-se significativo, indicando que o método de sedimentação poderia ser utilizado nas primeiras fases de seleção para qualidade.

Termos de indexação: Triticum aestivum L., genótipos, rendimento de grãos e qualidade tecnológica da farinha.

ABSTRACT

ENVIRONMENT AND GENOTYPE INTERACTION ON THE GRAIN YIELD AND TECHNOLOGICAL QUALITY OF WHEAT IN THE STATE OF SÃO PAULO, BRAZIL

Nineteen wheat genotypes were evaluated in six experiments carried out in upland and under sprinkler irrigation conditions, in six different locations (two wheat production regions) of the State of São Paulo, Brazil, in 1992. The genotypes IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 and IAC 325 presented good performance taking into account grain yield in upland conditions and IAC 312 and IAPAR 60 when sprinkler irrigation was used. The use of sprinkler irrigation increased the average grain yield of the experiments in 124%. The climatic conditions in Mococa region, and the use of irrigation improved the values obtained for test weight, the flour extraction, the sedimentation test, and deformation work (W), except for the farinograph parameters such as water absorption, the dough development time and stability. Only the mixing tolerance index was improved under this condition. The genotypes IAC 287, IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac and IAC 311 presented high dough stability and the genotypes IAC 24, IAC 353, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313, IAC 311 and IAC 332 presented high W value, that is an indication of bread making quality. The correlation coefficient between sedimentation test and W was significant showing that this test may be used in the early generation of the quality genotype selection.

Index terms: Triticum aestivum L., genotypes, grain yield, flour technological quality.

1. INTRODUÇÃO

Boerger (1943) relata que o "rendimento" de campo (de lavoura) era o fator primordial dos trabalhos de melhoramento desenvolvidos com trigo no Rio Grande do Sul. O que geralmente ocorria, em grande parte dos programas de melhoramento genético, era certa orientação para os estudos da resistência às ferrugens e da obtenção de trigos precoces, descuidando-se de outros problemas, sobretudo da qualidade industrial, que, para a Argentina, era decisivo por ser um país exportador.

A maioria dos fatores que condicionam a qualidade do trigo é hereditária. Os melhoristas, ao selecionar um cultivar, esperam que a qualidade seja a expressão das características genéticas, embora saibam que as condições climáticas, a fertilidade do solo e as técnicas de cultivo também a influenciam. Assim sendo, num mesmo cultivar, o grau de qualidade pode variar entre amostras colhidas em diferentes ambientes. A qualidade do trigo depende, sobretudo, das proteínas que estão ligadas ao patrimônio genético, as quais podem sofrer variações causadas pelos fatores citados (Mandarino, 1993).

O grão de trigo é composto de quatro partes principais: a cobertura exterior, denominada casca, que representa cerca de 10% da massa do grão; a camada de aleurona, localizada abaixo da casca, e que corresponde a cerca de 6% da massa; o endosperma (parte amilácea interna), representando cerca de 81% da massa e o gérmen, com, aproximadamente, 3% da massa do grão. O processo de moagem industrial rende, geralmente, de 72 a 74% de farinha, sendo o restante constituído de subprodutos (Hanson et al., 1982).

Trigo com alto peso hectolítrico(6) recebe melhores preços. Entretanto, o tamanho do grão, por si só, não é o único fator que afeta a massa por unidade de volume. A forma e a uniformidade dos grãos também a influenciam. Em geral,é aceito que alto peso hectolítrico corresponde a alto rendimento de farinha, mas, na realidade, essa relação não possui alta correlação (CIMMYT, 1985, Germani et al., 1994).

Informações sobre as propriedades de moagem e panificação das novas variedades e linhagens selecionadas são fatores importantes para os melhoristas, para evitar que se distribua uma variedade de qualidade insatisfatória (Poehlman, 1974).

O presente trabalho tem os seguintes objetivos: avaliar o rendimento de campo de genótipos de trigo (T. aestivum L.) submetidos a dois ambientes (sequeiro e com irrigação por aspersão) e verificar a influência dessas condições de cultivo sobre a qualidade da farinha. Realizaram-se testes de correlação entre os parâmetros determinados para a avaliação da qualidade tecnológica da farinha.

2. MATERIAL E MÉTODOS

Para estudar o comportamento de genótipos de trigo quanto ao rendimento de grãos e à influência do ambiente na qualidade tecnológica da farinha, instalaram-se, em 1992, os seguintes experimentos: em condição de sequeiro em Maracaí, Pedrinhas Paulista e Cândido Mota, na região Oeste do Estado de São Paulo e em condições de irrigação por aspersão, em Tatuí e Campinas (Centro-Sul) e Mococa (Nordeste). Avaliaram-se dezessete genótipos originários do programa de melhoramento genético do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), juntamente com o IAPAR 60 e o Anahuac. As genealogias dos genótipos estudados encontram-se no Quadro 1.


Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso com quatro repetições por local. Todos os experimentos constituíram-se de 76 parcelas, cada uma formada de seis linhas de 3 x 0,20 m, espaçadas entre si, lateralmente, de 0,60 m (área da parcela = 3,6 m2). A semeadura foi na base de 65 sementes viáveis por metro de sulco e, na colheita, colheram-se as seis linhas de cada parcela.

Na adubação, empregaram-se 30 kg de N, 90 kg de P2O5 e 20 kg de K2O por hectare, respectivamente, sob a forma de sulfato de amônio com 20% de N, superfosfato simples com 20% de P2O5 e KCl com 60% de K2O, aplicados na semeadura.

Para a irrigação, adotou-se o método proposto por Silva et al.(1984): consiste em uma irrigação inicial após a semeadura, de 40 a 50 mm, com a finalidade de umedecer o perfil do solo e a instalação de tensiômetros em partes diferentes, a uma profundidade de 12 cm. Fizeram-se as irrigações complementares quando a média das leituras dos tensiômetros foi de 0,6 atm, determinando-se a lâmina líquida aplicada mediante a evaporação acumulada, medida no tanque classe A, entre os intervalos de irrigação.

Efetuou-se a avaliação do rendimento de grãos, determinando-se a produção total de cada parcela (em gramas) e transformando-a em quilograma/hectare (kg/ha).

Para a avaliação da qualidade tecnológica dos genótipos estudados, utilizaram-se somente os experimentos de Mococa, Pedrinhas Paulista e Cândido Mota. As produções de grãos das quatros repetições de cada experimento (local) foram reunidas para obter quantidade suficiente de grãos para as determinações a seguir relacionadas.

Umidade dos grãos: determinada pelo método no 44-15A da AACC (1983).

Peso hectolítrico: utilizando-se a balança Dalle Molle, considerando-se a massa, em quilograma, de 1 L de grãos, obtido após fazer fluir livremente uma amostra, contida em cone de alimentação, em um recipiente de coleta de volume de 1 L. Os valores foram convertidos para quilograma por hectolitro.

Extração experimental de farinha: empregou-se o moinho experimental "Brabender Quadrumat Senior", com 2kg de grãos, com o método no 26-20 da AACC (1983). Os grãos foram condicionados para 15% de umidade, sendo o tempo de condicionamento de 16-24 horas. Os valores expressam a proporção de farinha obtida em relação ao total de material que passou pelo moinho.

Microssedimentação: em SDS pelo método modificado por Peña & Amaya (1985).

Número de queda (falling number): determinado pelo método no 56-81B da AACC (1983).

Propriedades de mistura da massa: determinadas no farinógrafo "Brabender", pelo sistema farinha-água, de acordo com o método no 54-21 da AACC (1983). Os parâmetros usados para interpretar o farinograma foram: porcentagem de absorção de água, tempo de desenvolvimento da massa (TDM), estabilidade (EST) e índice de tolerância à mistura (ITM).

Propriedades de extensão da massa: determinadas no alveógrafo "Chopin", de acordo com o método no54-30 da AACC (1983). Os parâmetros básicos das curvas alveográficas estudados foram os seguintes: pressão máxima (P); abscissa média de ruptura (L); índice de configuração da curva (P/L) e energia de deformação da massa (W).

Os rendimentos de grãos de cada genótipo de cada experimento foram submetidos às análises da variância individual e conjuntas (sequeiro e irrigado). Os dados médios de peso hectolítrico, de extração experimental de farinha, de sedimentação, do número de queda, dos parâmetros farinógraficos e alveográficos obtidos para cada genótipo, em cada um dos três experimentos, foram submetidos à análise da variância. Utilizou-se, para comparação das médias, o teste de Duncan. Foram estabelecidos os coeficientes de correlação (r) entre as seguintes determinações: peso hectolítrico e extração experimental de farinha; sedimentação e número de queda; sedimentação e estabilidade; sedimentação e energia de deformação da massa (W) e número de queda e estabilidade (Pimentel-Gomes,1970).

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os rendimentos médios de grãos, transformados em quilograma/hectare, dos genótipos de trigo estudados em 1992, na região do Vale do Paranapanema, em condição de sequeiro, encontram--se no Quadro 2.


Nas demais regiões, cujos genótipos foram estudados em condições de irrigação por aspersão, representadas pelas localidades de Tatuí, Campinas e Mococa, os rendimentos médios de grãos acham-se no Quadro 3.


Nos experimentos em condição de sequeiro, verificou-se, pela análise da variância, efeito significativo a 5% de probabilidade para genótipos e para a interação genótipo x local e não significativo para local. Sendo a interação genótipo x local significativa, na análise individual (local) houve efeito significativo para genótipos em Pedrinhas Paulista e Cândido Mota e não significativo em Maracaí.

Os genótipos IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 e IAC 325 destacaram-se quanto ao rendimento de grãos, não diferindo estatisticamente entre si, quando se consideraram os três experimentos em conjunto.

Em condições de irrigação por aspersão, verificaram-se efeitos significativos a 5% de probabilidade para local, para genótipos e para a interação genótipo x local. Entre os locais estudados, a análise estatística revelou efeito significativo para genótipos em Tatuí e Campinas e não significativo em Mococa.

Entre os genótipos estudados, destacaram-se o IAC 312 e o IAPAR 60. Tatuí, onde se obteve o melhor rendimento de grãos, representa solos de alta fertilidade, quando comparada à de Campinas; esta, por sua vez, tem solos mais férteis que Mococa. Nessas regiões, a deficiência hídrica é mais acentuada. Dessa forma, durante o ciclo da cultura, empregou-se a irrigação por aspersão.

A produtividade média, quando a deficiência hídrica regional foi atenuada com a utilização da irrigação por aspersão, foi de 4.310 kg/ha comparativamente à produtividade, 1.920 kg/ha, obtida nas condições de sequeiro, representando, portanto, um acréscimo de 124%. Essas regiões são consideradas marginais para o cultivo do trigo, conforme Camargo (1971) e Felicio et al. (1992).

O peso hectolítrico (PH) e a extração experimental de farinha dos genótipos de trigo em estudo encontram-se no Quadro 4.


A análise da variância demonstrou para peso hectolitrico efeito significativo para locais e não significativo para genótipos. A irrigação por aspersão contribuiu para aumentar esse parâmetro de 79,0 e 75,2 kg/hL obtidos, respectivamente, em Cândido Mota e Pedrinhas Paulista, em condições de sequeiro, para 81,5 kg/hL em Mococa. Os genótipos IAC 353 e IAC 60 apresentaram os menores índices.

Para a extração experimental de farinha, detectaram-se, pela análise da variância, efeitos significativos para locais e genótipos. O IAC 332 destacou-se para extração de farinha, com 71,3%, não diferindo estatisticamente do IAC 297 com 69 %, considerando-se a média dos três locais. Em Mococa, os índices de extração foram maiores, conseqüência provável da irrigação e dos fatores climáticos (menores índices de precipitação na maturação e na colheita): sabe-se que a estiagem prolongada contribui para a formação de cascas mais espessas que representam 10% da massa do grão (Hanson et al., 1982). O emprego da irrigação em Mococa, portanto, contribuiu positivamente para a melhoria dos rendimentos de farinha, suprindo água nos períodos de ausência de chuvas. Os resultados de extração experimental de farinha foram mais baixos em relação aos obtidos industrialmente, por se tratar de moagem experimental. Todavia, são válidos para efeito comparativo entre amostras (Felicio et al., 1990).

Nos testes de sedimentação e de número de queda - Quadro 5 - detectaram-se também efeitos significativos para locais e genótipos. O emprego da irrigação e as condições climáticas da região de Mococa, com menores índices de precipitação por ocasião do amadurecimento e da colheita do trigo (Camargo, 1971), contribuiu para melhor performance desse parâmetro, em comparação às condições naturais de cultivo (sequeiro), representado pelos dados de Pedrinhas Paulista e Cândido Mota.


Os valores de sedimentação dos genótipos IAC 350 e IAC 309 foram os mais baixos, principalmente nas condições de sequeiro, mesmo apresentando índices normais para a atividade enzimática no teste de número de queda. De acordo com Mazzoni & Robutti (1983), a qualidade do glúten pode ser influenciada por alta temperatura ambiente e baixa umidade relativa do ar associadas a estresse hídrico, no período de amadurecimento do trigo, condições essas freqüentes nos cultivos de sequeiro.

A avaliação da análise da variância dos parâmetros farinográficos - absorção de água, tempo de desenvolvimento da massa (TDM), estabilidade e índice de tolerância à mistura (ITM) - que permitem uma avaliação das propriedades físicas da massa através das medidas da plasticidade e motilidade, revelou efeitos significativos para genótipos e locais, com exceção do parâmetro estabilidade, que apresentou efeito não significativo para locais (Quadro 6).


O emprego da irrigação mostrou tendência de melhorar o ITM, com valores menores aos encontrados nas condições de sequeiro. Todavia, não mostrou tendência em influenciar a absorção de água e o TDM: esses parâmetros tendem a ser também muito influenciados pelas condições climáticas na maturação e colheita.

Os valores de absorção de água variaram de 61,1%, considerado ótimo, obtido pelo IAC 24, a 52,37%, no IAC 60. Segundo Pratt Jr. (1971), a absorção de água é influenciada por vários fatores, entre eles o teor de proteínas e de amido, características essas inerentes a cada genótipo. Os valores de tempo de desenvolvimento, expressos em minutos (indicativo da energia que a farinha exige para desenvolver a rede de glúten) foram altos para IAC 353 (12,25), IAC 297 (11,33) e IAC 24 (10,10), indicativos de farinhas de glúten forte. De outro lado, qualidade inferior foi mostrada pelos genótipos IAPAR 60, IAC 312, IAC 309 e IAC 316, respectivamente, com 3,6, 3,4, 3,0 e 2,9 minutos.

Na estabilidade, os genótipos IAC 287, IAC 24, IAC 353, Anahuac, IAC 297 e IAC 311 apresentaram altos índices de estabilidade(>10 minutos), indicativos de farinha de glúten forte. Genótipos com tempo de estabilidade entre 5 e 10 minutos podem ser classificados como de glúten intermediário e, com tempo menor que 5 minutos, fraco.

Quanto ao índice de tolerância à mistura (ITM) - Quadro 6 - o IAC 316 apresentou o maior valor médio: 95 unidades farinográficas (UF). Como, para esse parâmetro, é inverso aos demais estudados no farinógrafo - quanto maior o índice, menor a qualidade da farinha - o IAC 316 revelou a farinha mais fraca comparativamente aos demais. Destacaram-se os genótipos IAC 287, IAC 353, IAC 24, Anahuac, IAC 311, IAC 306, IAC 297, IAC 324 e IAC 313, com índice menor que 40 UF, indicando farinhas com glúten mais forte e adequado para panificação.

Nos parâmetros alveográficos - Quadro 7 - somente os genótipos IAC 353, IAC 24, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313 e IAC 311 apresentaram P/L entre 0,4 e 1,2 mm H2O/mm e W acima de 200 10-4j (Germani et al., 1994).


A análise da variância para P/L mostrou efeito não significativo para local e significativo para genótipo. Para W, houve efeitos altamente significativos para genótipos e local. A utilização da irrigação contribuiu para aumentar essa diferença.

No Quadro 8, encontram-se os resultados das correlações para cada genótipo, independentemente do local, entre peso hectolítrico e extração de farinha, sedimentação e número de queda, sedimentação e estabilidade, sedimentação e W e número de queda e estabilidade.


Os genótipos IAC 24, IAC 287, IAC 353, IAC 297, IAC 324 e IAC 311, de farinha de glúten forte, IAPAR 60 e IAC 350, de glúten intermediário, e IAC 309, de farinha de glúten fraco, apresentaram correlação significativa entre sedimentação e W. Os demais genótipos avaliados não revelaram correlações significativas.

Para PH x extração experimental de farinha, destacaram-se os genótipos Anahuac e IAC 316, e para sedimentação x número de queda, IAC 24 e IAC 312, provavelmente por sua maior tolerância à germinação dos grãos (o número de queda determina o grau da atividade amilolítica do grão). As correlações entre sedimentação e estabilidade e entre número de queda e estabilidade não foram significativas.

As mesmas correlações foram calculadas independentemente de locais e genótipos. Somente a correlação entre sedimentação e W (r = 0,699) foi significativa. Esse resultado também foi obtido por Mazzoni & Robutti (1983), estudando diferentes métodos para sedimentação.

4. CONCLUSÕES

1. IAC 304, IAPAR 60, IAC 303, IAC 313, IAC 350, IAC 332, IAC 306, IAC 309, IAC 297, IAC 324 e IAC 325 foram os melhores genótipos com rendimento de grãos nas condições de sequeiro.

2. Em condições de irrigação, quanto a rendimento de grãos, destacaram-se os genótipos IAC 312 e IAPAR 60.

3. A irrigação por aspersão melhorou o peso hectolítrico, o rendimento em farinha, a sedimentação e a energia de deformação da massa (W).

4. Entre os parâmetros farinográficos só o índice de tolerância à mistura foi influenciado, para melhor.

5. Os genótipos IAC 24, IAC 287, IAC 353, IAC 297, Anahuac, IAC 306, IAC 313 e IAC 311 mostraram farinha com glúten mais forte, com potencial para elevar a qualidade tecnológica do trigo nacional.

6. Entre os parâmetros correlacionados, somente a correlação entre sedimentação (SED) e energia de deformação da massa (W) se apresentou significativa.

7. O método de sedimentação mostrou-se útil para uma seleção preliminar visando à qualidade.

(3) Centro Nacional de Pesquisa de Tecnologia Agroindustrial de Alimentos (CTAA) / EMBRAPA, 23020-470 Rio de Janeiro (RJ).

(5) Com bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq.

(6) O peso hectolítrico corresponde à massa de 100 L de grãos.

  • AMERICAN ASSOCIATION OF CEREAL CHEMISTS (AACC). Approved methods of the American Association of Cereal Chemists. 8.ed. Saint Paul, AACC, 1983. 2v., n.p.
  • BOERGER, A. Investigaciones agronómicas, genética, fitotecnia rioplatense. Montevideo, A. Barreiro y Ramos, 1943. 1043p. (Tomo II)
  • CAMARGO, A.P. Aptidăo climática para as culturas de soja, girassol e amendoim no Estado de Săo Paulo. In: ZONEAMENTO da aptidăo ecológica para a cultura da soja, girassol e amendoim do Estado de Săo Paulo: Instioleos/Secret. Agric. Est. Săo Paulo, 1971. p.2-28. (Projeto,1)
  • CENTRO INTERNACIONAL DE MEJORAMIENTO DE MAÍZ Y TRIGO (México). Reseña de la investigación, 1984. México, CIMMYT, 1985. 103p.
  • FELICIO,J.C.; CAMARGO,C.E.O.; FERREIRA FILHO, A.W.P.; VITTI, P. & GALLO, P.B. IAC 25 (Pedrinhas) e IAC 161 (Taiamá): novos cultivares de trigo. Bragantia, Campinas 49(1):105-125, 1990.
  • FELICIO,J.C.; CAMARGO,C.E.O.; PEDRO JUNIOR, M.J. & FERREIRA FILHO, A.W.P. Avaliaçăo de cultivares de trigo em duas regiőes ecológicas do Estado de Săo Paulo. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, 27(9):1245-1252, 1992.
  • GERMANI, R; DOTTO, S.R. & BRUNETTA, D. Correlaçăo de trigos plantados nas regiőes norte, oeste e sul do Paraná nos anos 91, 92 e 93. In: REUNIĂO NACIONAL DE PESQUISA DE TRIGO, 17., Passo Fundo, 1994. Resumos. Passo Fundo, CNPT-EMBRAPA, 1994. p.171.
  • HANSON, H.; BORLAUG, N.E. & ANDERSON, R.G. Trigo en el tercer mundo. México, Centro Internacional de Mejoramiento de Maíz y Trigo, 1982. 166p.
  • MANDARINO, J.M.G. Aspectos importantes para a qualidade do trigo. Londrina, EMBRAPA-CNPSo, 1993. 32p. (EMBRAPA-CNPSo, Documento, 60)
  • MAZZONI, M.R.C. & ROBUTTI, J.L. Evaluación del método de sedimentación "dodecil sulfato de sodio" para determinar calidade panadera en mejoramiento de trigo. Argentina, Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuaria (INTA), 1983. 12p. (Informe Técnico, 185)
  • PEŃA,R.J. & AMAYA, A. Evaluación rápida de la fuerza de gluten en trigos harineros,trigos cristalinos y triticales con la prueba de sedimentación con dodecil sulfato de sodio. México, Centro Internacional de Mejoramiento de Maíz y Trigo (CIMMYT), 1985. 6p. (Mimeografado)
  • PIMENTEL-GOMES, F. Curso de estatística experimental. 4.ed. rev. ampl. Piracicaba, Nobel, 1970. 430p.
  • PRATT JR., D.B. Criteria of flour quality. In: POMERANZ, Y. Wheat Chemistry and Technology, Saint Paul, Minnesota, AACC, 1971. p.201-226.
  • POEHLMAN, J.M. Mejoramiento genético del trigo. In:________. Mejoramiento de las cosechas. México, Limusa, 1974. p.123-150.
  • SILVA, E.M.; LUCHIARI JUNIOR, A.; GUERRA, A.F. & GOMIDE, R.L. Recomendaçăo sobre o manejo de irrigaçăo em trigo para a regiăo dos cerrados. In: REUNIĂO DA COMISSĂO NORTE-BRASILEIRA DE PESQUISA DE TRIGO, 10., Campinas, 1984. Anais. Brasília, EMBRAPA-CPAC, 1984. 60p.
  • (1) Recebido para publicação em 24 de julho de 1997 e aceito em 3 de março de 1998.
    Recebido para publicação em 24 de julho de 1997 e aceito em 3 de março de 1998.
  • (2)
    Centro de Plantas Graníferas, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP).
  • (4)
    Centro de Pesquisa e Tecnologia de Cereais, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13079-001 Campinas (SP).
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      16 Jun 1999
    • Data do Fascículo
      1998

    Histórico

    • Aceito
      03 Mar 1998
    • Recebido
      24 Jul 1997
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br