Accessibility / Report Error

Comportamento agronômico e avaliação tecnológica dos cultivares de trigo IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) e IAC 289 (Marruá) para o estado de São Paulo

Evaluation of the agronomic and technologic characteristics of the wheat cultivars: IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) and IAC 289 (Marruá) in the State of São Paulo, Brazil

Resumos

Avaliaram-se os cultivares de trigo IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) e IAC 289 (Marruá) quanto à produtividade, às reações aos agentes causais das ferrugens do colmo e da folha (em condição de campo e de casa de vegetação) e à helmintosporiose, em experimentos instalados em solos corrigidos e não corrigidos em relação à acidez, em condição de sequeiro ou de irrigação por aspersão, em diferentes regiões paulistas em 1988-92. Avaliaram-se também os cultivares por testes de tolerância a ferro, alumínio e manganês, empregando-se soluções nutritivas, em laboratório, além das qualidades físicas de panificação das farinhas obtidas dos seus grãos e o teste final de panificação. A produtividade de grãos do IAC 120 superou a do BH 1146 e do IAC 24 (controle) em 19 e 14% respectivamente, nas condições de sequeiro. O IAC 289, nas mesmas condições de cultivo, apresentou produção de grãos 26 e 19% maior em relação às testemunhas Anahuac e IAC 24 e, em condição de irrigação, foi superior 13 e 9% em relação aos mesmos controles. O IAC 286 produziu 12 e 15% a mais que o Anahuac e o IAC 24 em condições de irrigação. Para a ferrugem do colmo (Puccinia graminis tritici), em casa de vegetação, o IAC 120 demonstrou suscetibilidade às raças G11, G19, G20 e G21; o IAC 286 apresentou resistência somente às raças G11 e G17; o BH 1146 mostrou-se sensível e o IAC 289 e o Anahuac, resistentes, a todas as raças testadas. Os testes para reação à ferrugem da folha (Puccinia recondita) em casa de vegetação demonstraram que os cultivares IAC 120, IAC 286, IAC 289, BH 1146 e Anahuac foram suscetíveis a essa doença, resultados esses confirmados nos testes de campo. Todos os cultivares em estudo se apresentaram sensíveis ao agente causal da helmintosporiose, com exceção do IAC 120, que revelou resistência maior em relação aos demais; o IAC 120 mostrou-se tolerante a Al3+ e Mn 2+ e sensível a Fe 2+; o IAC 286 foi tolerante a altas doses de Al3+ e sensível a Mn2+ e Fe 2+; o IAC 289 demonstrou-se tolerante a Fe 2+ e Mn2+, e sensível a Al3+. Nos testes de panificação, os novos cultivares revelaram qualidade satisfatória: o IAC 120 apresentou farinha de glúten médio a forte, e o IAC 286 e IAC 289, farinha de glúten médio.

trigo; trigo; trigo; ferro, manganês e alumínio


The wheat cultivars IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) and IAC 289 (Marruá) were evaluated in relation to (1) grain yield; (2) reactions to the causal agents of leaf and stem rusts (under field and greenhouse conditions); and (3) reactions to the causal agent of leaf spot. The experiments were performed in limed and acid soils, in upland and under sprinkler irrigation, in different regions of the State of São Paulo, during the period 1988-92. Using nutrient solutions in the laboratory, these cultivars were also studied for iron, aluminium and manganese tolerances. Physic and bread quality tests were made with the flours of these cultivars. IAC 120 produced 19% and 14% more than BH 1146 and IAC 24 used as controls, in upland conditions. The cultivars IAC 289 in that same condition showed a grain yield of 26% and 19% greater than the controls Anahuac and IAC 24. Under sprinkler irrigation, IAC 289 presented an increase in grain yield of 13% and 9% in relation to the same controls, respectively. IAC 286 exhibited a superior grain yield of 12% and 15% under sprinkler irrigation as compared to the controls Anahuac and IAC 24, respectively. Under greenhouse conditions the cultivars IAC 120 was susceptible to the races G11, G19, G20 and G21 of the causal agent of the stem rust (Puccinia graminis tritici) and the cultivars IAC 286 to the races G11 and G17. 'BH 1146' was sensitive and 'IAC 289' and 'Anahuac' presented resistance to all tested races. The reactions to leaf rust (Puccinia recondita) races indicated that the cultivars IAC 120, IAC 286, IAC 289, BH 1146 and Anahuac were susceptible under greenhouse conditions. These results were confirmed under field conditions. All studied cultivars were susceptible to the causal agent of leaf spots with the exception of IAC 120 which showed more resistance than the others. IAC 120 was tolerant to Al3+ and Mn2+ and sensitive to Fe2+; IAC 286 was tolerant to high levels of Al3+ and sensitive to Mn2+ and Fe2+ and IAC 289 was tolerant to Fe2+ and Mn2+ and sensitive to Al3+ toxicity. Considering the bread characteristics trials the new cultivars showed a satisfactory quality. IAC 120 produced flour with a medium to strong gluten and IAC 286 and IAC 289 gave flours with a medium gluten.

panificação, características; wheat; wheat; disease resistance; bread characteristics


V. FITOTECNIA

Comportamento agronômico e avaliação tecnológica dos cultivares de trigo IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) e IAC 289 (Marruá) para o estado de São Paulo1 1 Com verba do Acordo entre Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por intermédio do Instituto Agronômico.

Evaluation of the agronomic and technologic characteristics of the wheat cultivars: IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) and IAC 289 (Marruá) in the State of São Paulo, Brazil

João Carlos FelicioI; Carlos Eduardo de Oliveira CamargoI, III; Policarpo Vitti II, III; Doralice Maria Falcirolli CampagnolliII

ISeção de Arroz e Cereais de Inverno, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP)

IISeção de Cereais, Farinhas e Panificação, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Caixa Postal 139, 13073-001 Campinas (SP)

IIICom bolsa de pesquisa do CNPq

RESUMO

Avaliaram-se os cultivares de trigo IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) e IAC 289 (Marruá) quanto à produtividade, às reações aos agentes causais das ferrugens do colmo e da folha (em condição de campo e de casa de vegetação) e à helmintosporiose, em experimentos instalados em solos corrigidos e não corrigidos em relação à acidez, em condição de sequeiro ou de irrigação por aspersão, em diferentes regiões paulistas em 1988-92. Avaliaram-se também os cultivares por testes de tolerância a ferro, alumínio e manganês, empregando-se soluções nutritivas, em laboratório, além das qualidades físicas de panificação das farinhas obtidas dos seus grãos e o teste final de panificação. A produtividade de grãos do IAC 120 superou a do BH 1146 e do IAC 24 (controle) em 19 e 14% respectivamente, nas condições de sequeiro. O IAC 289, nas mesmas condições de cultivo, apresentou produção de grãos 26 e 19% maior em relação às testemunhas Anahuac e IAC 24 e, em condição de irrigação, foi superior 13 e 9% em relação aos mesmos controles. O IAC 286 produziu 12 e 15% a mais que o Anahuac e o IAC 24 em condições de irrigação. Para a ferrugem do colmo (Puccinia graminis tritici), em casa de vegetação, o IAC 120 demonstrou suscetibilidade às raças G11, G19, G20 e G21; o IAC 286 apresentou resistência somente às raças G11 e G17; o BH 1146 mostrou-se sensível e o IAC 289 e o Anahuac, resistentes, a todas as raças testadas. Os testes para reação à ferrugem da folha (Puccinia recondita) em casa de vegetação demonstraram que os cultivares IAC 120, IAC 286, IAC 289, BH 1146 e Anahuac foram suscetíveis a essa doença, resultados esses confirmados nos testes de campo. Todos os cultivares em estudo se apresentaram sensíveis ao agente causal da helmintosporiose, com exceção do IAC 120, que revelou resistência maior em relação aos demais; o IAC 120 mostrou-se tolerante a Al3+ e Mn 2+ e sensível a Fe 2+; o IAC 286 foi tolerante a altas doses de Al3+ e sensível a Mn2+ e Fe 2+; o IAC 289 demonstrou-se tolerante a Fe 2+ e Mn2+, e sensível a Al3+. Nos testes de panificação, os novos cultivares revelaram qualidade satisfatória: o IAC 120 apresentou farinha de glúten médio a forte, e o IAC 286 e IAC 289, farinha de glúten médio.

Termos de indexação: trigo, cultivares, produtividade, resistência a doenças; ferro, manganês e alumínio, tolerância; panificação, características.

ABSTRACT

The wheat cultivars IAC 120 (Curumi), IAC 286 (Takaoka) and IAC 289 (Marruá) were evaluated in relation to (1) grain yield; (2) reactions to the causal agents of leaf and stem rusts (under field and greenhouse conditions); and (3) reactions to the causal agent of leaf spot. The experiments were performed in limed and acid soils, in upland and under sprinkler irrigation, in different regions of the State of São Paulo, during the period 1988-92. Using nutrient solutions in the laboratory, these cultivars were also studied for iron, aluminium and manganese tolerances. Physic and bread quality tests were made with the flours of these cultivars. IAC 120 produced 19% and 14% more than BH 1146 and IAC 24 used as controls, in upland conditions. The cultivars IAC 289 in that same condition showed a grain yield of 26% and 19% greater than the controls Anahuac and IAC 24. Under sprinkler irrigation, IAC 289 presented an increase in grain yield of 13% and 9% in relation to the same controls, respectively. IAC 286 exhibited a superior grain yield of 12% and 15% under sprinkler irrigation as compared to the controls Anahuac and IAC 24, respectively. Under greenhouse conditions the cultivars IAC 120 was susceptible to the races G11, G19, G20 and G21 of the causal agent of the stem rust (Puccinia graminis tritici) and the cultivars IAC 286 to the races G11 and G17. 'BH 1146' was sensitive and 'IAC 289' and 'Anahuac' presented resistance to all tested races. The reactions to leaf rust (Puccinia recondita) races indicated that the cultivars IAC 120, IAC 286, IAC 289, BH 1146 and Anahuac were susceptible under greenhouse conditions. These results were confirmed under field conditions. All studied cultivars were susceptible to the causal agent of leaf spots with the exception of IAC 120 which showed more resistance than the others. IAC 120 was tolerant to Al3+ and Mn2+ and sensitive to Fe2+; IAC 286 was tolerant to high levels of Al3+ and sensitive to Mn2+ and Fe2+ and IAC 289 was tolerant to Fe2+ and Mn2+ and sensitive to Al3+ toxicity. Considering the bread characteristics trials the new cultivars showed a satisfactory quality. IAC 120 produced flour with a medium to strong gluten and IAC 286 and IAC 289 gave flours with a medium gluten.

Index terms: wheat, cultivars, grain yield, disease resistance, Al3+, Fe2+ and Mn2+ tolerance, bread characteristics.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 3 de junho de 1993 e aceito em 6 de julho de 1994.

  • ALLARD,R.W. Principles of plant breeding. New York, John Wiley, 1960. 181p.
  • AMERICAN ASSOCIATION OF CEREAL CHEMISTS (AACC). Approved methods of the American Association of Cereal Chemists. 8.ed. St. Paul, AACC, 1983. v.l.
  • BAR, W.H. Análise e avaliação do trigo e dos produtos derivados. Campinas, ITAL, 1982. 154p.
  • BERLINER, E. & KOOPMAN, J. Kolloidchemische studien an weizenkleber nebst beschreibung einer neuen kleberprüfung Z. Muhlenwesen, Frankfurt, 6: 57, 1929.
  • BUERGER, A. Investigaciones agronômicas: genética - fitotecnia rioplatense. Montevideo, Casa A. Barreiro y Ramos, 1943. t.2, 1043p.
  • CAMARGO, C.E.O. Estudos de variedades de trigo para o Estado de São Paulo. Piracicaba, 1972. 102p. Tese (Doutorado em Agronomia) - ESALQ-USP, 1972.
  • CAMARGO, C.E.O.; FELICIO, J.C.; FREITAS, J.G. & FERREIRA FILHO, A.W.P. Tolerância de trigo, triticale e centeio a diferentes níveis de ferro em solução nutritiva. Bragantia, Campinas, 47(2):295-304, 1988.
  • CAMARGO, C.E.O.; FELICIO, J.C.& ROCHA JUNIOR, L.S. Trigo: tolerância ao alumínio em solução nutritiva. Bragantia, Campinas, 46(2):183-190, 1987.
  • CAMARGO, C.E.O. & OLIVEIRA, O.F. Tolerância de cultivares a diferentes níveis de manganês em solução nutritiva. Bragantia, Campinas, 42:65-78, 1983.
  • EL-DASH, A.A.; CAMARGO, C.R.O. & DIAZ, N.A.M. Fundamentos da tecnologia de panificação. São Paulo, Secretaria da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, 1982. cap.13. (Série Tecnologia Agroindustrial, 05)
  • FELICIO. J.C.; BARROS, B.C.; CAMARGO, C.E.O. & BAR, W.H. Maracaí (IAC 17) e Xavantes (IAC 18): cultivares de trigo para o Estado de São Paulo. Bragantia, Campinas, 42(1):15-25, 1983.
  • FELICIO, J.C.; CAMARGO, C.E.O.; BARROS, B.C. & VITTI, P. Iguaçu (IAC 21) e Araguaia (IAC 22): cultivares de trigo de sequeiro para o Estado de São Paulo. Bragantia, Campinas, 44(1):115-128, 1985.
  • FELICIO, J.C.; CAMARGO, C.E.O.; FERREIRA FILHO, A.W.P.; FREITAS, J.G.; BARROS, B.C. & VITTI, P. Tocantins (IAC 23) e Tucuruí (IAC 24): novos cultivares de trigo. Bragantia, Campinas, 47(1):93-107, 1988.
  • FELICIO, J.C.; CAMARGO, C.E.O.; FERREIRA FILHO, A.W.P.; GALLO, P.B.; Ramos, J.S. & VITTI, P. IAC 60 'Centenario' e IAC 162 'Tuiuiú': cultivares de trigo para sequeiro e irrigado no Estado de São Paulo. Bragantia, Campinas, 50(2):291-307, 1991.
  • HANSON, H.; BORLAUG, N.E. & ANDERSON, R.G. Trigo en ei tercer mundo. México, Centro Internacional de Mejoramiento de Maiz y Trigo, 1982. 166p.
  • INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR CEREAL SCIENCE AND TECHNOLOGY. Standard methods of the ICC. Detmold, Verlag Moritz Schafer, 1960.
  • KALCKMANN, R.E.; ARRUDA, A.A.G.; HOETGEBAUM, F; POPA, W.; BALDANZI, G. & GODOY, L.C. de. Regiões de trigo no Brasil. Rio de Janeiro, Serviço de Informação Agrícola, 1965. 104p. (Estudos técnicos, 28)
  • LUZ, W.C. da. Influência do período de umidificação pós-inoculação na reação de cultivares de trigo à mancha foliar (Cochliobolus sativus). In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE TRIGO, 12., Cascavel, 1982. Anais. Cascavel, OCEPAR, 1982. p. 186-191.
  • MUNDSTOCK, CM. Cultivo dos cereais de estação fria: trigo, aveia, centeio, alpiste e triticale. Porto Alegre, NBS, 1983. 265p.
  • PERTEN, H. Application of the falling number method for evaluating alfa-amylase activity. Cereal Chemistry, St. Paul, 41:127-140, 1964.
  • POEHLMAN, J.M. Mejoramiento genético del trigo. In: POEHLMAN, J.M. Mejoramiento genético de las cosechas. México, Limusa, 1974. p.123-150.
  • PRESTON, K.R. & KILBORN, R.H. Dough rheology and the farinograph. In: D'APPOLONIA, B.L. & KUNERTH, W.H. The farinograph handbook. 3,ed. St. Paul, AACC, 1990.
  • SCHRAMM, W.; FULCO, W.S.; SOARES, M.H.G. & ALMEIDA, A.M.P. Resistência de cultivares de trigo em experimentação ou cultivo no Rio Grande do Sul, às principais doenças fúngicas. Agronômia Sulriograndense, Porto Alegre, 10(1):31-39, 1974.
  • SILVA, A.R. da. Melhoramento das variedades de trigo destinadas às diferentes regiões do Brasil. Rio de Janeiro, Ministério da Agricultura, 1966. 82p. (Estudos Técnicos, 33)
  • SILVA, E.M.; LUCHIARI JUNIOR, A.; GUERRA, A.F. & GOMIDE, R.L. Recomendação sobre o manejo de irrigação em trigo para a região dos cerrados. In: REUNIÃO DA COMISSÃO NORTE-BRASILEIRA DE PESQUISA DE TRIGO, 10., Campinas, 1984. Ata. Brasília, EMBRAPA-CPAC, 1984. 60p.
  • TEIXEIRA, E.F O trigo no Sul do Brasil. São Paulo, Linotype, 1958. 300p.
  • 1
    Com verba do Acordo entre Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por intermédio do Instituto Agronômico.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      16 Out 2007
    • Data do Fascículo
      1994

    Histórico

    • Aceito
      06 Jul 1994
    • Recebido
      03 Jun 1993
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br