Accessibility / Report Error

Tolerância de cultivares de arroz a dois níveis de alumínio em soluções nutritivas contendo diferentes concentrações de sais

Influence of different salt concentrations in nutrient solution on tolerance to aluminum toxicity in rice cultivars

Resumos

Foi estudado o comportamento diferencial de seis cultivares de arroz em soluções nutritivas contendo dois níveis de alumínio (20 e 40mg/litro) combinados com quatro diferentes concentrações salinas. A tolerância ao excesso de Al foi medida pelo comprimento médio das raízes e pelo peso da matéria seca da parte aérea dos cultivares avaliados após dez dias de crescimento em solução nutritiva contendo uma concentração calculada de sais e de alumínio. Os cultivares IAC-120, IAC-435, IAC-164 e IAC-165 foram tolerantes a 20mg/litro de Al3+, independente da concentração salina das soluções, e IAC-899 e IR-841 foram sensíveis a essa concentração de alumínio quando a concentração salina foi diluída para um quinto e um décimo da solução nutritiva completa. Os cultivares IAC-120, IAC-435, IAC-164 e IAC-165 foram mais tolerantes a 40mg/litro de Al3+ quando se empregaram soluções salinas mais concentradas, mostrando, porém, menor tolerância a essa concentração de Al3+ nas soluções salinas com um décimo da concentração da nutritiva completa. Os cultivares IAC-899 e IR-841 foram sensíveis a 40mg/litro de Al3+, mesmo com soluções salinas mais concentradas, e aumentaram essa sensibilidade à medida que as concentrações salinas das soluções se tornaram mais diluídas. Os sintomas de toxicidade de alumínio em arroz poderiam ser obtidos ou por aumentar a concentração de alumínio ou por diminuir as concentrações de sais da solução nutritiva para todos os cultivares estudados, mantendo-se constante a temperatura de 30±1°C e o pH 4,0.


The response of six rice cultivars to aluminum toxicity was studied, in nutrient solutions using two different levels of this element (20 and 40 ppm), combined with four different salt concentrations. The tolerance was measured taking into account the root length and leaf dry weight after a growth period of ten days in nutrient solutions with Al3+ (20 and 40 ppm) combined with equal, one half, one-fifth and one-tenth of the salt concentration in a complete nutrient solution. The cultivars IAC-120, IAC-435, IAC-164 and IAC-165 were tolerant to 20 ppm of Al3+ showing no dependence of salt concentration into the solution. The cultivars IAC-899 and IR-841 were sensitive to this Al concentration when the salt levels into the solution were one-fifth and one-tenth of the complete nutrient solution. The cultivars IAC-120, IAC-435, IAC-164 and IAC-165 presented tolerance to 40 ppm of Al3+ when solutions with high salt concentrations were used. These cultivars showed less tolerance to 40mg/l of Al3+ when their plants were cultivated in one-tenth salt concentration solution. The cultivars IAC-899 and IR-841 were sensitive to 40 ppm of Al3+ and the sensitivity increased as the salt concentration of the solutions decreased. The aluminum toxicity symptoms (reduction of root growth) were dependent on the salt concentration and the amount of aluminum in the treatment solution. For the same level of Al3+ the toxicity symptoms increased with a decrease in salt concentrations in the solution for all studied cultivars, when the temperature was 30 ± 1 ºC and pH = 4.0.


ARTIGOS

Tolerância de cultivares de arroz a dois níveis de alumínio em soluções nutritivas contendo diferentes concentrações de sais

Influence of different salt concentrations in nutrient solution on tolerance to aluminum toxicity in rice cultivars

Carlos Eduardo de Oliveira Camargo* * Com bolsa de suplementação do CNPq.

Seção de arroz e Cereais de Inverno, Instituto Agronômico, IAC

RESUMO

Foi estudado o comportamento diferencial de seis cultivares de arroz em soluções nutritivas contendo dois níveis de alumínio (20 e 40mg/litro) combinados com quatro diferentes concentrações salinas. A tolerância ao excesso de Al foi medida pelo comprimento médio das raízes e pelo peso da matéria seca da parte aérea dos cultivares avaliados após dez dias de crescimento em solução nutritiva contendo uma concentração calculada de sais e de alumínio. Os cultivares IAC-120, IAC-435, IAC-164 e IAC-165 foram tolerantes a 20mg/litro de Al3+, independente da concentração salina das soluções, e IAC-899 e IR-841 foram sensíveis a essa concentração de alumínio quando a concentração salina foi diluída para um quinto e um décimo da solução nutritiva completa. Os cultivares IAC-120, IAC-435, IAC-164 e IAC-165 foram mais tolerantes a 40mg/litro de Al3+ quando se empregaram soluções salinas mais concentradas, mostrando, porém, menor tolerância a essa concentração de Al3+ nas soluções salinas com um décimo da concentração da nutritiva completa. Os cultivares IAC-899 e IR-841 foram sensíveis a 40mg/litro de Al3+, mesmo com soluções salinas mais concentradas, e aumentaram essa sensibilidade à medida que as concentrações salinas das soluções se tornaram mais diluídas. Os sintomas de toxicidade de alumínio em arroz poderiam ser obtidos ou por aumentar a concentração de alumínio ou por diminuir as concentrações de sais da solução nutritiva para todos os cultivares estudados, mantendo-se constante a temperatura de 30±1°C e o pH 4,0.

SUMMARY

The response of six rice cultivars to aluminum toxicity was studied, in nutrient solutions using two different levels of this element (20 and 40 ppm), combined with four different salt concentrations. The tolerance was measured taking into account the root length and leaf dry weight after a growth period of ten days in nutrient solutions with Al3+ (20 and 40 ppm) combined with equal, one half, one-fifth and one-tenth of the salt concentration in a complete nutrient solution. The cultivars IAC-120, IAC-435, IAC-164 and IAC-165 were tolerant to 20 ppm of Al3+ showing no dependence of salt concentration into the solution. The cultivars IAC-899 and IR-841 were sensitive to this Al concentration when the salt levels into the solution were one-fifth and one-tenth of the complete nutrient solution. The cultivars IAC-120, IAC-435, IAC-164 and IAC-165 presented tolerance to 40 ppm of Al3+ when solutions with high salt concentrations were used. These cultivars showed less tolerance to 40mg/l of Al3+ when their plants were cultivated in one-tenth salt concentration solution. The cultivars IAC-899 and IR-841 were sensitive to 40 ppm of Al3+ and the sensitivity increased as the salt concentration of the solutions decreased. The aluminum toxicity symptoms (reduction of root growth) were dependent on the salt concentration and the amount of aluminum in the treatment solution. For the same level of Al3+ the toxicity symptoms increased with a decrease in salt concentrations in the solution for all studied cultivars, when the temperature was 30 ± 1 ºC and pH = 4.0.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação a 13 de outubro de 1982.

  • 1.  ALI, S.M.E. Influence of cations on aluminum toxicity in wheat (Triticum aestivum Vill., Host). Corvallis, Universidade Estadual de Oregon, 1973. 102f. Tese de Doutoramento.
  • 2.  CAMARGO, C.E.O.; CAMARGO, O.B.A.; SOUZA, D.M. Diferentes concentrações de alumínio em solução nutritiva na tolerância de cultivares de arroz. Bragantia, 43(2):357-368, 1984.
  • 3. __________; __________; __________ Tolerância de cultivares de arroz a diferentes níveis de alumínio em solução nutritiva. Bragantia, Campinas, 42:191-201, 1983.
  • 4. __________; OLIVEIRA, O.F.; LAVORENTI, A. Efeitos de diferentes concentrações de sais em solução nutritiva na tolerância de cultivares de trigo à toxicidade de alumínio. Bragantia, Campinas, 40:93-101, 1981.
  • 5.  PAGERIA, N.K. & ZIMMERMANN, F.J.P. Seleção de cultivares de arroz para tolerância à toxidez de alumínio em solução nutritiva. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasilia, 14(2):141-147, 1979.
  • 6.  FOY, C.D.; ARMIGER, W.H.; BRIGGLE, L.N.; REID. D.A. Differential aluminum tolerance of wheat and barley varieties in acid soils. Agronomy Journal, 57:413-417, 1965.
  • 7.  MARTINEZ, C. Aluminum toxicity studies in rice (Oryza sativa L.). Corvallis, Universidade Estadual de Oregon, 1977. 113f. Tese de Doutoramento.
  • 8.  MOORE, D.P.; KRONSTAD, W.E.; METZGER, R. Screening wheat for aluminum tolerance. In: WRIGHT, Madison J., ed. Workshop on Plant Adaptation to Mineral Stress in Problem Soils, Beltsville, Maryland, 1976. Proceedings. Ithaca, Cornell University, 1976. p.287-295.
  • *
    Com bolsa de suplementação do CNPq.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      17 Dez 2007
    • Data do Fascículo
      1984

    Histórico

    • Recebido
      13 Out 1982
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br