Accessibility / Report Error

Eficiência da colheita mecânica em variedades paulistas de algodeiro

Efficiency of mechanical harvesting in São Paulo cotton varieties

Resumos

O comportamento das variedades paulistas de algodoeiro 'IAC 17' e 'IAC 18', em face da colheita mecânica, e a possibilidade de melhorá-lo mediante o uso do regulador de crescimento Cycocel, foram estudados em ensaio conduzido em 1978/79 e 1979/80 no município de Leme (SP). Na média dos dois anos, utilizando-se uma colhedeira John Deere 9900, foi colhido cerca de 89% do algodão produzido, o que representa eficiência comparável à obtida em países que adotam predominantemente essa prática. Em condições normais, as perdas foram 7%, porém, em ano adverso, com chuvas freqüentes na época da colheita e longa permanência do algodão aberto no campo, atingiram 16%. A colheita mecânica proporcionou tipos inferiores de algodão em caroço, situando-se entre 1 e 2 pontos, na escala de classificação comercial, a diferença em relação à colheita manual. As perdas foram maiores, cerca de 2%, para a variedade 'IAC 17', tendo a diferença se manifestado tanto em relação ao algodão caído ao solo, quanto ao que persistiu nas plantas, após a colheita. O prejuízo no tipo foi semelhante para as duas variedades, no ano normal, mas consideravelmente maior para a 'IAC 17', no ano desfavorável. O Cycocel, aplicado na base de 50g de princípio ativo por hectare, aumentou a porcentagem de algodão colhido pela máquina, porém, apenas no ano em que as condições climáticas foram adversas. Todavia, mesmo nesse ano, o produto não contribuiu para melhorar o tipo do algodão colhido mecanicamente. Excetuando tendência para queda na resistência, assim mesmo de forma inconsistente, as demais características tecnológicas da fibra não foram afetadas pela colheita mecânica.


Adequacy of the cultivated cotton varieties 'IAC 17' and 'IAC 18' for mechanical harvesting and the possibility to improve their performance by using the plant growth regulator Cycocel, were studied at Leme, State of São Paulo, Brazil, in the 1978/79 and 1979/80 crop seasons. In the average of the two years, about 89% of the produced cotton was harvested, at one time by a John Deere 9900 two-row picker type machine. Field losses ranged from 7% (in the normal year of 1978/79) to 16% (in 1979/80), when unfavorable climatic conditions prevailed. Grade of seedcotton was 1 to 2 points lower in machine than in hand harvested product. Field losses were about 2% greater for 'IAC 17', the differences between varieties being due to cotton fallen on the ground as well as to that left in the plants. Damage in grade was about the same for both varieties in the normal year, but considerably higher for 'IAC 17' under adverse conditions. Application of 50g/ha of Cycocel increased percentage of cotton harvested mechanically, but this occurred only under adverse climatic conditions. Otherwise, even in the unfavorable year, no beneficial effect on cotton grade could be attributed to this product. Except for an inconsistent tendency for lower fiber strength (Pressley 1/8 inch gauge), fiber properties were not affected by mechanical harvesting.


ARTIGOS

Eficiência da colheita mecânica em variedades paulistas de algodeiro

Efficiency of mechanical harvesting in São Paulo cotton varieties

Luiz Henrique CarvalhoI, * * Com bolsa de suplementação do CNPq. ; Edivaldo CiaI, * * Com bolsa de suplementação do CNPq. ; Milton Geraldo FuzattoI; Nelson Paulieri SabinoII, * * Com bolsa de suplementação do CNPq. ; Julio Issao KondoII, * * Com bolsa de suplementação do CNPq.

ISeção de Algodão, IAC

IISeção de Tecnologia e Fibras, Instituto Agronômico, IAC

RESUMO

O comportamento das variedades paulistas de algodoeiro 'IAC 17' e 'IAC 18', em face da colheita mecânica, e a possibilidade de melhorá-lo mediante o uso do regulador de crescimento Cycocel, foram estudados em ensaio conduzido em 1978/79 e 1979/80 no município de Leme (SP). Na média dos dois anos, utilizando-se uma colhedeira John Deere 9900, foi colhido cerca de 89% do algodão produzido, o que representa eficiência comparável à obtida em países que adotam predominantemente essa prática. Em condições normais, as perdas foram 7%, porém, em ano adverso, com chuvas freqüentes na época da colheita e longa permanência do algodão aberto no campo, atingiram 16%. A colheita mecânica proporcionou tipos inferiores de algodão em caroço, situando-se entre 1 e 2 pontos, na escala de classificação comercial, a diferença em relação à colheita manual. As perdas foram maiores, cerca de 2%, para a variedade 'IAC 17', tendo a diferença se manifestado tanto em relação ao algodão caído ao solo, quanto ao que persistiu nas plantas, após a colheita. O prejuízo no tipo foi semelhante para as duas variedades, no ano normal, mas consideravelmente maior para a 'IAC 17', no ano desfavorável. O Cycocel, aplicado na base de 50g de princípio ativo por hectare, aumentou a porcentagem de algodão colhido pela máquina, porém, apenas no ano em que as condições climáticas foram adversas. Todavia, mesmo nesse ano, o produto não contribuiu para melhorar o tipo do algodão colhido mecanicamente. Excetuando tendência para queda na resistência, assim mesmo de forma inconsistente, as demais características tecnológicas da fibra não foram afetadas pela colheita mecânica.

SUMMARY

Adequacy of the cultivated cotton varieties 'IAC 17' and 'IAC 18' for mechanical harvesting and the possibility to improve their performance by using the plant growth regulator Cycocel, were studied at Leme, State of São Paulo, Brazil, in the 1978/79 and 1979/80 crop seasons. In the average of the two years, about 89% of the produced cotton was harvested, at one time by a John Deere 9900 two-row picker type machine. Field losses ranged from 7% (in the normal year of 1978/79) to 16% (in 1979/80), when unfavorable climatic conditions prevailed. Grade of seedcotton was 1 to 2 points lower in machine than in hand harvested product. Field losses were about 2% greater for 'IAC 17', the differences between varieties being due to cotton fallen on the ground as well as to that left in the plants. Damage in grade was about the same for both varieties in the normal year, but considerably higher for 'IAC 17' under adverse conditions. Application of 50g/ha of Cycocel increased percentage of cotton harvested mechanically, but this occurred only under adverse climatic conditions. Otherwise, even in the unfavorable year, no beneficial effect on cotton grade could be attributed to this product. Except for an inconsistent tendency for lower fiber strength (Pressley 1/8 inch gauge), fiber properties were not affected by mechanical harvesting.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação a 10 de agosto de 1983.

  • 1.  CAMPOS, H. Estatística experimental não-paramétrica. 3.ed. Piracicaba, Escola Superior de Agricultura «Luiz de Queiroz», 1979. 343p.
  • 2.  COLWICK, R. F. & WILLIAMSON, E. B. Harvesting to maintain efficiency and to protect quality. In: ADVANCES in production and utilization of quality cotton: principles and practices. Ames, Iowa State University Press, 1968. 532p.
  • 3.  FERRAZ, C. A. M.; SABINO, N. P.; FAVA, J. F. M.; MOREIRA, C. A.; COSTA, D. S. Influência do tipo de colheita e de beneficiamento na qualidade da fibra e do fio do algodoeiro. Bragantia, Campinas, 36:147-153, 1977.
  • 4. __________; FAVA, J. F. M.; RIGITANO, A.; SABINO, N. P.; MOREIRA, C. A.; COSTA, D. S. Comportamento de variedades paulistas de algodoeiro em face das colheitas manual e mecânica. Bragantia, Campinas, 38:145-152, 1979.
  • 5.  GREEN, G. D. Principles of cotton production. Starkville, Mississippi State University, 1972. 213p.
  • 6.  JORGE, J. P. N. Aplicação de testes não-paramétricos na pesquisa agronômica. In: REUNIÃO INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, Piracicaba, 1975. Anais. Campinas, Fundação Cargiil, 1979. p.538-568.
  • 7.  SNEDECOR, G. W. Statistical methods. 5.ed. Ames, Iowa, State College, 1956. 534p.
  • *
    Com bolsa de suplementação do CNPq.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      17 Dez 2007
    • Data do Fascículo
      1984

    Histórico

    • Recebido
      10 Ago 1983
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br