Accessibility / Report Error

Melhoramento do trigo: X. Estimativas da herdabilidade e correlações entre tolerância à toxicidade de alumínio e produção de grãos com outros caracteres agronômicos em trigo

Wheat breeding: X. Heritability estimates and associations of tolerance to aluminum toxicity and grain yield with other agronomic characteristics in wheat

Resumos

Visando estimar a herdabilidade para várias características da planta de trigo (tolerância ao Al3+, altura, produção de grãos, número de espigas, número de espiguetas e de grãos por espiga, número de grãos por espigueta, peso de cem grãos e comprimento da espiga), bem como as correlações entre produção de grãos com sete caracteres agronômicos e aquelas entre tolerância ao alumínio com produção de grãos, altura das plantas e número de grãos por espigueta (fertilidade da espiga), foram efetuados cruzamentos entre o cultivar de porte semi-anão Alondra S-46, e os de porte alto 'IAC-5', 'BH-1146' e 'C-3'. Plântulas representando os pais, as gerações F1 e F2 e os retrocruzamentos para ambos os pais foram testados para a reação a 6mg/litro de Al3+ em solução nutritiva. As plantas, devidamente identificadas, foram transplantadas em número de quatro por vaso, empregando-se no total 500 vasos dispostos em quatro blocos ao acaso. Os dados referentes à produção de grãos e a outros caracteres agronômicos foram obtidos de plantas individuais. Os valores da herdabilidade no sentido restrito para comprimento da espiga, número de grãos por espiga, peso de cem grãos e altura da planta foram 0,885; 0,748; 0,760 e 0,720 respectivamente, e de 0,413 e 0,588 para número de espigas por planta e de espiguetas por espiga. Para os demais caracteres estudados, os valores estimados foram baixos, variando de 0,072 a 0,224. Esses resultados indicaram que grande parte da variabilidade genética total para comprimento da espiga, número de grãos por espiga, peso de cem grãos e altura das plantas está associada a uma ação aditiva dos genes. Nas populações estudadas, a característica produção de grãos foi correlacionada significativamente com todos os caracteres agronômicos estudados com exceção do caráter número de espiguetas por espiga. Nessas populações, a tolerância ao alumínio não foi associada com altura das plantas (com exceção da Alondra S-46 x IAC-5), produção de grãos e número de grãos por espigueta, sugerindo que seria possível selecionar plantas tolerantes ao Al3+, de porte médio, com maior fertilidade da espiga e com o potencial produtivo do cultivar Alondra-S-46.


High grain yield potential, and Al sensitive cultivar Alondra S-46 was crossed with standard height, low grain yield potential, Al tolerant cultivars IAC-5, BH-1146 and C-3. Parents, F1's, F2's and reciprocal backcrosses were tested for their seedling reaction to 6 ppm of Al3+ in nutrient solution. Grain yield, plant height, number of spikes per plant, number of spikelets per spike, number of grains per spike, number of grains per spikelet, 100-grain-weight and spike length were determined for the same populations at maturity. Narrow sense heritability estimates were high for spike length, number of grains per spike, 100-grain-weight, and plant height; moderate for number of spikes per plant and number of spikelets per spike; and low for the rest of the agronomic characteristics under study. Additive effects were the main source of genetic variation for spike length, plant height, number of grains per spike and 100-grain-weight. Grain yield of the studied populations was significantly correlated with all the agronomic characteristics under study except the number of spikelets per spike. Tolerance to Al3+ toxicity was not associated with plant height (except for the population from the cross Alondra S-46 x IAC-5), grain yield and number of grains per spikelet (spike fertility). The results suggested that there is a possibility of selecting plant types that combine Al3+ tolerance, semi-dwarf height levels and high yield potential, to be grown on acid soils


ARTIGOS

Melhoramento do trigo. X. Estimativas da herdabilidade e correlações entre tolerância à toxicidade de alumínio e produção de grãos com outros caracteres agronômicos em trigo1 1 Com verba suplementar do Acordo do Trigo entre as Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto Agronômico.

Wheat breeding. X. Heritability estimates and associations of tolerance to aluminum toxicity and grain yield with other agronomic characteristics in wheat

Carlos Eduardo de Oliveira Camargo2 2 Com bolsa de suplementação do CNPq.

Seção e Arroz e Cereais de Inverno, Instituto Agronômico, IAC

RESUMO

Visando estimar a herdabilidade para várias características da planta de trigo (tolerância ao Al3+, altura, produção de grãos, número de espigas, número de espiguetas e de grãos por espiga, número de grãos por espigueta, peso de cem grãos e comprimento da espiga), bem como as correlações entre produção de grãos com sete caracteres agronômicos e aquelas entre tolerância ao alumínio com produção de grãos, altura das plantas e número de grãos por espigueta (fertilidade da espiga), foram efetuados cruzamentos entre o cultivar de porte semi-anão Alondra S-46, e os de porte alto 'IAC-5', 'BH-1146' e 'C-3'. Plântulas representando os pais, as gerações F1 e F2 e os retrocruzamentos para ambos os pais foram testados para a reação a 6mg/litro de Al3+ em solução nutritiva. As plantas, devidamente identificadas, foram transplantadas em número de quatro por vaso, empregando-se no total 500 vasos dispostos em quatro blocos ao acaso. Os dados referentes à produção de grãos e a outros caracteres agronômicos foram obtidos de plantas individuais. Os valores da herdabilidade no sentido restrito para comprimento da espiga, número de grãos por espiga, peso de cem grãos e altura da planta foram 0,885; 0,748; 0,760 e 0,720 respectivamente, e de 0,413 e 0,588 para número de espigas por planta e de espiguetas por espiga. Para os demais caracteres estudados, os valores estimados foram baixos, variando de 0,072 a 0,224. Esses resultados indicaram que grande parte da variabilidade genética total para comprimento da espiga, número de grãos por espiga, peso de cem grãos e altura das plantas está associada a uma ação aditiva dos genes. Nas populações estudadas, a característica produção de grãos foi correlacionada significativamente com todos os caracteres agronômicos estudados com exceção do caráter número de espiguetas por espiga. Nessas populações, a tolerância ao alumínio não foi associada com altura das plantas (com exceção da Alondra S-46 x IAC-5), produção de grãos e número de grãos por espigueta, sugerindo que seria possível selecionar plantas tolerantes ao Al3+, de porte médio, com maior fertilidade da espiga e com o potencial produtivo do cultivar Alondra-S-46.

SUMMARY

High grain yield potential, and Al sensitive cultivar Alondra S-46 was crossed with standard height, low grain yield potential, Al tolerant cultivars IAC-5, BH-1146 and C-3. Parents, F1's, F2's and reciprocal backcrosses were tested for their seedling reaction to 6 ppm of Al3+ in nutrient solution. Grain yield, plant height, number of spikes per plant, number of spikelets per spike, number of grains per spike, number of grains per spikelet, 100-grain-weight and spike length were determined for the same populations at maturity. Narrow sense heritability estimates were high for spike length, number of grains per spike, 100-grain-weight, and plant height; moderate for number of spikes per plant and number of spikelets per spike; and low for the rest of the agronomic characteristics under study. Additive effects were the main source of genetic variation for spike length, plant height, number of grains per spike and 100-grain-weight. Grain yield of the studied populations was significantly correlated with all the agronomic characteristics under study except the number of spikelets per spike. Tolerance to Al3+ toxicity was not associated with plant height (except for the population from the cross Alondra S-46 x IAC-5), grain yield and number of grains per spikelet (spike fertility). The results suggested that there is a possibility of selecting plant types that combine Al3+ tolerance, semi-dwarf height levels and high yield potential, to be grown on acid soils

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação a 1º de setembro de 1983.

  • 1. CAMARGO, C.E.O. Melhoramento do trigo. VIII. Associações entre produção de grãos e outros caracteres agronômicos em populações híbridas de trigo envolvendo diferentes fontes de nanismo. Bragantia, Campinas, 43(2):541-552, 1984.
  • 2. __________; KRONSTAD, W.E.; METZGER, R. Parent-progeny regression estimates and associations of height levels with aluminum toxicity and grain yield in wheat. Crop Science, 20:355-358, 1980.
  • 3. __________ & OLIVEIRA, O.F. Melhoramento do trigo. II. Estudo genético de fontes de nanismo para a cultura do trigo. Bragantia, Campinas, 40:77-91, 1981.
  • 4. __________ & _________. Melhoramento do trigo. V. Estimativas das herdabilidades e correlações entre altura, produção de grãos e outros caracteres agronômicos em trigo. Bragantia, Campinas, 42:131-148, 1983.
  • 5. __________ & __________ Tolerância de cultivares de trigo a diferentes níveis de alumínio em solução nutritiva e no solo. Bragantia, Campinas, 40:21-31, 1981.
  • 6.  FALCONER, D.S. Introduction to quantitative genetics. New York, Ronald Press, 1970. 365p.
  • 7.  FONSECA, S. & PATTERSON, F.L. Yield components, heritabilities and interrelationships in winter wheat (Triticum aestivum L.). Crop Science, 8:614-617, 1968.
  • 8.  FOY, C.D.; ARMINGER, W.H.; BRIGGLE, L.W.; REID, D.A. Differential aluminum tolerance of wheat and barley varieties in acid soils. Agronomy Journal, 57:413-417, 1965.
  • 9. JOHNSON, V.A.; BIEVER, K.J.; HAUNOLD, A.; SCHMIDT, J.W. Inheritance of plant height, yield of grain, and other plant and seed characteristics in a cross of hard red winter wheat (Triticum aestivurn L.). Crop Science, 6:336-338, 1966.
  • 10.  KETATA, H.; EDWARDS, L.H.; SMITH, E.L. Inheritance of eight agronomic characters in a winter wheat cross. Crop Science, 16:19-22, 1976.
  • 11.  MOORE, D.P.; KRONSTAD, W.E.; METZGER, R. Screening wheat for aluminum tolerance. In: WORKSHOP ON PLANT ADAPTATION TO MINERAL STRESS IN PROBLEM SOILS, Beltsville, Maryland, 1976. Proceedings. p.287-295.
  • 12.  PEPE, J.F. & HEINER, R.E. Plant height protein percentage, and yield relationship in spring wheat. Crop Science, 15:793-797, 1975.
  • 13.  SILVA, A.R. Application of the genetic approach to wheat culture in Brazil. In: WORKSHOP ON PLANT ADAPTATION TO MINERAL STRESS IN PROBLEM SOILS, Beltsville, Maryland, 1976. Proceedings. p.223-231.
  • 1
    Com verba suplementar do Acordo do Trigo entre as Cooperativas de Produtores Rurais do Vale do Paranapanema e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto Agronômico.
  • 2
    Com bolsa de suplementação do CNPq.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      17 Dez 2007
    • Data do Fascículo
      1984

    Histórico

    • Recebido
      01 Set 1983
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br