Accessibility / Report Error

Efeito da tenacidade da fibra sobre propriedades tecnológicas do fio de algodão

Effect of the cotton fiber strength on yarn properties

Resumos

Consideraram-se três variedades de algodão com valores de tenacidade da fibra variando de 20,5 a 22,2 g/Tex: IAC 16, IAC 13-1 e IAC 17, classificadas, respectivamente, como de alta, média e baixa tenacidade. Tais variedades apresentaram características tecnológicas semelhantes quanto a comprimento, uniformidade de comprimento, índice de finura Micronaire e maturidade. As amostras foram processadas em estabelecimentos industriais, da maneira convencional, produzindo, cada uma, fios de títulos Ne20, Ne30 e Ne40. Para cada título, empregaram-se sete coeficientes de torção, representados pelas constantes 3,4, 3,6, 3,8, 4,0, 4,2, 4,5 e 4,7. Efetuaram-se as análises da variância dos resultados, de acordo com o delineamento fatorial 3 x 3 x 7, representado pelas três variedades, pelos três títulos e pelos sete níveis de coeficientes de torção. Mediante os resultados, conclui-se que fibras de algodão com alta tenacidade produzem fios mais resistentes e elásticos do que aquelas de baixa tenacidade, para qualquer título ou torção. A quantidade de torções requeridas para a obtenção de máxima resistência dos fios de algodão é pouco afetada pela tenacidade da fibra. Os fios de títulos mais altos têm os menores valores de tenacidade e elongação. A variedade IAC 16 apresentou fios com os maiores valores de tenacidade, seguida da 'IAC 13-1' e da 'IAC 17', e fios mais elásticos, acompanhada da 'IAC 17' e da 'IAC 13-1'.

algodão; Gossypium hirsutum L.; tenacidade da fibra; torção; fiação; tenacidade; título do fio


Three cottons with fiber strength of 20.5, 20.9 and 22.2 g/Tex and having other important fiber properties approximately equal were selected. The cottons were processed on conventional processing equipment into 20/1, 30/1 and 40/1 yarn counts, using a range of twist multipliers of 3.4, 3.6, 3.8, 4.0, 4.2, 4.5 and 4.7. Yarn strength and elongation determinations were made on a pendulum-type tester of 150-300 lbs capacity. It was found that: 1 - High strength cotton produced stronger yarns than low strength for any given yarn count or twist; 2 - The amount of twist required to obtain maximum strength was not affected significantly by fiber strength; 3 - High fiber strength produced yarns with better elongation and 4 - The IAC 16 cotton variety yielded yarns of highest tenacity and elongation.

cotton; Gossypium hirsutum L.; fiber strength; twist; yarn strength; spinning; yarn count


TECNOLOGIA DE PÓS-COLHEITA

Efeito da tenacidade da fibra sobre propriedades tecnológicas do fio de algodão1 1 Trabalho apresentado na V Reunião Nacional de Algodão, realizada em Campina Grande (PB), de 24 a 28 de outubro de 1988.

Effect of the cotton fiber strength on yarn properties

Nelson Paulieri SabinoI, II; Julio Isao KondoI; Rose Marry Araújo Gondim-TomazI

ISeção de Tecnologia de Fibras, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28. 13001-970 Campinas (SP)

IICom bolsa de pesquisa do CNPq

RESUMO

Consideraram-se três variedades de algodão com valores de tenacidade da fibra variando de 20,5 a 22,2 g/Tex: IAC 16, IAC 13-1 e IAC 17, classificadas, respectivamente, como de alta, média e baixa tenacidade. Tais variedades apresentaram características tecnológicas semelhantes quanto a comprimento, uniformidade de comprimento, índice de finura Micronaire e maturidade. As amostras foram processadas em estabelecimentos industriais, da maneira convencional, produzindo, cada uma, fios de títulos Ne20, Ne30 e Ne40. Para cada título, empregaram-se sete coeficientes de torção, representados pelas constantes 3,4, 3,6, 3,8, 4,0, 4,2, 4,5 e 4,7. Efetuaram-se as análises da variância dos resultados, de acordo com o delineamento fatorial 3 x 3 x 7, representado pelas três variedades, pelos três títulos e pelos sete níveis de coeficientes de torção. Mediante os resultados, conclui-se que fibras de algodão com alta tenacidade produzem fios mais resistentes e elásticos do que aquelas de baixa tenacidade, para qualquer título ou torção. A quantidade de torções requeridas para a obtenção de máxima resistência dos fios de algodão é pouco afetada pela tenacidade da fibra. Os fios de títulos mais altos têm os menores valores de tenacidade e elongação. A variedade IAC 16 apresentou fios com os maiores valores de tenacidade, seguida da 'IAC 13-1' e da 'IAC 17', e fios mais elásticos, acompanhada da 'IAC 17' e da 'IAC 13-1'.

Termos de indexação: algodão, Gossypium hirsutum L., tenacidade da fibra, torção, fiação, tenacidade e título do fio.

ABSTRACT

Three cottons with fiber strength of 20.5, 20.9 and 22.2 g/Tex and having other important fiber properties approximately equal were selected. The cottons were processed on conventional processing equipment into 20/1, 30/1 and 40/1 yarn counts, using a range of twist multipliers of 3.4, 3.6, 3.8, 4.0, 4.2, 4.5 and 4.7. Yarn strength and elongation determinations were made on a pendulum-type tester of 150-300 lbs capacity. It was found that: 1 - High strength cotton produced stronger yarns than low strength for any given yarn count or twist; 2 - The amount of twist required to obtain maximum strength was not affected significantly by fiber strength; 3 - High fiber strength produced yarns with better elongation and 4 - The IAC 16 cotton variety yielded yarns of highest tenacity and elongation.

Index terms: cotton, Gossypium hirsutum L., fiber strength, twist, yarn strength, spinning, yarn count.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 18 de julho de 1994 e aceito em 7 de fevereiro de 1995

  • AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Standards on textile materials. 34th ed. Philadelphia, 1963. 1008p.
  • BROWN, J.J.; HOWELL, N.A.; FIORI, L.A.; SANDS, J.E. & LITTLE, H.W. Evaluation of the yarn properties of a high-strength interspecies cotton. Textile Research Journal, Lancaster, 27(4):332-339, 1957.
  • FIORI, L. A.; BROWN, J.J. & SANDS, J.E. Effect of cotton fiber strength on single yarn properties and on processing behavior. Textile Research Journal, Lancaster, 24(6):504-507, 1954.
  • GRIDI-PAPP, I.L. & SABINO, N.P. Maturidade da fibra de algodão determinada por processo óptico: método do fibrógrafo digital. Revista Brasileira de Tecnologia, Brasília, 3:99-106, 1972.
  • GROVE, E.B. & HAMBY, D.S. Yarn numbering, yarn strength and analysis of strength measurements. In: HANDBOOK of testing and quality control. New York, Textile Book Publishers, 1960. p.317-399.
  • LANDSTREET, C.B. The relation of cotton fiber properties to spinning performance. In: COTTON IMPROVEMENT CONFERENCE, 7th Greenville and Stoneville, 1954. Proceedings. 35p.
  • WEBB, R.W. & RICHARDSON, H.B. Relationships between properties of cotton fibers and strength of carded yarn. Washington, D.C. Department of Agriculture, 1945. 58p.
  • 1
    Trabalho apresentado na V Reunião Nacional de Algodão, realizada em Campina Grande (PB), de 24 a 28 de outubro de 1988.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      16 Out 2007
    • Data do Fascículo
      1995

    Histórico

    • Aceito
      07 Fev 1995
    • Recebido
      18 Jul 1994
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br