Accessibility / Report Error

Melhoramento do algodoeiro para resistência múltipla a doenças, nematóides e broca-da-raiz em condições de campo

Cotton improvement for multi-resistance to diseases and pests in field conditions

Resumos

Um modelo de seleção e teste de linhagens de algodoeiro para resistência múltipla a doenças e pragas, adotado pelos melhoristas da Seção de Algodão do Instituto Agronômico, é descrito e discutido com base nos dados obtidos no período de 1981 a 1991. Condideraram-se as murchas de Fusarium e de Verticillium, a ramulose, a mancha angular, os nematóides e a broca-da-raiz como fatores adversos. Foram sugeridos índices relativos de resistência apropriados a cada fator e um índice de resistência múltipla para a avaliação global dos resultados. Discutem-se as evoluções desses índices durante o período, assim como as correlações observadas anualmente entre os índices. Houve, no período, tendência para nível crescente de resistência para todos os fatores, com exceção da ramulose, cujo índice médio de resistência oscilou ao redor de 70% da testemunha resistente, no conjunto das linhagens promissoras obtidas anualmente. As correlações entre os índices de resistência aos fatores variaram ao redor de zero, de maneira casual de ano para ano, atingindo raras vezes o nível de significância de 5%. Apareceram correlações negativas significativas, no final do período, entre ramulose, de um lado, e Verticillium e mancha angular do outro, cuja importância e conseqüência são discutidas. O índice médio de resistência múltipla cresceu de 56,7% no período, chegando a 0,776 no final, sendo que o valor 1,000 representaria a reunião de todos os genes disponíveis de resistência numa mesma linhagem.

algodoeiro; resistência a doenças e pragas; resistência múltipla; Fusarium; Verticillium; ramulose; mancha angular; nematóides; broca-da-raiz


A model of selection and cotton line tests for multi-resistance to diseases and pests is described and discussed. It was adopted by breeders of the Cotton Section of Instituto Agronômico at Campinas, State of São Paulo, Brazil, Fusarium and Verticilllium wilts, ramulosis (Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides) bacterium (Xanthomonas campestris pv. malvacearum), nematodes and stem-borer (Eutinobothrus brasiliensis) were considered. Relative resistance indices, appropriate to each adversity factor, and a multi-resistance index are suggested to evaluate the material's performance. Data obtained from 1981 to 1991 are presented. All the resistance indices increased during the period, except for ramulosis, that oscillated around 70% of the corresponding control's resistance. Correlation between the indices of the adversity factors varied on a casual way, around zero, rarely reaching the 5% level of significance. However, in the last years, negative correlations rouse between ramulosis on one side and Verticillium and bacterium on the other. Its importance and consequences are discussed. The average multi-resistance index increased steadily during the period, by 56.7% reaching the final value of 0.776. The value of 1.000 would mean that all the available genes for resistance were added in a same line.

cotton; disease resistance; multi-resistance; Fusarium; Verticillium; ramulosis; Xanthomonas; nematodes; stem-borer


II. GENÉTICA E MELHORAMENTO DE PLANTAS

Melhoramento do algodoeiro para resistência múltipla a doenças, nematóides e broca-da-raiz em condições de campo1 1 Trabalho com suporte financeiro da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e do Contrato com a Agropecuária Maeda S.A. (AGROPEM) e com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa Agropecuária (FUNDEPAG).

Cotton improvement for multi-resistance to diseases and pests in field conditions

Imre Lajos Gridi-PappI, VI; Edivaldo CiaI, VI; Milton Geraldo FuzattoI; Ederaldo José ChiavegatoI, VI; Christina DudienasII; Maria Angelica PizzinattoII, VI; José Carlos SabinoIII; Antonio Pereira de CamargoIV, VI; Mário Pércio CampanaV

ISeção de Algodão, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001-970 Campinas (SP)

IISeção de Fitopatologia, IAC

IIIEstação Experimental de Tietê, IAC

IVEstação Experimental de Piracicaba, IAC

VEstação Experimental de Jaú, IAC

VICom bolsa de pesquisa do CNPq

RESUMO

Um modelo de seleção e teste de linhagens de algodoeiro para resistência múltipla a doenças e pragas, adotado pelos melhoristas da Seção de Algodão do Instituto Agronômico, é descrito e discutido com base nos dados obtidos no período de 1981 a 1991. Condideraram-se as murchas de Fusarium e de Verticillium, a ramulose, a mancha angular, os nematóides e a broca-da-raiz como fatores adversos. Foram sugeridos índices relativos de resistência apropriados a cada fator e um índice de resistência múltipla para a avaliação global dos resultados. Discutem-se as evoluções desses índices durante o período, assim como as correlações observadas anualmente entre os índices. Houve, no período, tendência para nível crescente de resistência para todos os fatores, com exceção da ramulose, cujo índice médio de resistência oscilou ao redor de 70% da testemunha resistente, no conjunto das linhagens promissoras obtidas anualmente. As correlações entre os índices de resistência aos fatores variaram ao redor de zero, de maneira casual de ano para ano, atingindo raras vezes o nível de significância de 5%. Apareceram correlações negativas significativas, no final do período, entre ramulose, de um lado, e Verticillium e mancha angular do outro, cuja importância e conseqüência são discutidas. O índice médio de resistência múltipla cresceu de 56,7% no período, chegando a 0,776 no final, sendo que o valor 1,000 representaria a reunião de todos os genes disponíveis de resistência numa mesma linhagem.

Termos de indexação: algodoeiro, resistência a doenças e pragas, resistência múltipla, Fusarium, Verticillium, ramulose, mancha angular, nematóides, broca-da-raiz.

ABSTRACT

A model of selection and cotton line tests for multi-resistance to diseases and pests is described and discussed. It was adopted by breeders of the Cotton Section of Instituto Agronômico at Campinas, State of São Paulo, Brazil, Fusarium and Verticilllium wilts, ramulosis (Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides) bacterium (Xanthomonas campestris pv. malvacearum), nematodes and stem-borer (Eutinobothrus brasiliensis) were considered. Relative resistance indices, appropriate to each adversity factor, and a multi-resistance index are suggested to evaluate the material's performance. Data obtained from 1981 to 1991 are presented. All the resistance indices increased during the period, except for ramulosis, that oscillated around 70% of the corresponding control's resistance. Correlation between the indices of the adversity factors varied on a casual way, around zero, rarely reaching the 5% level of significance. However, in the last years, negative correlations rouse between ramulosis on one side and Verticillium and bacterium on the other. Its importance and consequences are discussed. The average multi-resistance index increased steadily during the period, by 56.7% reaching the final value of 0.776. The value of 1.000 would mean that all the available genes for resistance were added in a same line.

Index terms: cotton, disease resistance, multi-resistance, Fusarium, Verticillium, ramulosis, Xanthomonas, nematodes, stem-borer.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Recebido para publicação em 2 de agosto de 1993 e aceito em 14 de janeiro de 1994.

  • BIRD, L.S. Interrelation of resistance and escape of cotton from five major diseases. Proceedings Cotton Disease Council, Memphis, 26:92-107, 1966.
  • BIRD, L.S.; EL-ZINK, K.M.; FREE, E. & ARNOLD, R. Concepts and procedures for developping cottons with multiple disease resistance. Proceedings Cotton Disease Council, Hot Springs, 28:158-162, 1968.
  • BRINKERHOFF, L.A.; VERHALEN, L.M. & JOHNSON, W.M. Synthesis of resistance to four major Upland cotton diseases. In: BELTSWIDE COTTON PRODUCTION RESEARCH CONFERENCE, 29., Atlanta, 1977. Proceedings. Memphis, National Cotton Council, 1978. p.232.
  • CHRISTIANSEN, M.N. & LEWIS, C.F. Breeding plants for less favorable environments. New York, John Wiley & Sons, 1982. 460p.
  • CIA, E.; FERRAZ, C.A.M.; GRIDI-PAPP, I.L. & SOAVE, J. Melhoramento do algodoeiro Gossypium hirsutum L. para resistência a Xanthomonas malvacearum (E.F. Smith) Dowson. Summa Phytopathologica, Piracicaba, 1:177-186, 1975.
  • CIA, E.; FUZATTO, M.G.; GRIDI-PAPP, I.L. & CHIAVEGATO, E.J. Melhoramento do algodoeiro visando resistência a nematóides. In: REUNIÃO NACIONAL DO ALGODÃO, 2., Salvador, 1982. Resumos. Campina Grande, EMBRAPA-CNPA, 1982a. p.242.
  • CIA, E.; FUZATTO, M.G.; GRIDI-PAPP, I.L.; SOAVE, J. & CIONE, J. Avaliação da incidência de ramulose do algodoeiro através de inoculação artificial. In: REUNIÃO NACIONAL DO ALGODÃO, 2., Salvador, 1982. Resumos. Campina Grande, EMBRAPA-CNPA, 1982b. p.241.
  • CIA, E.; GRIDI PAPP, I.L. & FERRAZ, C.A.M. Correlações entre respostas de resistência apresentadas por linhagens de algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) a três agentes patogênicos. Summa Phytopathologica, Piracicaba, 4:111-121, 1978.
  • COSTA, A.S. Investigações sobre a ramulose. Campinas, Instituto Agronômico, 1941. 44p. (Datilografado)
  • GRIDI-PAPP, I.L.; CIA, E. & FUZATTO, M.G. Uniformização de índices de avaliação cm programas de melhoramento para resistência múltipla a fatores adversos. In: REUNIÃO NACIONAL DO ALGODÃO, 2., Salvador, 1982. Resumos. Campina Grande, EMBRAPA-CNPA, 1982a. p.236.
  • GRIDI-PAPP, I.L.; CIA, E.; FUZATTO, M.G.; CAVALERI, P.A.; CHIAVEGATO, E.J.; FERRAZ, C.A.M.; SABINO, N.P.; KONDO, J.L; SOAVE, J. & BORTOLETTO, N. Melhoramento do algodoeiro no Estado de São Paulo: obtenção da variedade IAC 18. Bragantia, Campinas, 44(2):645-658, 1985.
  • GRIDI-PAPP, I.L.; CIA, E.; FUZATTO, M.G.; VEIGA, A.A. & SABINO, J.C. Avaliação de variedades e linhagens de algodoeiro para resistência à brocada-raiz. In: REUNIÃO NACIONAL DO ALGODÃO, 2., Salvador, 1982. Resumos. Campina Grande, EMBRAPA-CNPA, 1982b. p.75.
  • GRIDI-PAPP, I.L.; FUZATTO, M.G.; CAVALERI, P.A.; CIA, E.; SILVA, N.M.; FERRAZ, C.A.M.; SCHMIDT, W.; NEVES, O.S.; RODRIGUES FILHO, F.S.O.; CHIAVEGATO, E.J.; SABINO, N.P.; MARTINELLI, E.S.; LAZZARINI, J.F. & CORRÊA, F.A. Melhoramento do algodoeiro no Estado de São Paulo: obtenção das variedades IAC RM3, IAC RM4, IAC 16 e IAC 17. Bragantia, Campinas, 43(2):405-423, 1984.
  • GRIDI-PAPP, I.L.; FUZATTO, M.G.; FERRAZ, C.A.M. & CIA, E. Seleção do algodoeiro para resistência à fusariose em área onde ocorre doença semelhante em plantas de labelabe (Dolichos lablab L.). Bragantia, Campinas, 29:67-72, 1970.
  • McNEW, G.L. The nature, origin and evolution of parasitism. In: HORSFALL, J.G. & DIMOND, A.E., eds. Plant pathology: an advanced treatise. New York, Academic Press, 1960. v.2, p. 1 9-69.
  • NELSON, R.R. Breeding plants for disease resistance: concepts and applications. University Park, Pennsylvania State University Press, 1977. 401p.
  • NEVES, O.S.; CAVALERI, P.A.; GRIDI-PAPP, I.L. & FERRAZ, C.A.M. Melhoramento das variedades paulistas de algodão: criação da IAC 12. Bragantia, Campinas, 28:291-306, 1969.
  • RUSSELL, G.E. Plant breeding for pest and disease resistance. London, Butterworths, 1978. 485p.
  • SILVEIRA, A.P. Moléstias: fungos e bactérias. In: CULTURA E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO. São Paulo, Instituto Brasileiro de Potassa, 1965. cap.9, p.417-433.
  • STAKMAN, E.C & HARRAR, J.G. Principles of plant pathology. New York, Ronald Press, 1957. 581p.
  • VAN DER PLANK, J.E. Disease resistance in plants. New York, Academic Press, 1968. 206p.
  • 1
    Trabalho com suporte financeiro da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e do Contrato com a Agropecuária Maeda S.A. (AGROPEM) e com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa Agropecuária (FUNDEPAG).
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      16 Out 2007
    • Data do Fascículo
      1994

    Histórico

    • Recebido
      02 Ago 1993
    • Aceito
      14 Jan 1994
    Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br