Melhoramento do trigo: XXII. Comportamento de linhagens originárias de trigos de inverno e de primavera no Estado de São Paulo

Wheat breeding: XXII. Evaluation of inbred lines originated from winter x spring crosses for the State of São Paulo, Brazil

Compararam-se entre si vinte e quatro linhagens e um cultivar comercial de trigo quanto à produção de grãos, componentes da produção e resistência às doenças, através de ensaios instalados em diferentes localidades paulistas, em condição de irrigação por aspersão e de sequeiro. Em casa de vegetação, efetuaram-se estudos de resistência às misturas de raças prevalecentes dos agentes causais da ferrugem-do-colmo e da folha e, em condições de laboratório, estudos da tolerância ao alumínio, em soluções nutritivas. As linhagens IAC-156 e IAC-141 salientaram-se quanto à produção de grãos em condição de irrigação por aspersão e as linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-152 e IAC-157 em condição de sequeiro. Em relação à ferrugem-do-colmo (Puccinia graminis f. sp. tritici), as linhagens IAC-142, IAC-144, IAC-145, IAC-146, IAC-148, IAC-149, IAC-150, IAC-152, IAC-153, IAC-157 e IAC-158 e o 'Alondra-S-46' exibiram resistência às duas misturas de raças prevalecentes, em estádio de plântula. As linhagens IAC-143 e IAC-150 apresentaram resistência em estádio de plântula às três misturas de raças prevalecentes de ferrugem-da-folha (P. recondita) em casa de vegetação. Esses genótipos também foram resistentes a essa ferrugem em condição de infecção natural no campo, no estádio de planta adulta. As linhagens IAC-140, IAC-143, IAC-145, IAC-150 e IAC-153 mostraram-se resistentes ao oídio, em condição de campo. As linhagens IAC-139, IAC-143, IAC-145, IAC-146, IAC-152, IAC-154, IAC-155 e IAC-158 e o cultivar Alondra-S-46 exibiram plantas de porte baixo. A IAC-147 mostrou ser fonte genética do caráter espiga comprida; a IAC-142, de maior número de espiguetas por espiga; IAC-146 e IAC-147, de maior número de grãos por espiga; IAC-146, IAC-147 e IAC-148, de maior número de grãos por espigueta, e IAC-157, de grãos mais pesados. As linhagens IAC-143, IAC-149, IAC-150 e IAC-156 foram as mais tolerantes à toxicidade de Al3+, porém num grau significativamente menor em relação ao 'BH-1146'.

trigo; melhoramento genético; cultivares; linhagens; produção de grãos; ferrugem-do-colmo e da-folha; toxicidade de alumínio


Instituto Agronômico de Campinas Avenida Barão de Itapura, 1481, 13020-902 Campinas SP - Brazil, Tel.: +55 19 2137-0653, Fax: +55 19 2137-0666 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: bragantia@iac.sp.gov.br