Papel do gênero na percepção e expressão da dor: revisão integrativa

Michele Gomes Nascimento Maurício Kosminsky Michele Chi Sobre os autores

RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

A identidade de gênero e o seu papel aparentam influenciar a resposta à dor experimental, embora ainda não seja claro a magnitude dessa influência. Assim, o objetivo deste estudo foi investigar a influência do construto gênero (identidade/papel de gênero) na experiência da dor mediante a seleção e análise de estudos clínicos sobre o tema.

CONTEÚDO:

Foi desenvolvida uma busca nas bases de dados Medline (via Pubmed), LILACS (via BVS), PsycINFO. A busca foi desenvolvida com os seguintes descritores: tender identity, pain, gender role combinados pelo operador booleano AND/OR (gender identity) AND pain OR (gender role) AND pain. Os idiomas selecionados foram inglês, português e espanhol. Ao final da seleção, 11 estudos foram incluídos. Todas as investigações recuperadas sobre a temática compreenderam estudos clínicos laboratoriais. Em relação à influência da identidade e papel de gênero na percepção dolorosa, a maioria dos estudos (91%) encontraram que essa variável foi fator contribuinte para as diferenças observadas na percepção (tolerância/limiar de dor) e necessidade de comunicar a dor.

CONCLUSÃO:

Em dor experimental, maior feminilidade ou papéis sociais femininos estão associados a menores limiares e menor tolerância à dor, assim como maior propensão de comunicar a sensação dolorosa. Esses resultados independem do tipo de estímulo, da etnia ou orientação sexual.

Descritores:
Dor; Gênero e saúde; Identidade de gênero

Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 937 Cj2 - Vila Mariana, CEP: 04014-012, São Paulo, SP - Brasil, Telefones: , (55) 11 5904-2881/3959 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: dor@dor.org.br