Personalidade, enfrentamento e dor facial atípica. Relato de casos

Ludmila Maria Christofolleti Maria de Fátima Vidotto Oliveira Silvia Regina Dowgan Tesseroli de Siqueira Sobre os autores

RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

Dor facial idiopática persistente é uma condição crônica cujas etiologia e fisiopatologia permanecem obscuras. Os critérios diagnósticos dependem da exclusão de todas as possíveis causas somáticas de dor orofacial. Vários estudos investigaram frequentes comorbidades psiquiátricas como ansiedade e depressão, mas há carência de estudos que tenham observado aspectos de personalidade nesses doentes. O objetivo deste estudo foi descrever três casos de pacientes com dor facial idiopática persistente que foram avaliados quanto a traços de personalidade e de caráter, bem como a associação desses traços com as características da dor e o comportamento doloroso. Os instrumentos utilizados foram a entrevista livre e o Inventário de Caráter e Temperamento de Cloninger.

RELATO DOS CASOS:

O caso 1 apresentava traços de proatividade e altos índices de cooperatividade e autotranscendência, correspondentes com seu perfil de bom enfrentamento. Por outro lado, os casos 2 e 3 apresentaram similaridades quanto à evitação de dor, busca por novidades e enfrentamento pobre, o que correspondeu a uma personalidade insegura e autoprotetora.

CONCLUSÃO:

Esses casos mostram a importância de abordar a personalidade do paciente para que estratégias de enfrentamento adequadas sejam estabelecidas para a dor facial crônica complexa.

Descritores:
Dor facial atípica; Dor persistente; Personalidade

Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 937 Cj2 - Vila Mariana, CEP: 04014-012, São Paulo, SP - Brasil, Telefones: , (55) 11 5904-2881/3959 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: dor@dor.org.br