Qualidade da silagem de sorgo no período de desensilagem: avaliação de híbridos, estratos do silo e estrutura da massa

Mikael Neumann Egon Henrique Horst João Restle Eduardo Rodrigues de Almeida André Martins de Souza Sobre os autores

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade químico-fermentativa da silagem de dois híbridos de sorgo nos diferentes estratos da face do silo e a interferência do tempo de exposição aeróbia da face do silo estruturada e/ou desestruturada (após desensilagem). A silagem do híbrido AG-2005E apresentou maior teor de proteína bruta e pH mais elevado em comparação à do híbrido AG-60298 (6,33% e 4,0 contra 6,06% e 3,8, respectivamente). As silagens do estrato de 0 a 20 cm tinham o menor teor de matéria seca e o maior teor de proteína bruta (38% e 6,35%, respectivamente). O pH não diferiu entre os estratos e o teor de NH3 foi maior no estrato de 60 a 80 cm (4,5%). Com o avanço das 72 horas de exposição aeróbia, a silagem desestruturada apresentou maior incremento de temperatura em relação à silagem da face estruturada, mas esse tempo não foi suficiente para mostrar diferenças entre os teores de matéria seca, matéria mineral, NH3 e pH. O híbrido de sorgo e o estrato do silo interferem diretamente na qualidade químico-fermentativa da silagem. Após a exposição aeróbia, a silagem do painel do silo estruturado parece sofrer menor interferência em relação à silagem após ser desensilada.

Palavras-chave:
avaliação a campo; degradação aeróbia; pós-abertura do silo; qualidade nutricional; massa específica da silagem

Universidade Federal de Goiás Universidade Federal de Goiás, Escola de Veterinária e Zootecnia, Campus II, Caixa Postal 131, CEP: 74001-970, Tel.: (55 62) 3521-1568, Fax: (55 62) 3521-1566 - Goiânia - GO - Brazil
E-mail: revistacab@gmail.com