Accessibility / Report Error

Parede celular de levedura em dieta para codornas japonesas na fase de postura em diferentes densidades de criação

Resumo

Objetivou-se mensurar o desempenho zootécnico e a qualidade de ovos de codornas japonesas alojadas sob diferentes densidades e alimentadas com rações contendo parede celular de levedura (PCL). Foram utilizadas 576 codornas japonesas (Coturnix japonica) com 43 semanas de idade e 76% de postura, com peso inicial de 158,50 ± 5,41 g distribuídas em delineamento inteiramente ao acaso em esquema fatorial 3 × 2 (três níveis de PCL: 0; 500 e 750 g.ton−1 e duas densidades de alojamento: 81,5 e 92,4 cm2/ave), com seis repetições de 17 e 15 codornas por unidade experimental, respectivamente. Foram avaliados: consumo de ração, produção de ovos/ave/dia, produção de ovos/ave alojada, produção de ovos comercializáveis, massa de ovos, conversão alimentar por dúzia e por massa de ovos e viabilidade das aves; peso do ovo, peso específico, porcentagem de gema, de albúmen e de casca e espessura da casca. Não houve interação entre os níveis de inclusão de PCL e densidade de alojamento para os parâmetros avaliados, exceto para peso do ovo. Codornas alojadas em gaiolas com 92,4 cm2/ave alimentadas com 500 g.ton−1 de PCL apresentaram maior peso do ovo. A espessura de casca foi influenciada de forma independente pela densidade de alojamento, a menor densidade (92,4 cm|2/ave) promoveu maior espessura de casca. A inclusão de 500 g.ton−1 de PCL na ração de codornas japonesas alojadas sob densidade de 92,4 cm2/ave melhora o peso dos ovos e a espessura da casca.

Palavras-chave:
Coturnicultura; Espessura da casca; Prebióticos; Produção de ovos

Abstract

The objective of this study was to measure the zootechnical performance and egg quality of Japanese quails housed at different densities and fed diets containing yeast cell walls (YCWs). Five hundred and seventy-six quail (Coturnix coturnix japonica) were distributed at 43 weeks of age, and 76% were laid, with an initial weight of 158.50 ± 5.41 g, in a completely randomized design in a 3 × 2 factorial arrangement (three YCW levels: 0, 500, and 750 g.ton−1 and two housing densities: 81.5 and 92.4 cm2/quail), with six replicates of 17 and 15 quail per experimental unit, respectively. The following parameters were evaluated: feed intake, egg production/bird/day, egg production/housed quail, marketable egg production, egg mass, feed conversion per dozen eggs, egg mass and viability, egg weight, specific egg weight, percentage of yolk, albumen and shell, and shell thickness. The means of the three cycles of 21 days were subjected to analysis of variance using the statistical software Sisvar. There was no significant interaction effect between YCW inclusion level and cage density on zootechnical performance parameters or egg quality, except for egg weight, which suggested that YCW addition, regardless of cage density, did not affect the results. It was observed that the eggs of quails housed in cages with 92.4 cm2/bird feed and 500 g.ton1 YCW had greater egg weights. Shell thickness was independently influenced by cage density, and the lowest density (92.4 cm2/bird) promoted greater shell thickness. The inclusion of 500 g.ton1 of yeast cell wall material in the diet of Japanese quails housed at a density of 92.4 cm2/bird improved egg weight and shell thickness without negatively affecting the other parameters of egg quality or zootechnical performance.

Keywords:
Quail farming; Shell thickness; Prebiotics; Egg production

1. Introdução

Nos últimos anos, a coturnicultura vem se desenvolvendo em ritmo acelerado destacando-se como importante atividade produtiva do segmento da avicultura nacional(11 Aguiar, DP, Valentim, JK, Lima, HJD. Á, Bittencourt, TM, Andreoti, LZ, Pereira, IDB, ... & Zanella, J. Beak trimming and stocking densities for laying and performance traits and behavioral patterns in Japanese quails. Revista de Investigaciones Veterinarias del Perú, 2021; 32(5), e19248-e19248. https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.19248.
https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.192...
), alcançando altos níveis de produção, resultado das inovações tecnológicas no setor de produção e mudanças nas áreas de genética, nutrição, ambiência e sanidade(22 Silva AF, Sgavioli S, Domingues CHF, Garcia RG. Coturnicultura como alternativa para aumento de renda do pequeno produtor. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. 2018;70(3):913-920. https://doi.org/10.1590/1678-4162-10065.
https://doi.org/10.1590/1678-4162-10065....
).

Contudo, mesmo nos criatórios mais tecnificados, um dos problemas sanitários mais temidos é o surgimento de Salmonelose no plantel devido principalmente as altas densidades de criação. De acordo com Martins et al.(33 Martins M, Fanning S, Duffy G, O’Leary D, Cabe EMM, McCusker MP. Microbiological study of biofilm formation in isolates of Salmonella entérica Typhimurium cultured from the modern pork chain. Int J Food Microbiol. 2013;161(1-15):36-43. https://doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.2012.11.021.
https://doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.20...
), nos casos em que é possível identificar o agente etiológico envolvido nas toxinfecções, a Salmonella enteritidis está presente em cerca de 1/3 destes casos. A Salmonella enteritidis é um dos sorovares de maior distribuição no mundo, sendo as aves portadoras assintomáticas e relacionada a infecções crônicas de aves adultas, o que pode reduzir os índices produtivos do plantel e persistir no organismo da ave por inúmeras semanas após a infecção(44 Dunkley KD, Callaway TR, Chalova VI, McReynolds JL, Hume ME, Dunkley CS, Kubena LF, Nisbet DJ, Ricke SC. Foodborne Salmonella ecology in the avian gastrointestinal tract. Anaerobe. 2009;15(1):26-35. https://doi.org/10.1016/j.anaerobe.2008.05.007.
https://doi.org/10.1016/j.anaerobe.2008....
).

Acredita-se que uma importante ferramenta utilizada para reduzir Salmonella sp. em aves é aumentar a resistência da mesma através da estimulação do sistema imunológico utilizando prebióticos como beta-glucanos, mananoligossacarídeos(55 Holt PS, Vaughn LE, Gast RK. Flow cytometric characterization of Peyer’s patch and cecal tonsil T lymphocytes in laying hens following challenge with Salmonella enterica serovar Enteritidis. Vet Immunol Immunopathol. 2010;133(2):276-281. https://doi.org/10.1016/j.vetimm.2009.08.001.
https://doi.org/10.1016/j.vetimm.2009.08...
), ou então a utilização de produtos de caráter bactericida como ácidos orgânicos de cadeia curta como ácido fumárico, ácido fórmico, ácido propiônico de forma isolada ou associada(66 Kim GB, Seo YM, Kim CH, Paik IK. Effect of dietary prebiotic supplementation on the performance, intestinal microflora, and immune response of broilers. Poultry Science. 2015;90(1):75-82. https://doi.org/10.3382/ps.2010-00732.
https://doi.org/10.3382/ps.2010-00732....
).

Muitas bactérias gram-positivas, como os Lactobacilos e os Bifidobacterium, estão presentes nas excretas das aves, porém não estão necessariamente relacionados a problemas sanitários. Entretanto, a presença frequente de patógenos no ambiente de criação, conforme Marmion(77 Marmion, M., Ferone, MT, Whyte, P, & Scannell, AGM. The changing microbiome of poultry meat; from farm to fridge. Food microbiology, 2021, 99, 103823. https://doi.org/10.1016/j.fm.2021.103823.
https://doi.org/10.1016/j.fm.2021.103823...
), especialmente as enterobactérias e bactérias causadoras de zoonoses, como o caso da Salmonella e Escherichia coli, em geral, geram preocupações devido a possíveis problemas causados nas aves e eventualmente na saúde do consumidor.

Além disso, para combater estes patógenos e auxiliar no desempenho das aves, a administração de antibióticos melhoradores de crescimento em animais tem sido cada vez mais discutida e desestimulada, devido às preocupações com a seleção e potencial transmissão de resistência às bactérias a esses compostos em seres humanos, principalmente, se o agente antimicrobiano registrado para uso em animais pertencer à mesma classe que os medicamentos usados na medicina humana.

Segundo Borsoi et al.(88 Ghimpeteanu, OM., Pogurschi, EN, Popa, DC, Dragomir, N., Drăgotoiu, T., Mihai, OD, & Petcu, CD. Antibiotic use in livestock and residues in food—A public health threat: A review. Foods, 2022; 11(10), 1430. https://doi.org/10.3390/foods11101430
https://doi.org/10.3390/foods11101430...
), os principais aspectos que caracterizam essa preocupação dizem respeito à presença de resíduos de promotores de crescimento de origem antibiótica nos produtos de origem animal e o possível prejuízo a saúde do consumidor, bem como a possibilidade de que o uso dos antimicrobianos em animais de produção venha aumentar a incidência/prevalência de bactérias resistentes a estes medicamentos.

O uso de aditivos na alimentação para manutenção da saúde intestinal e do sistema imune das aves é imperativo, uma vez que com a intensificação dos sistemas de produção de ovos de codornas têm-se impactos na qualidade de vida e consequente preocupação com o bem-estar animal.

De acordo com Pavan et al.(99 Pavan AC, Garcia EA, Móri C, Pizzolante CC, Piccinin A. Efeito da densidade na gaiola sobre o desempenho de poedeiras comerciais nas fases de cria, recria e produção. Revista Brasileira Zootecnia. 2005;34(4):1320-1328. https://doi.org/10.1590/S1516-35982005000400029.
https://doi.org/10.1590/S1516-3598200500...
), concomitantemente a intensificação dos sistemas de produção de ovos de codornas têm-se os impactos na qualidade de vida animal e consequente preocupação com o bem-estar animal. A bateria de gaiolas é o sistema de alojamento mais utilizado para codornas atualmente por facilitar os manejos de uma forma geral, reduzir custos com mão-de-obra e permitir maior densidade de criação e produção por área. A densidade de alojamento de codornas tem sido estudada visando a redução dos custos de produção de ovos e a maximização de ocupação do galpão(1010 dos Santos Bourdon VDD, Souza RG, do Nascimento Oliveira EJ, Vieira DVG, Moron SE, Vaz RMGV & Costa FGP. Productive performance, thermal and blood parameters of Japanese laying quails at different cage stocking densities. Research, Society and Development, 2021; 10(3), e54410313686-e54410313686. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686
https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686...
, 1111 Faitarone ABG, Pavan AC, Mori C, Batista LS, Oliveira RP, Garcia EA, Pizzolante CC, Mendes AA, Sherer MR. Economic traits and performance of Italian quails reared at different cage stocking densities. Brazilian Journal Poultry Science. 2005;7(1):19-22. https://doi.org/10.1590/S1516-635X2005000100003.
https://doi.org/10.1590/S1516-635X200500...
).

De acordo com El-Tarabany (1212 El-Tarabany MS. 2016. Impact of temperature-humidity index on egglaying characteristics and related stress and immunity parameters of Japanese quails. Internacional Journal Biometeorology 60: 957-964. https://doi.org/10.1007/s00484-015-1088-5.
https://doi.org/10.1007/s00484-015-1088-...
), a eficiência produtiva das codornas, bem como seu crescimento e desenvolvimento do aparelho produtivo são influenciados pela densidade de alojamento usada nas diferentes fases de criação, recomendando-se para obtenção do eficiente desempenho durante a fase de postura densidade de 107,64 cm2/ave.

Aditivos alimentares não irão solucionar problemas com manejo, plano sanitário, vacinação, nutrição, qualidade de água, entre outros; contudo, podem ser instrumentos para o controle e a prevenção. É sabido que produção animal intensiva é um ambiente altamente desafiador, assim, o fortalecimento do sistema imunológico pode ser uma das chaves para maior produtividade(1313 Hofmann T, Schmucker SS, Bessei W, Grashorn M & Stefanski V. Impact of housing environment on the immune system in chickens: A review. Animals, 2020; 10(7), 1138. https://doi.org/10.3390/ani10071138
https://doi.org/10.3390/ani10071138...
).

Desta forma, com a finalidade de promover melhor desempenho de aves em sistemas intensificados de criação e produção, faz-se necessária a realização de pesquisas que visem avaliar a utilização de prebióticos para codornas submetidas a densidades de alojamento diferentes.

Objetivou-se com este estudo avaliar o desempenho e a qualidade dos ovos de codornas japonesas alimentadas com ração com diferentes níveis de inclusão de parede celular de levedura alojadas em baterias de gaiola sob diferentes densidades.

2. Material e métodos

O experimento foi desenvolvido no Setor de Coturnicultura do Departamento Acadêmico de Zootecnia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Campus Rio Pomba, após a aprovação (Protocolo nº 02/2020) pela Comissão de Ética no Uso de Animais em Pesquisa (CEUA) do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais.

Foram utilizadas 576 codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica) com 43 semanas de idade e 76% de postura, com peso inicial de 158,50 ± 5,41 g, distribuídas em delineamento inteiramente ao acaso em esquema fatorial 3 × 2 (três níveis de parede celular de levedura – 0; 500 e 750 g.ton−1 e duas densidades de alojamento – 81,5 e 92,4 cm2/ave), com seis repetições de 17 e 15 codornas em cada unidade experimental, respectivamente. O período experimental foi de 63 dias divididos em três períodos de 21 dias.

As aves foram alojadas em baterias de gaiolas metálicas em aço carbono 15 mm (CHOCMASTER®) modelo Isabela com cinco andares de 36 cm de profundidade, 157 cm de altura e 77 cm de largura contendo uma divisória central em cada andar em PVC removível. Cada compartimento de gaiola possuía área de 1386 cm2, densidade recomendada de 92,4 cm2/ave – 15 aves/gaiola, equipada com bebedouro tipo nipple com copinho, comedouro tipo calha e bandeja coletora de dejetos em chapa de aço zincado.

A fim de manter constantes as densidades populacionais durante o experimento, no caso de eventuais mortes, foram registradas a data da morte e o peso da codorna. Foi escolhida uma ave para ser substituída, proveniente do mesmo lote de codornas do experimento, consumindo a mesma ração, com peso semelhante ao peso médio e nível de produção de ovos compatível com a parcela experimental onde houve a morte. Foram fornecidos, à vontade, água e a mesma ração basal formulada especificamente para codornas em postura (Tabela 1) conforme as recomendações nutricionais de Rostagno et al.(1414 Rostagno HS, Albino LFT, Donzele JL, Gomes PC, Oliveira RF, Lopes DC, Ferreira AS, Barreto SLT, Euclides RF. Tabelas Brasileiras para Aves e Suínos: composição de alimentos e exigências nutricionais. 3rd ed. Viçosa: Editora UFV; 2017. 252p.).

Tabela 1
Composições percentuais e valores nutricionais da ração experimental basal, na matéria natural, para codornas japonesas em postura

A inclusão da parede celular de levedura foi realizada na forma de mistura “on top”, onde foi adicionado além da fórmula da ração, aos poucos, no misturador, a quantidade determinada em cada tratamento (500 e 750 g.ton−1). Conforme o fabricante, a parede celular é composta predominantemente de β-glucanas 1,3-1,6 e mananoligossacarídeos (MOS), que são polissacarídeos insolúveis de ação prebiótica.

O manejo diário consistia em recolher e contabilizar os ovos. Foram computados o número de ovos quebrados, trincados, com casca mole e sem casca, fornecimento da ração, limpeza dos aparadores de ovos e realização da leitura das temperaturas máxima e mínima; de bulbo seco, de bulbo úmido e de umidade relativa do ar (UR).

A temperatura e umidade foram monitorados por termohigrômetros, sendo as leituras realizadas diariamente, uma vez ao dia, às 11 horas, durante todo o período experimental.

As médias das temperaturas mínima e máxima e a umidade relativa do ar registradas diariamente durante o período experimental foram, respectivamente, 21,5 ± 1,3°C; 31,8 ± 2,3°C e 50,3 ± 10,7%. O intervalo de conforto térmico, obtido por Castro et al.(1616 Castro JO, Yanangi Junior T, Ferraz PFP, Fassani EJ. Comportamento de codornas japonesas submetidas a diferentes temperaturas. Energia na Agricultura. 2017;32(2):141-147. https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n2p141-147.
https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2017...
), para codornas japonesas em fase de postura foi de 22°C a 24°C e 60% de umidade relativa do ar.

A iluminação artificial foi controlada por relógio automático (timer), permitindo o acender e apagar das luzes do galpão durante todo o período experimental, totalizando fornecimento de 16 horas diárias de duração do fotoperíodo, procedimento adotado em granjas comerciais.

Os parâmetros de desempenho zootécnico avaliados foram: consumo de ração; produção de ovos-ave/dia; produção de ovos ave alojada; produção de ovos comercializáveis; massa de ovos; conversão alimentar por dúzia e por massa de ovos e viabilidade das aves.

A cada período de 21 dias, as sobras de ração de cada parcela experimental foram pesadas e descontadas da quantidade de ração fornecida no início do período a fim de se obter o consumo de ração (g/ave/dia).

A produção de ovos foi obtida, a cada período (21 dias), computando-se o número total de ovos produzidos, incluindo os quebrados, os trincados e os anormais (ovos com casca mole e sem casca) expressando-o em porcentagem sobre o número de aves vivas do período (Produção de ovos-ave/dia = nº total de ovos produzidos/nº dias/nº aves da parcela experimental × 100) e, sobre o número de aves alojadas no início do período (Produção de ovo/ave alojada = nº total de ovos produzidos/nº dias/nº aves alojadas no primeiro dia do período experimental × 100).

Para determinação da produção de ovos comercializáveis, em cada período de 21 dias, foi descontado o número de ovos quebrados, trincados, com casca mole e sem casca da produção total de ovos, sendo então calculada através da fórmula: Produção de ovos comercializáveis (%) = nº de ovos íntegros produzidos/nº dias/nº aves da parcela experimental × 100.

Todos os ovos íntegros produzidos foram pesados durante os três antepenúltimos dias de cada período de 21 dias (18°, 19° e 20° dia) para obtenção do peso médio. O peso médio dos ovos foi multiplicado pela produção de ovos-ave/dia, obtendo-se assim a massa total de ovos (g/ave/dia). A conversão alimentar por dúzia de ovos foi calculada pela relação do consumo total de ração em kg dividido pela dúzia de ovos produzidos (kg/dz) e a conversão alimentar por massa de ovos calculada pelo consumo de ração em quilogramas dividido pela massa total de ovos (kg/kg).

A mortalidade das aves foi monitorada diariamente para que ao final do período experimental fosse obtida a taxa de viabilidade das aves, calculada pela diferença do número de aves vivas pelo número de aves mortas, sendo o resultado convertido em porcentagem.

Para avaliação da qualidade dos ovos, foram analisados os seguintes parâmetros: peso do ovo (g), peso específico (g/cm3), porcentagem dos componentes (gema, albúmen e casca) e espessura da casca.

No 18°, 19° e 20° dia de cada período de 21 dias foram coletados todos os ovos íntegros, dos quais foram selecionados aleatoriamente 24 ovos de cada tratamento, sendo seis repetições de quatro ovos cada. Os ovos de cada repetição e de cada dia foram pesados individualmente em balança com precisão de 0,001 g e identificados.

Em seguida, foi mensurado o peso específico, por meio da imersão dos ovos, correspondentes a cada repetição, em soluções salinas com densidade variando de 1,055 a 1,095 g/cm3, com intervalos de 0,005 g/cm3, devidamente calibradas por meio de um densímetro (OM-5565, Incoterm®), segundo a metodologia descrita por Oliveira; Oliveira(1515 Oliveira BL, Oliveira DD. Qualidade e tecnologia de ovos. Lavras: Editora UFLA (Universidade Federal de Lavras); 2013. p. 223.).

A gema foi separada e seu peso registrado em balança com precisão de 0,001 g. O peso do albúmen foi obtido entre a diferença do peso do ovo menos o peso da gema mais o peso da casca, sendo este obtido após lavagem da casca e posterior secagem em estufa de circulação forçada de ar (60°C) por 24 horas.

A porcentagem de albúmen, gema e casca foi obtida dividindo-se os pesos dos respectivos componentes pelo peso do ovo e o resultado multiplicado por 100. A espessura da casca foi mensurada através de micrômetro digital (DIGIMESS® 0-25 mm), após a secagem e pesagem da casca. Foram feitas medidas nos dois polos e no meio do ovo. A espessura da casca de cada repetição foi determinada pela média aritmética das três medidas.

As análises estatísticas dos dados de desempenho zootécnico e de qualidade de ovos das codornas suplementadas na ração com parede celular de levedura foram realizadas com a média dos três ciclos de 21 dias. Os resultados foram submetidos à análise de variância utilizando-se o software estatístico Sisvar. Para verificar as premissas estatísticas de normalidade dos resíduos utilizou-se o teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade das variâncias foi avaliada pelo Teste de Levene.

Foi adotado modelo incluindo os efeitos da densidade (cm2/ave), do nível de adição de da parede celular de levedura e a interação entre esses fatores. Em caso de interação significativa, foi feito o desdobramento do efeito do nível do aditivo em cada densidade de aves, por meio do teste Tukey a 0,05 de probabilidade. Não ocorrendo interação significativa, as médias das densidades de alojamento e do nível de aditivo foram comparadas pelo teste F e Tukey, respectivamente, ambos a 0,05 de probabilidade.

3. Resultados e discussão

A suplementação de parede celular de levedura na ração das codornas japonesas em postura não influenciou (p>0,05) os parâmetros de desempenho zootécnico (Tabela 2). Contudo, foi possível observar, numericamente, a inclusão de 500 g.ton−1 melhorou a porcentagem de produção de ovos por ave alojada, porcentagem de produção de ovos comercializáveis e massa de ovos (g/ave/dia).

Tabela 2
Desempenho de codornas japonesas em fase de postura alojadas sob duas densidades alimentadas com rações suplementadas com níveis crescentes de parede celular de levedura

A densidade influenciou de forma independente os parâmetros de desempenho zootécnico, exceto a conversão alimentar por massa e por dúzia e a viabilidade das aves. De uma forma geral, a adoção da densidade de alojamento recomendada pelo fabricante da bateria de gaiolas, que é de 92,4 crr|2/ave (15 aves/gaiola), melhorou os parâmetros de desempenho zootécnico, ou seja, as codornas produziram maior massa de ovos (g/ave/dia) e maior quantidade de ovos por dia, por ave-alojada e comercializáveis (Tabela 2).

Sarica et al.(1717 Sarica M, Boga S, Yamak US. The effects of space allowance on egg yield, egg quality, and plumage condition of laying hens in battery cages. Czech Journal Animal Science. 2008;53(1):346-353. https://doi.org/10.17221/349-CJAS.
https://doi.org/10.17221/349-CJAS....
), observaram que a produção de ovos, a massa de ovos, a viabilidade e o peso do ovo de galinhas poedeiras semipesadas diminuíram em densidades mais altas de alojamento em gaiola (2000; 1000; 667 e 500 cm2/ave). Os autores relataram que as galinhas mantidas em densidades de gaiola de 667 cm2 ou 1000 cm2 produziram a mesma quantidade de ovos, enquanto aquelas mantidas em espaço de 500 cm2 diminuíram a produção de ovos com atraso em atingir a idade de produção de 50%.

As densidades de alojamento de codornas não interferiram na qualidade do ovo, segundo Soares et al.(1818 Soares DF, Pizzolante CC, Duarte KMR, Moraes JE, Budifio FEL, Sores WVB, Kakimoto SK. Welfare indicators for laying Japanese quails caged at different densities. Annais Brazilian Academy Science. 2018;90(1):3791-3797. https://doi.org/10.1590/0001-3765201820180276.
https://doi.org/10.1590/0001-37652018201...
), porém prejudicou o desempenho produtivo. Os autores concluíram que as codornas mantidas sob menor densidade apresentam maiores valores de imunoglobulinas Y (IgY, anticorpo presente na gema de ovo das aves), o que promoveu melhor estado imunológico e bem-estar às codornas.

Assim como observado por Lima et al.(1919 Lima HJD, Barreto SLT, Valeriano MH, Vieira DVG, Costa SL. Densidade de alojamento de codornas japonesas na fase inicial de postura. Global Science and Technology. 2012;5:186-193.), que alojaram codornas japonesas em postura sob diferentes densidades de alojamento (121,4 cm|2/ave; 106,2 cm|2/ave; 94,4 cmŕ/ave; 85 cm2/ave) e verificaram o efeito da densidade sobre o consumo de ração, peso do ovo, conversão por massa de ovos e conversão alimentar por dúzia de ovos, e constataram que a densidade de 85 cm2/ave proporcionou menor consumo e redução no peso do ovo.

Entretanto, ao alojar codornas japonesas na fase de postura sob densidades de 112,2 cm2/ave (10 aves por gaiola); 102 cm2/ave (11 aves por gaiola); 93,5 cm2/ave (12 aves por gaiola) e 86,31 cm2/ave (13 aves por gaiola), Bourdon(1010 dos Santos Bourdon VDD, Souza RG, do Nascimento Oliveira EJ, Vieira DVG, Moron SE, Vaz RMGV & Costa FGP. Productive performance, thermal and blood parameters of Japanese laying quails at different cage stocking densities. Research, Society and Development, 2021; 10(3), e54410313686-e54410313686. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686
https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686...
) não observou efeito significativo sobre o consumo de ração, conversão alimentar por massa e por dúzia de ovos, massa de ovos e porcentagem de produção de ovos por ave/dia.

Não houve interação (p>0,05) entre os níveis de inclusão de parede celular de levedura e densidade de alojamento na gaiola para os parâmetros de qualidade física dos ovos das codornas (Tabela 3), exceto para peso do ovo. Por meio do desdobramento da interação foi possível constatar que as codornas alojadas sob a densidade de 92,4 cmŕ/ave e alimentadas com 500 g.ton−1 de parede celular de levedura apresentaram maior peso do ovo (Tabela 4).

Tabela 3
Qualidade física de ovos de codornas japonesas em fase de postura alojadas sob duas densidades alimentadas com rações suplementadas com níveis crescentes de parede celular de levedura.
Tabela 4
Desdobramento da interação do efeito do nível de inclusão de parede celular de levedura na alimentação das codornas japonesas em fase de postura em cada densidade de alojamento para peso do ovo

A espessura de casca foi influenciada de forma independente pela densidade de alojamento, a menor densidade (92,4 cm2/ave - 15 codornas por gaiola), aquela recomendada pelo fabricante da gaiola, promoveu maior espessura de casca. Possivelmente, isso ocorreu pelo maior espaço disponível na gaiola em comparação com a densidade de 81,5 cm2, promovendo, também, acesso ao comedouro, e, portanto, consumo de ração adequado pelas codornas alojadas sob menor densidade, evidenciado nos resultados apresentados na Tabela 2.

É sabido que maior densidade de alojamento, menor espaço por ave, pode provocar desconforto térmico por calor, especialmente para aves adultas, com empenamento completo, sobretudo na fase de postura(11 Aguiar, DP, Valentim, JK, Lima, HJD. Á, Bittencourt, TM, Andreoti, LZ, Pereira, IDB, ... & Zanella, J. Beak trimming and stocking densities for laying and performance traits and behavioral patterns in Japanese quails. Revista de Investigaciones Veterinarias del Perú, 2021; 32(5), e19248-e19248. https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.19248.
https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.192...
). Sendo assim, as aves utilizam mecanismos regulatórios, aumento da frequência respiratória, há incremento da excreção de CO2 (gás carbônico), o que resulta em escassez na formação de íons carbonatos (CO32−), por conseguinte do ácido carbônico (H2CO3), importante para a formação, na câmara calcífera, de carbonato de cálcio (CaCO3) que compõe 98% da casca do ovo, mesmo com o cálcio presente, desta forma há piora na qualidade da casca.

Diferentemente da presente pesquisa, Soares et al.(1818 Soares DF, Pizzolante CC, Duarte KMR, Moraes JE, Budifio FEL, Sores WVB, Kakimoto SK. Welfare indicators for laying Japanese quails caged at different densities. Annais Brazilian Academy Science. 2018;90(1):3791-3797. https://doi.org/10.1590/0001-3765201820180276.
https://doi.org/10.1590/0001-37652018201...
) não encontraram diferenças significativas para espessura de casca, peso específico e peso da casca de ovos de codornas alojadas em gaiola sob diferentes densidades (121,43 cm2/ave; 106,25 cm2/ave; 94,44 cm2/ave e 85,00 cm2/ave). Assim como Bourdon(1010 dos Santos Bourdon VDD, Souza RG, do Nascimento Oliveira EJ, Vieira DVG, Moron SE, Vaz RMGV & Costa FGP. Productive performance, thermal and blood parameters of Japanese laying quails at different cage stocking densities. Research, Society and Development, 2021; 10(3), e54410313686-e54410313686. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686
https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686...
), ao avaliar a qualidade de ovos de codorna mantidas sob 112,20; 102,00; 93,50 e 86,31 cm2/ave.

O desdobramento da interação do efeito do nível de inclusão de parede celular de levedura na alimentação das codornas em cada densidade de alojamento demonstrou que as codornas alojadas em gaiolas sob densidade de 92,4 cmŕ e alimentadas com 500 g.ton−1 de parede celular de levedura apresentaram maior peso do ovo (Tabela 4).

Corroborando com estes resultados, Lima et al.(1919 Lima HJD, Barreto SLT, Valeriano MH, Vieira DVG, Costa SL. Densidade de alojamento de codornas japonesas na fase inicial de postura. Global Science and Technology. 2012;5:186-193.) e Mahrose et al.(2020 Mahrose, KM., Abol-Ela, S., Amin, RM., & Abou-Kassem, D E. Restricted feeding could enhance feed conversion ratio and egg quality of laying Japanese quail kept under different stocking densities. Animal Biotechnology, 2022. 33(1), 141-149. https://doi.org/10.1080/10495398.2020.1810059.
https://doi.org/10.1080/10495398.2020.18...
) constataram redução no peso dos ovos oriundos de codornas alojadas sob maior densidade, tendo em vista que as codornas alojadas sob maior densidade (81,5 cm2/ave), produziram ovos mais leves.

Alterações fisiológicas, provocadas por estresse ambiental, como área disponível à ave, está associada a aumentos dos níveis de corticosterona no plasma, glicose sanguínea e da relação heterofilo/linfócito, essas alterações podem estar acompanhadas da alteração do peso corporal do animal, da produção e da alteração do peso dos ovos(2121 Onbasilar EE, Aksoy FT. Stress parameters and immune response of layers under different cage floor and density conditions. Livestok Production Science. 2005;95:255-263. https://doi.org/10.1016/j.livprodsci.2005.01.006.
https://doi.org/10.1016/j.livprodsci.200...
).

Rahimi et al.(2222 Rahimi S, Kathariou S, Fletcher O, Grimes JL. Effect of a direct-fed microbial and prebiotic on performance and intestinal histomorphology of turkey poults challenged with Salmonella and Campylobacter. Poultry Science. 2019;98(12):6572-6578. https://doi.org/10.3382/ps/pez436.
https://doi.org/10.3382/ps/pez436....
), ao suplementarem perus com parede celular de levedura e mananoli-gossacarídeos (MOS), observaram alterações histomorfológicas vilositárias no intestino de aves, melhoria no comprimento das vilosidades e profundidade da cripta que indicaram epitélio funcionalmente ativo e taxa de renovação epitelial mais lenta e menor desconforto da mucosa devido ao trato gastrointestinal mais saudável do que os grupo controle, apesar do desafio bacteriano. Portanto, segundo os autores pode haver aumento da área de superfície que poderia resultar em melhor absorção dos nutrientes disponíveis.

Isso pode explicar a melhora no peso do ovo das codornas, a parede celular de levedura adicionada à ração das codornas beneficiou a absorção intestinal de cálcio e de outros nutrientes associado ao menor estresse das aves por estarem alojadas na densidade recomendada (92,4 cm2/ave), demonstrado pelo maior consumo de ração e aumento na porcentagem de ovos produzidos, assim como pelo incremento na espessura da casca.

4. Conclusão

A inclusão de 500 g.ton−1 de parede celular de levedura na ração de codornas japonesas alojadas sob densidade de 92,4 cm.2/ave melhora o peso dos ovos, sem afetar negativamente os demais parâmetros de qualidade dos ovos e o desempenho zootécnico.

References

  • 1
    Aguiar, DP, Valentim, JK, Lima, HJD. Á, Bittencourt, TM, Andreoti, LZ, Pereira, IDB, ... & Zanella, J. Beak trimming and stocking densities for laying and performance traits and behavioral patterns in Japanese quails. Revista de Investigaciones Veterinarias del Perú, 2021; 32(5), e19248-e19248. https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.19248.
    » https://doi.org/10.15381/rivep.v32i5.19248.
  • 2
    Silva AF, Sgavioli S, Domingues CHF, Garcia RG. Coturnicultura como alternativa para aumento de renda do pequeno produtor. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. 2018;70(3):913-920. https://doi.org/10.1590/1678-4162-10065.
    » https://doi.org/10.1590/1678-4162-10065.
  • 3
    Martins M, Fanning S, Duffy G, O’Leary D, Cabe EMM, McCusker MP. Microbiological study of biofilm formation in isolates of Salmonella entérica Typhimurium cultured from the modern pork chain. Int J Food Microbiol. 2013;161(1-15):36-43. https://doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.2012.11.021.
    » https://doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.2012.11.021.
  • 4
    Dunkley KD, Callaway TR, Chalova VI, McReynolds JL, Hume ME, Dunkley CS, Kubena LF, Nisbet DJ, Ricke SC. Foodborne Salmonella ecology in the avian gastrointestinal tract. Anaerobe. 2009;15(1):26-35. https://doi.org/10.1016/j.anaerobe.2008.05.007.
    » https://doi.org/10.1016/j.anaerobe.2008.05.007.
  • 5
    Holt PS, Vaughn LE, Gast RK. Flow cytometric characterization of Peyer’s patch and cecal tonsil T lymphocytes in laying hens following challenge with Salmonella enterica serovar Enteritidis. Vet Immunol Immunopathol. 2010;133(2):276-281. https://doi.org/10.1016/j.vetimm.2009.08.001.
    » https://doi.org/10.1016/j.vetimm.2009.08.001.
  • 6
    Kim GB, Seo YM, Kim CH, Paik IK. Effect of dietary prebiotic supplementation on the performance, intestinal microflora, and immune response of broilers. Poultry Science. 2015;90(1):75-82. https://doi.org/10.3382/ps.2010-00732.
    » https://doi.org/10.3382/ps.2010-00732.
  • 7
    Marmion, M., Ferone, MT, Whyte, P, & Scannell, AGM. The changing microbiome of poultry meat; from farm to fridge. Food microbiology, 2021, 99, 103823. https://doi.org/10.1016/j.fm.2021.103823.
    » https://doi.org/10.1016/j.fm.2021.103823.
  • 8
    Ghimpeteanu, OM., Pogurschi, EN, Popa, DC, Dragomir, N., Drăgotoiu, T., Mihai, OD, & Petcu, CD. Antibiotic use in livestock and residues in food—A public health threat: A review. Foods, 2022; 11(10), 1430. https://doi.org/10.3390/foods11101430
    » https://doi.org/10.3390/foods11101430
  • 9
    Pavan AC, Garcia EA, Móri C, Pizzolante CC, Piccinin A. Efeito da densidade na gaiola sobre o desempenho de poedeiras comerciais nas fases de cria, recria e produção. Revista Brasileira Zootecnia. 2005;34(4):1320-1328. https://doi.org/10.1590/S1516-35982005000400029.
    » https://doi.org/10.1590/S1516-35982005000400029.
  • 10
    dos Santos Bourdon VDD, Souza RG, do Nascimento Oliveira EJ, Vieira DVG, Moron SE, Vaz RMGV & Costa FGP. Productive performance, thermal and blood parameters of Japanese laying quails at different cage stocking densities. Research, Society and Development, 2021; 10(3), e54410313686-e54410313686. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686
    » https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13686
  • 11
    Faitarone ABG, Pavan AC, Mori C, Batista LS, Oliveira RP, Garcia EA, Pizzolante CC, Mendes AA, Sherer MR. Economic traits and performance of Italian quails reared at different cage stocking densities. Brazilian Journal Poultry Science. 2005;7(1):19-22. https://doi.org/10.1590/S1516-635X2005000100003.
    » https://doi.org/10.1590/S1516-635X2005000100003.
  • 12
    El-Tarabany MS. 2016. Impact of temperature-humidity index on egglaying characteristics and related stress and immunity parameters of Japanese quails. Internacional Journal Biometeorology 60: 957-964. https://doi.org/10.1007/s00484-015-1088-5.
    » https://doi.org/10.1007/s00484-015-1088-5.
  • 13
    Hofmann T, Schmucker SS, Bessei W, Grashorn M & Stefanski V. Impact of housing environment on the immune system in chickens: A review. Animals, 2020; 10(7), 1138. https://doi.org/10.3390/ani10071138
    » https://doi.org/10.3390/ani10071138
  • 14
    Rostagno HS, Albino LFT, Donzele JL, Gomes PC, Oliveira RF, Lopes DC, Ferreira AS, Barreto SLT, Euclides RF. Tabelas Brasileiras para Aves e Suínos: composição de alimentos e exigências nutricionais. 3rd ed. Viçosa: Editora UFV; 2017. 252p.
  • 15
    Oliveira BL, Oliveira DD. Qualidade e tecnologia de ovos. Lavras: Editora UFLA (Universidade Federal de Lavras); 2013. p. 223.
  • 16
    Castro JO, Yanangi Junior T, Ferraz PFP, Fassani EJ. Comportamento de codornas japonesas submetidas a diferentes temperaturas. Energia na Agricultura. 2017;32(2):141-147. https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n2p141-147.
    » https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n2p141-147.
  • 17
    Sarica M, Boga S, Yamak US. The effects of space allowance on egg yield, egg quality, and plumage condition of laying hens in battery cages. Czech Journal Animal Science. 2008;53(1):346-353. https://doi.org/10.17221/349-CJAS.
    » https://doi.org/10.17221/349-CJAS.
  • 18
    Soares DF, Pizzolante CC, Duarte KMR, Moraes JE, Budifio FEL, Sores WVB, Kakimoto SK. Welfare indicators for laying Japanese quails caged at different densities. Annais Brazilian Academy Science. 2018;90(1):3791-3797. https://doi.org/10.1590/0001-3765201820180276.
    » https://doi.org/10.1590/0001-3765201820180276.
  • 19
    Lima HJD, Barreto SLT, Valeriano MH, Vieira DVG, Costa SL. Densidade de alojamento de codornas japonesas na fase inicial de postura. Global Science and Technology. 2012;5:186-193.
  • 20
    Mahrose, KM., Abol-Ela, S., Amin, RM., & Abou-Kassem, D E. Restricted feeding could enhance feed conversion ratio and egg quality of laying Japanese quail kept under different stocking densities. Animal Biotechnology, 2022. 33(1), 141-149. https://doi.org/10.1080/10495398.2020.1810059.
    » https://doi.org/10.1080/10495398.2020.1810059.
  • 21
    Onbasilar EE, Aksoy FT. Stress parameters and immune response of layers under different cage floor and density conditions. Livestok Production Science. 2005;95:255-263. https://doi.org/10.1016/j.livprodsci.2005.01.006.
    » https://doi.org/10.1016/j.livprodsci.2005.01.006.
  • 22
    Rahimi S, Kathariou S, Fletcher O, Grimes JL. Effect of a direct-fed microbial and prebiotic on performance and intestinal histomorphology of turkey poults challenged with Salmonella and Campylobacter. Poultry Science. 2019;98(12):6572-6578. https://doi.org/10.3382/ps/pez436.
    » https://doi.org/10.3382/ps/pez436.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    20 Maio 2024
  • Data do Fascículo
    2024

Histórico

  • Recebido
    01 Ago 2023
  • Aceito
    28 Nov 2023
  • Publicado
    26 Fev 2024
Universidade Federal de Goiás Universidade Federal de Goiás, Escola de Veterinária e Zootecnia, Campus II, Caixa Postal 131, CEP: 74001-970, Tel.: (55 62) 3521-1568, Fax: (55 62) 3521-1566 - Goiânia - GO - Brazil
E-mail: revistacab@gmail.com