Prevalência de Oestrus ovis (Diptera: Oestridae) em ovinos de Ituiutaba, região sudeste do Brasil

Henrique Inhauser Riceti Magalhães Ana Caroline Romão da Silva Fabiano Braz Romão Nadia Grandi Bombonato Guilherme Nascimento Cunha Sobre os autores

Resumo

Dentre as doenças que podem atingir as cavidades nasais dos pequenos ruminantes, destaca-se a oestrose. No Brasil, mais especificamente na região Sudeste, os relatos estão limitados ao estado de São Paulo e ao município de Araxá, Minas Gerais. Assim, procurou-se avaliar a prevalência parasitária do Oestrus ovis em ovinos criados no município de Ituiutaba, Minas Gerais-Brasil, correlacionando ao mesmo tempo o tamanho e estágio larval com a sua localização anatômica. Oitenta e oito hemicabeças de Ovis aries mestiços Santa Inês com Dorper saudáveis foram utilizadas aleatoriamente. As larvas visualizadas foram então coletadas e fixadas para serem quantificadas e analisadas em relação ao seu tamanho e estágio de desenvolvimento. Conclui-se que a oestrose é um problema existente no município de Ituiutaba, sendo este o primeiro estudo completo sobre a prevalência deste parasito no estado de Minas Gerais. Por distribuição anatômica, apenas as diferenças das médias larvais totais entre o seio frontal e o meato nasal ventral, meato nasal comum e a nasofaringe foram significativas - o que confirma a preferência das larvas por essa região. Em tamanho, a diferença significativa só ocorreu mediante a comparação entre o tamanho e estágio das larvas, informação crucial para uma melhor compreensão da progressão cíclica, sintomatologia clínica e profilaxia dos animais.

Palavras-chave:
doenças ovinas; estágios larvais; mosca; oestrose; Ovis aries

Universidade Federal de Goiás Universidade Federal de Goiás, Escola de Veterinária e Zootecnia, Campus II, Caixa Postal 131, CEP: 74001-970, Tel.: (55 62) 3521-1568, Fax: (55 62) 3521-1566 - Goiânia - GO - Brazil
E-mail: revistacab@gmail.com