Suicídios em uma organização policial-militar do sul do Brasil

Suicides in a military police organization in southern Brazil

Gustavo Klauberg Pereira Amanda Batista Madruga Edelu Kawahala Sobre os autores

Resumo

Introdução

O suicídio é considerado um problema de saúde pública. Todos os anos 840 mil pessoas tiram a própria vida. Em policiais militares as taxas de suicídio também são altas.

Objetivo

Este trabalho buscou investigar características socio-ocupacionais em casos de suicídios de policiais militares de Santa Catarina, Brasil, ocorridos entre os anos de 2012 a 2016.

Método

Trata-se de um estudo documental, descritivo e de abordagem quantitativa, que utilizou informações socio-ocupacionais disponibilizadas pela organização sobre casos de suicídios de policiais militares.

Resultados

Todos os policiais militares que cometeram suicídio eram do sexo masculino (n = 14) e boa parte tinha filhos (85,71%). Dos casos de suicídio, 85,71% ocorreram na carreira de praças, especialmente no primeiro grau na hierarquia militar (soldados), com metade dos casos (n = 7). Em todos os casos, havia parte do salário comprometido com empréstimos ou dívidas financeiras.

Conclusão

Características ocupacionais importantes em determinadas situações podem vir a se tornar um fator de risco ao suicídio de policiais militares. Outras pesquisas são necessárias, especialmente considerando outras fontes de informação importantes não utilizadas nesta investigação.

Palavras-chave:
suicídio; polícia militar; saúde mental; policial

Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Avenida Horácio Macedo, S/N, CEP: 21941-598, Tel.: (55 21) 3938 9494 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@iesc.ufrj.br