Perfil da violência doméstica e familiar contra a mulher em um município de Minas Gerais, Brasil

Profile of domestic violence against women and family in a city of Minas Gerais, Brazil

Resumos

Trata-se de um estudo de análise do Boletim de Ocorrência (BO), a fim de caracterizar a violência doméstica e familiar contra a mulher em um município de Minas Gerais no ano de 2011 para melhor estratégia de planejamento das ações no âmbito da saúde. Foram analisados 392 BOs dos 715 registrados no ano de 2011. Caracterizaram-se as vítimas e agressores de acordo com as informações oferecidas pelo BO. As vítimas apresentaram idade média de 33,28 anos, enquanto os agressores apresentaram idade média de 35,55 anos. O domingo foi o dia em que ocorreu maior número de casos de violência, e apenas 22,7% dos agressores estavam sob efeito de bebidas alcoólicas. Conclui-se que, ao se conhecer a violência do município, novas práticas sociais e ações de saúde serão estruturadas.

violência doméstica; violência contra a mulher; saúde da mulher


This is a study made from the analysis of Occurrence Bulletins (OB), to characterize the home and family violence against women in a city of Minas Gerais, Brazil, during the year 2011. The aim of this study was to make a strategic plan of actions in the scope of health. Thus, 392 OB were analyzed from the total of 715 registered in 2011. The victims and the attackers were characterized from information in the OB. The victims had an average age of 33.28 years and the attackers, an average age of 35.55 years. The majority of the OB was on Sundays and only 22.7% of the attackers were inebriated in the moment of the violence. We conclude that, knowing the violence in the city, new social practices and health actions are structured

domestic violence; violence against women; women's health


  • 1
    Granja E, Medrado B. Homens, violência de gênero e atenção integral em saúde. Rev Psicologia e Sociedade. 2009;21(1):25-34.
  • 2
    Silva MA, Falbo Neto GH, Figueiroa JN, Cabral Filho JE. Contra a mulher: prevalência e fatores associados em pacientes de um serviço público de saúde no Nordeste brasileiro. Cad Saúde Pública. 2010;26(2):264-72.
  • 3
    Ferrante FG. Violência contra mulher: a percepção dos médicos das Unidades Básicas de Saúde de Ribeirão Preto, São Paulo [tese]. Ribeirão Preto (SP): Universidade de São Paulo; 2008.
  • 4
    Santos SM. Da delegacia da mulher à Lei Maria da Penha: absorção/ tradução de demandas feministas pelo Estado [Internet]. Revista Crítica de Ciências Sociais. 2010;89:153-70 [Cited 2011 Feb 11]. Available from: http://www.ces.uc.pt/ficheiros2/files/gender%20workshopRCCS_89_ Cecilia_Santos.pdf
  • 5
    Brasil. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Dispõe sobre mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília: Diário Oficial da União; 2006.
  • 6
    Melo ZM, Silva DM, Caldas MT. Violência Intrafamiliar: crime contra a mulher na área metropolitana do Recife. Psicol Estud. 2009;14(1):111-9.
  • 7
    D'Oliveira AFPL, Schraiber LB, Hanada H, Durand J. Atenção integral à saúde de mulheres em situação de violência de gênero: uma alternativa para a Atenção Primária em Saúde. Ciênc Saúde Colet. 2009;14(4):1037-50.
  • 8
    Fonseca RMGS, Leal AERB, Skubs T, Guedes RN, Egry EY. Violência doméstica contra a mulher na visão do Agente Comunitário de Saúde. Rev Latino-Am Enfermagem. 2009;17(6):45-51.
  • 9
    Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União; 1990.
  • 10
    Okabe I, Fonseca RMGS. Violência contra a mulher: contribuições e limitações do sistema de informação. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(2):453-8.
  • 11
    Brasil. Decreto-Lei 3.689, de 3 de outubro de 1941. Dispõe sobre o Código de Processo Penal Brasileiro [Internet]. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. 1941 out 3 [Cited 2011 May 15]. Available from: http://www.amperj.org.br/store/legislacao/codigos/cpp_L3689.pdf
  • 12
    Brasil. Ministério do Trabalho e do Emprego. Secretaria de Políticas Públicas de Emprego. Classificação Brasileira de Ocupações. 3ª edição. Brasília; 2010.
  • 13
    Silva LL, Coelho EBS, Caponi SNC. Violência silenciosa: violência psicológica como condição da violência física doméstica. Interface (Botucatu). 2007;11(21):93-103.
  • 14
    Deeke LP, Boing AF, Oliveira WF, Coelho EBS. A dinâmica da violência doméstica: uma análise a partir dos discursos da mulher agredida e de seu parceiro. Rev Saúde Soc. 2009;18(2):248-58.
  • 15
    Jong LC, Sadala MLA, Tanaka ACD. Desistindo da denúncia ao agressor: relato de mulheres vítimas de violência doméstica. Rev Esc Enferm USP. 2008;42(4):774-51.
  • 16
    Schraiber LB, D'OliveiraI AFPL, França Junior I, Diniz S, Portella AP, Ludermir AB, et al. Prevalência da violência contra a mulher por parceiro íntimo em regiões do Brasil. Rev Saúde Pública. 2007;41(5):797-807.
  • 17
    Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação de Atenção Básica - SIAB [Internet]. Brasil 2012. [Cited 2012 July 4]. Available from: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?siab/cnv/siabfMG.def
  • 18
    Torres MA. Violência contra a mulher no município de Alfenas - MG [Monografia]. Alfenas (MG): Universidade Federal de Alfenas; 2009.
  • 19
    World Health Organization. World report on violence and health [Internet]. Geneva; 2002 (WHO Report). [Cited 2012 June 28]. Available from: http://www.who.int/violence_injury_prevention/violence/world_report/en/index.html
  • 20
    Moura LBA, Gandolfi L, Vasconcelos AMN, Pratesi R. Violências contra mulheres por parceiro íntimo em área urbana economicamente vulnerável, Brasília, DF. Rev Saúde Pública. 2009;43(6):944-53.
  • 21
    Dossi AP, Saliba O, Garbin CAS, Garbin AJI. Perfil epidemiológico da violência física intrafamiliar: agressões denunciadas em um município do Estado de São Paulo, Brasil, entre 2001 e 2005. Cad Saúde Pública. 2008;24(8):1939-52.
  • 22
    Silva MA, Falbo Neto GHF, Cabral Filho JEC. Maus tratos na infância de mulheres vítimas de violência. Psicol Estud. 2009;14(1):121-7.
  • 23
    Souto CMRS, Braga VAB. Vivências da vida conjugal: posicionamento das mulheres. Rev Bras Enferm. 2009;62(5):670-4.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    05 Maio 2015
  • Data do Fascículo
    2013

Histórico

  • Recebido
    14 Ago 2012
  • Aceito
    10 Dez 2013
Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Avenida Horácio Macedo, S/N, CEP: 21941-598, Tel.: (55 21) 3938 9494 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@iesc.ufrj.br