A universalização e o acesso à saúde: consensos e dissensos entre profissionais e usuários

The universalization and access to health: consensus and disagreement between professionals and users

Denize Cristina de Oliveira Hellen Pollyanna Mantelo Cecilio Antonio Marcos Tosoli Gomes Sérgio Corrêa Marques Thelma Spindola Ana Paula Munhen de Pontes Sobre os autores

Resumo

Objetivo

Analisar a representação social do acesso ao sistema de saúde, antes e depois da implantação do Sistema Único de Saúde, na visão dos profissionais de saúde e dos usuários.

Métodos

Estudo pautado na Teoria das Representações Sociais, desenvolvido em seis instituições de saúde no município do Rio de Janeiro. A amostra de conveniência foi composta por 102 profissionais de saúde e 104 usuários. A coleta de dados foi realizada entre 2009 e 2010, por meio de entrevistas semidirigidas e a análise do corpus foi realizada pela técnica de análise lexical mecanizada, no software Alceste.

Resultados

As unidades de contexto elementares foram divididas em dois grandes blocos temáticos, que discutem a saúde como direito de todos e dever do Estado. Os entrevistados apontam diferenças entre o antes e o depois da implantação do novo sistema de saúde, que assegura o acesso a todos, independentemente do vínculo empregatício, porém consideram tal característica como responsável pela demanda excessiva e demora no atendimento.

Conclusão

A dimensão das atitudes da representação mostra um posicionamento negativo frente às dificuldades de implementação do sistema e positivo diante dos direitos conquistados, além do conhecimento fragmentado dos princípios do Sistema Único de Saúde.

Palavras-chave:
acesso aos serviços de saúde; equidade no acesso; acesso universal aos serviços de saúde; sistema único de saúde

Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Avenida Horácio Macedo, S/N, CEP: 21941-598, Tel.: (55 21) 3938 9494 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@iesc.ufrj.br