Escolha da via de parto pela mulher: autonomia ou indução?

Choice of delivery method by the woman: autonomy or induction?

Welder Geison Weidle Cássia Regina Gotler Medeiros Magali Teresinha Quevedo Grave Simone Morelo Dal Bosco Sobre os autores

Este estudo teve como objetivo conhecer a percepção e preferência de gestantes e puérperas sobre o parto vaginal e cesáreo. Pesquisa transversal, de caráter exploratório, com abordagem quanti-qualitativa, ocorrida em quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de um município de pequeno porte do Vale do Taquari. A amostra foi composta por 81 gestantes, o que significa 20,88% dos nascimentos anuais, e 28,72% das gestantes cadastradas no Sistema de Informações do Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento do Ministério da Saúde (SISPRENATAL); destas, 75% (n=61) preferem o parto vaginal e 25% (n=20), o parto abdominal. Estes dados indicam que a preferência referida pelas gestantes não influencia no tipo de parto realizado, pois o índice de cesáreas do município em questão é de 89%. Foram entrevistadas três puérperas que realizaram partos abdominais e na concepção destas o parto vaginal oferece mais risco na parturição. Conclui-se que a humanização da atenção no pré-natal e ao parto, com indicação médica baseada em evidências, pode contribuir para a redução do percentual de cesarianas, pois o estudo mostra que estas não têm ocorrido, na maioria das vezes, por escolha da mulher.

parto; cesárea; tendências; assistência perinatal


Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Avenida Horácio Macedo, S/N, CEP: 21941-598, Tel.: (55 21) 3938 9494 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@iesc.ufrj.br