Accessibility / Report Error

Níveis de suplementação de novilhos mestiços mantidos a pasto

Supplementation levels of crossbred steers on pasture

Resumos

Objetivou-se com este trabalho avaliar níveis crescentes de concentrado na engorda de novilhos mestiços, suplementados a pasto no período seco do ano. O experimento foi conduzido no Setor de Bovinocultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras UFLA, entre os meses de Abril a Junho de 2002. Foram utilizados 24 bovinos mestiços (Holandês x Zebu), machos, castrados e com peso vivo médio de 281 kg, no início do experimento. Durante o período experimental os animais foram alojados em uma pastagem de Brachiaria brizanta, com área de 11,5 ha e disponibilidade média de 2685 e 2260 kg/Ms/ha, no início e final do experimento, respectivamente. Os tratamentos constituíram-se de níveis crescentes de concentrado (80% MDPS e 20% caroço de algodão), calculados como percentual do peso vivo do animal, como segue: T1 - 0%; T2 - 0,2%; T3 0,4%; T4 0,6%, e ajustados a cada 7 dias após a realização de pesagens. O experimento foi delineado em blocos casualizados, com peso vivo inicial como fator de blocagem, sendo 6 blocos e 4 tratamentos, totalizando 24 parcelas experimentais. Para análise dos dados utilizou-se o software estatístico SAEG. Os resultados mostraram que: houve efeito significativo, com ajuste linear, dos níveis de concentrado no ganho de peso diário, com ponto de máximo de 0,6% do PV. Quanto maior o nível de concentrado maior o ganho de peso. Considerando a relação receita:despesa e a conversão alimentar, o nível de 0,4% PV foi o mais indicado por oferecer melhor relação custo: benefício e uma melhor conversão alimentar.

Brachiaria brizantha; ganho de peso vivo; novilhos Holandês x Zebu; níveis de suplementação


The objective of this work was to evaluate the use of concentrate in the fattening of pasture- supplemented crossbred steers over the dry season. The experiment was conducted in the cattle production sector at the Department of Animal Science at the University Federal of Lavras -UFLA thought out the months of April to June 2002.Twenty four crossbred cattle (Holstein x Zebu), males, castrated and with means of live weight of 281 kg were utilized. Over the experimental period, the animals were housed on a Brachiaria brizantha pasture with an area of 11.5 ha and the means forage availability of 2,685 and 2,260 kg/DM/ha at the initial and end of the experiment, respectively. The treatments consisted by increasing level of the concentrate (80% ground year corn and 20% cotton seed) calculated on a live weight percent bases of each animal: T1 0%, T2 0.2%, T3 0.4%, T-0.6% and adjusted every 7 days after weighing. The experiment was in a randomized blocks design, with initial live weight as a blocking factor, and being 6 blocks and 4 treatments, in a total of 24 experimental plots. For data analysis, the statistical software SAEG was utilized. There was a significant effect with linear adjustment of the concentrate levels on the daily weight gain with the maximum point of 0.6% of LW. The higher the level of concentrate used the greater the weight gain. However, when taking into account the income to expense ratio and feed conversion, the level of 0.4% concentrate on the bases of LWB should be indicated by resulting in the best cost: profit ratio.

Brachiaria brizantha; Holstein x Zebu steers; liveweight gain; suplementation


ZOOTECNIA E MEDICINA VETERINÁRIA

Níveis de suplementação de novilhos mestiços mantidos a pasto* * Extraído da Dissertação de Mestrado apresentada pelo primeiro autor à Universidade Federal de Lavras/UFLA Cx. P. 3037 37.200-000 Lavras, MG.

Supplementation levels of crossbred steers on pasture

Marcia Martins LeãoI; Ivo Francisco de AndradeII; Afranio Afonso Ferrari BaiãoIII; Edinéia Alves Moreira BaiãoIII; Leonardo Alves Moreira BaiãoIV, Juan Ramón Olalquiaga PérezII, Rilke Tadeu Fonseca de FreitasII

IZootecnista aluna do Curso de Pós-graduação em Zootecnia/UFLA Av. João Quintiliano Leão, 172 Solar Camprestre Rio Verde, GO 75907-510 marciabesi@bol.com.br

IIProfessores do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras/UFLA

III Alunos do Curso de Pós- Graduação em Zootecnia/UFLA

IVAluno do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Espírito Santo

RESUMO

Objetivou-se com este trabalho avaliar níveis crescentes de concentrado na engorda de novilhos mestiços, suplementados a pasto no período seco do ano. O experimento foi conduzido no Setor de Bovinocultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras UFLA, entre os meses de Abril a Junho de 2002. Foram utilizados 24 bovinos mestiços (Holandês x Zebu), machos, castrados e com peso vivo médio de 281 kg, no início do experimento. Durante o período experimental os animais foram alojados em uma pastagem de Brachiaria brizanta, com área de 11,5 ha e disponibilidade média de 2685 e 2260 kg/Ms/ha, no início e final do experimento, respectivamente. Os tratamentos constituíram-se de níveis crescentes de concentrado (80% MDPS e 20% caroço de algodão), calculados como percentual do peso vivo do animal, como segue: T1 - 0%; T2 - 0,2%; T3 0,4%; T4 0,6%, e ajustados a cada 7 dias após a realização de pesagens. O experimento foi delineado em blocos casualizados, com peso vivo inicial como fator de blocagem, sendo 6 blocos e 4 tratamentos, totalizando 24 parcelas experimentais. Para análise dos dados utilizou-se o software estatístico SAEG. Os resultados mostraram que: houve efeito significativo, com ajuste linear, dos níveis de concentrado no ganho de peso diário, com ponto de máximo de 0,6% do PV. Quanto maior o nível de concentrado maior o ganho de peso. Considerando a relação receita:despesa e a conversão alimentar, o nível de 0,4% PV foi o mais indicado por oferecer melhor relação custo: benefício e uma melhor conversão alimentar.

Termos para indexação: Brachiaria brizantha, ganho de peso vivo, novilhos Holandês x Zebu, níveis de suplementação.

ABSTRACT

The objective of this work was to evaluate the use of concentrate in the fattening of pasture- supplemented crossbred steers over the dry season. The experiment was conducted in the cattle production sector at the Department of Animal Science at the University Federal of Lavras -UFLA thought out the months of April to June 2002.Twenty four crossbred cattle (Holstein x Zebu), males, castrated and with means of live weight of 281 kg were utilized. Over the experimental period, the animals were housed on a Brachiaria brizantha pasture with an area of 11.5 ha and the means forage availability of 2,685 and 2,260 kg/DM/ha at the initial and end of the experiment, respectively. The treatments consisted by increasing level of the concentrate (80% ground year corn and 20% cotton seed) calculated on a live weight percent bases of each animal: T1 0%, T2 0.2%, T3 0.4%, T-0.6% and adjusted every 7 days after weighing. The experiment was in a randomized blocks design, with initial live weight as a blocking factor, and being 6 blocks and 4 treatments, in a total of 24 experimental plots. For data analysis, the statistical software SAEG was utilized. There was a significant effect with linear adjustment of the concentrate levels on the daily weight gain with the maximum point of 0.6% of LW. The higher the level of concentrate used the greater the weight gain. However, when taking into account the income to expense ratio and feed conversion, the level of 0.4% concentrate on the bases of LWB should be indicated by resulting in the best cost: profit ratio.

Index Terms: Brachiaria brizantha, Holstein x Zebu steers, liveweight gain, suplementation.

INTRODUÇÃO

A pecuária de corte nacional, como todas as atividades produtivas, passa por uma transição. O cenário atual do mercado de carnes pressupõe a evolução dos sistemas de produção no sentido de buscar eficiência e qualidade do produto, visando obter competitividade, sustentabilidade e ganho de peso durante o ano inteiro, diminuindo a idade de abate.

No Brasil, os bovinos de corte em sua maioria são criados exclusivamente a pasto, e por isso são sujeitos à estacionalidade típica de produção das forrageiras tropicais, gerada por fatores climáticos que estabelecem duas estações distintas: uma estação chuvosa de novembro a março e uma estação seca de abril a outubro.

No período chuvoso, as altas taxas de precipitação pluviométrica, a alta intensidade luminosa, os dias mais longos e as temperaturas altas favorecem o crescimento das plantas forrageiras, aumentando sua disponibilidade, qualidade e, conseqüentemente, a produção animal, resultando em uma maior oferta de animais para o abate e preços de mercado mais baixos.

Na época seca do ano, as baixas taxas de precipitação e temperaturas baixas reduzem o crescimento e a qualidade da forragem, comprometendo o desempenho dos animais, caracterizando o período de entressafra, em que a oferta de animais para o abate é menor e os preços são maiores, estimulando a adoção de sistemas alternativos de engorda neste período.

A suplementação de bovinos de corte em pastejo é necessária quando os nutrientes não são fornecidos pela forragem de forma balanceada adequadamente e/ou em quantidade suficiente para satisfazer os requerimentos do animal e/ou as expectativas de desempenho.

Uma estratégia de suplementação adequada seria aquela destinada a maximizar o consumo e a digestibilidade da forragem disponível (PAULINO, 2000).

A condição para a adoção da suplementação dentro dos sistemas de produção de carne é que ela atenda a uma relação custo/benefício favorável. Para determinar benefícios, é necessário conhecer o custo atual do suplemento (R$/kg) e compará-lo ao valor do ganho de peso adicional correspondente (R$/arroba).

Deve-se considerar as vantagens indiretas da suplementação, tais como menor tempo de permanência dos animais na pastagem, maior flexibilidade na taxa de lotação e novas oportunidades de negócios.

Finalmente, deve-se lembrar que a necessidade da suplementação varia em função da expectativa de cada propriedade rural (meta), da quantidade e qualidade da pastagem (manejo adotado) e das condições climáticas reinantes.

Neste contexto, uma das alternativas para solucionar os problemas decorrentes do baixo desfrute do rebanho é a suplementação a pasto.

Objetivou-se com este trabalho avaliar o nível de suplemento mais adequado dos pontos de vista técnico e econômico para animais em crescimento no período de transição água-seca, em pastagens de Brachiaria brizantha.

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi realizado no Setor de Bovinocultura do DZO/UFLA, em uma área de 11,5 ha, no município de Lavras, Minas Gerais.

Os dados relativos à temperatura, precipitação pluviométrica e umidade relativa do ar durante o período pré e experimental, são apresentados na Tabela1.

O período experimental teve duração de 84 dias, iniciando-se no dia 30/03/2002 e terminando dia 30/06/2002. Este foi o período em que os animais permaneceram em uma pastagem de braquiária e receberam os tratamentos.

Foram utilizados 24 animais machos mestiços (Holandês x Zebu), castrados, oriundos de rebanhos leiteiros da região. O desempenho dos animais foi calculado referindo-se a 22 dos 24 animais; houve uma parcela perdida em dois blocos, pois no decorrer do experimento estes animais tiveram problemas de saúde, perderam peso e não se recuperaram a tempo.

Os animais tiveram peso vivo médio inicial de 281 ± 37,84 kg, apresentando boa aparência e boa saúde.

Durante o período experimental, permaneceram em uma pastagem de Brachiaria brizantha com área de 11,5 ha e disponibilidade média, no início do experimento, de 2685 kg/ha de MS, e receberam a suplementação em 18 baias individuais, medindo cada uma 2 m2. Os animais foram pesados semanalmente em uma balança tipo brete com capacidade de 1.500 kg.

Esta pastagem dispunha de cochos para suplementação mineral e água.

O delineamento foi o de Blocos Casualizados (DBC), com 4 tratamentos e 6 repetições (blocos), totalizando 24 parcelas experimentais.

O experimento foi constituído de 4 (quatro) tratamentos e consistiu no fornecimento de níveis crescentes de concentrado protéico-energético, sendo este da ordem de 0; 0,2; 0,4 e 0,6% do peso vivo dos animais em concentrado, diariamente.

O suplemento mineral foi fornecido ad libitum para os animais na área de pastejo, que dispunha de cocho próprio.

A composição do suplemento é apresentada na Tabela 2 e os teores médios de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), nutrientes digestíveis totais (NDT), cálcio (Ca), fósforo (P), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA) dos ingredientes e do suplemento encontram-se na Tabela 3.

Os animais eram recolhidos em baias individuais no período da tarde (12 h), recebiam o suplemento e permaneciam no local até o final da ingestão do alimento, quando retornavam à pastagem.

O desempenho dos animais foi avaliado por meio de pesagens semanais, sem jejum prévio, para se ajustar a quantidade de suplemento fornecido de acordo com o peso de cada animal.

A disponibilidade da forragem e a sua composição bromatológica foram estimadas por amostragem no início do período de suplementação e posteriormente, a cada 30 dias, usando corte rente ao chão, utilizando-se um quadrado de 1m2, lançado aleatoriamente sobre a pastagem.

As amostras colhidas foram pesadas e destas foram retiradas amostras, compondo uma amostra composta. Em seguida, foram levadas para o Laboratório de Nutrição Animal do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras para análises bromatológicas.

As amostras foram secas ao ar, em estufa de ventilação forçada a 65ºC por 72 horas, para determinação da matéria pré-seca; posteriormente foram moídas em moinho de faca tipo Willey de 30 "meshs" para determinação da matéria seca a 105ºC, a proteína bruta, o cálcio, o fósforo (SILVA, 1998), a fibra em detergente neutro e a fibra em detergente ácido (SOEST et al., 1991).

Com a determinação da matéria seca das amostras, foi calculada a disponibilidade de matéria seca na pastagem.

Para a amostragem dos ingredientes do suplemento, foram realizadas amostras compostas de cada um componentes (MDPS e caroço de algodão), em cada data de compra, para posterior análise laboratorial.

Os dados coletados foram submetidos à análise de variância, desdobrando-se o efeito de tratamento nos componentes de regressão polinomial em relação aos níveis de concentrado protéico-energético. A análise estatística dos resultados foi feita utilizando o software estatístico SAEG, proposto por Euclides (1997).

O modelo estatístico usado foi:

Yij = m + ti + bj + eij

Em que:

Yij - Valor observado da parcela que recebeu o tratamento i, no bloco j;

m - Uma constante associada a todas as observações;

ti - Efeito do tratamento i, com i = 1, 2, 3, 4;

bj - Efeito do bloco j, com j = 1, 2, 3,.... ni;

eij - Erro experimental da parcela que recebeu o tratamento i, no bloco j, que por hipótese tem distribuição normal, com média zero e variância d.²

Para a análise de viabilidade econômica foram utilizadas as cotações dos preços em Real (R$) dos diversos itens orçamentários. Para o cálculo da receita:despesa, os valores foram coletados de modo a refletir, de maneira aproximada, o que seria feito caso o produtor implantasse, na propriedade, neste ano, nestas condições, um sistema semelhante.

Os preços do caroço de algodão, sal mineral, vermífugo e medicamentos foram tomados na Cooperativa Agrícola Alto Rio Grande (CAARG) de Lavras, considerando que o produtor faria a melhor opção por comprar os alimentos estrategicamente no mês do ano em que estes estivessem mais baratos. O valor do milho desintegrado com palha e sabugo foi calculado usando o preço do mês de fevereiro, em levantamento feito entre os produtores da região. O preço do boi foi estimado em R$ 33,00/@, o do milho desintegrado com palha e sabugo foi de R$ 0,21/kg e o caroço de algodão foi de R$ 0,25/kg, vigente no município de Lavras no mês de fevereiro de 2002.

O preço da mão-de-obra foi estimado tendo como base meio salário mínimo, considerando que o funcionário precisaria de apenas meio dia para tratar dos animais, sendo a outra metade do salário paga por outras atividades da fazenda.

O custo da alimentação volumosa foi estimado com base em aluguel de pastagem na região, que é de um quilo de carne de primeira por animal, por mês, sendo usado como referência o mês de abril, logo ao início do experimento, e o valor estimado de uma pastagem semelhante foi de R$ 6,00/animal/mês.

A receita foi calculada utilizando-se o preço real de venda dos animais na base de arroba. A divisão da receita total pelo custo total resultou na relação receita:despesa.

A disponibilidade média de matéria seca (MS) na pastagem durante os períodos pré-experimental e experimental pode ser observada na Tabela 4.

A Tabela 5 ilustra as variações da composição bromatológica da forragem nos períodos pré e experimental estão apresentadas na Tabela 5.

Os valores relativos ao peso médio inicial e final e ganho de peso médio diário e final estão relacionados na Tabela 6.

A análise de variância do ganho de peso diário revelou uma resposta linear em relação aos níveis de suplemento utilizados no experimento, apresentada na Figura 1.


O estudo dessa regressão linear permite dizer que quanto maior o nível de suplemento, maior o ganho de peso diário (dentro do intervalo estudado de 0 a 0,6% PV); portanto, o fornecimento de 0,6% de concentrado na base do PV foi o nível de melhor resposta, o que resultou em um ganho de peso de 0,516 kg por dia.

No presente trabalho, a melhor resposta em ganho foi no nível de 0,6% do PV, valor inferior ao observado por Euclides et al. (1998), que foi de 0,8% PV, bem como por alguns outros autores, como Almeida & Azevedo (1999), 1% do PV; Paulino (1999), entre 0,8 a 1% do PV; e Bomfim (2000), de 0,84% do PV. O ganho de peso diário de 0,516 kg encontrado neste estudo foi superior ao obtido por Zimmer & Euclides (1997), de 0,450 kg com fornecimento de concentrado a 0,87% PV. O ganho encontrado por Euclides et al. (1998), de 0,417 kg, é menor do que aquele encontrado neste estudo (0,516) devido à menor oferta de forragem (2,0 t/ha de MS) e ao valor menor de PB (6,8%) naquele estudo.

Os valores médios da receita (R$/animal/dia), da despesa (R$/animal/dia) e da relação receita: despesa são apresentados na Tabela 7.

Como a conversão melhorou do nível (0,2%PV) para o nível (0,4% PV) (Tabela 8), a relação receita:despesa apresentou o mesmo comportamento, crescendo até o nível de 0,4% do PV e reduzindo, a partir deste ponto, em função da despesa ter sido maior que a receita no tratamento de 0,6% PV de suplementação, apresentando um prejuízo.

O percentual de participação da despesa de aquisição dos animais variou de 78,6 a 89,9%, sendo este o maior custo no processo, seguido pelo alto custo da pastagem até o nível de 0,2% PV; a partir de 0,4% PV o custo do suplemento superou o da pastagem e, por fim, a mão-de-obra e os vermífugos. Daí a necessidade de se reafirmar a importância da despesa com a aquisição do animal na rentabilidade da engorda a pasto.

Tomando-se por base o preço da arroba no início do experimento (R$ 33,00), e que ao final do experimento estava a R$ 36,00, houve tendência de maior rentabilidade para o tratamento 0,4% do PV. Este resultado pode ser justificado pelo ganho de peso e pela relação entre o consumo de suplemento e ganhos adicionais de peso neste nível de suplementação.

CONCLUSÄO

Conclui-se, no presente experimento, que a engorda de novilhos Holandês x Zebu suplementados a pasto é técnica e economicamente viável, com melhor desempenho ao nível de 0,4% do PV de suplemento com concentrado, embora o melhor desempenho em ganho de peso tenha sido observado ao nível de 0,6% do PV.

(Recebido para publicação em 31 de março de 2003 e aprovado em 4 de fevereiro de 2005)

  • ALMEIDA, A. J. de; AZEVEDO, C. Semiconfinamento São Paulo: Globo, 1999. 184 p.
  • BOMFIM, M. A. D. Níveis de concentrado na terminação de novilhos Holandês x Zebu suplementados a pasto na estação seca 2000. 62 p. Dissertação (Mestrado em zootecnia) Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2000.
  • EUCLYDES, R. F. Manual de utilização do programa SAEG (Sistema para Análises Estatísticas e Genéticas) Viçosa: UFV, 1997. 150 p.
  • EUCLIDES, V. P. B.; EUCLIDES FILHO, K.; ARRUDA, Z. J. Desempenho de novilhos em pastagens de Brachiaria decumbens submetidos a diferentes regimes alimentares. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 27, n. 2, p. 246-252, mar./abr. 1998.
  • PAULINO, M. F. Misturas múltiplas na nutrição de bovinos de corte a pasto. In: SIMPÓSIO GOIANO SOBRE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE, 1999, Goiânia. Anais... Goiânia: UFG, 1999. p. 95-104.
  • PAULINO, M. F. Suplementação de bovinos em pastejo. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 21, n. 205, p. 96-106, 2000.
  • SILVA, D. J. Análise de alimentos: métodos químicos e biológicos. Viçosa: UFV, 1998. 165 p.
  • SOEST, P. J. van; ROBERTSON, J. B.; LEWIS, B. A. Methods for dietary fiber, neutral detergent fiber, and nonstartch polysaccharides in: animal nutricion. Journal of Animal Science, Champaign, v. 74, n. 10, p. 3583-3597, Oct. 1991.
  • ZIMMER, A. H.; EUCLIDES, F. K. As pastagens e a pecuária de corte brasileira. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE PRODUÇÃO ANIMAL EM PASTEJO, 1997, Viçosa. Anais... Viçosa: UFV, 1997. p. 349-379.
  • *
    Extraído da Dissertação de Mestrado apresentada pelo primeiro autor à Universidade Federal de Lavras/UFLA Cx. P. 3037 37.200-000 Lavras, MG.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      18 Ago 2008
    • Data do Fascículo
      Out 2005

    Histórico

    • Aceito
      04 Fev 2005
    • Recebido
      31 Mar 2003
    Editora da Universidade Federal de Lavras Editora da UFLA, Caixa Postal 3037 - 37200-900 - Lavras - MG - Brasil, Telefone: 35 3829-1115 - Lavras - MG - Brazil
    E-mail: revista.ca.editora@ufla.br