Influência de sanificantes nas características microbiológicas, físicas e físico-químicas de cebola (Allium cepa L.) minimamente processada

Effect of sanitizers on the microbial, physical and physical-chemical characteristics of fresh-cut onions (Allium cepa L)

Karla Michalsky Carvalho Beerli Eduardo Valério de Barros Vilas Boas Roberta Hilsdorf Piccoli Sobre os autores

Objetivou-se com esta pesquisa avaliar a influência dos sanificantes peróxido de hidrogênio (H2O2) e dicloro isocianurato de sódio (NaDCC) sobre a vida de prateleira da cebola (Allium cepa L.) minimamente processada, com base no desenvolvimento da microbiota e características físicas e físico-químicas. As cebolas foram previamente lavadas, descascadas e fatiadas. Foram testados 6 tratamentos em 3 blocos casualizados. Os tratamentos foram: controle, H2O2 (2%), H2O2 (4%), H2O2 (6%), NaDCC (50ppm) e NaDCC (100ppm). Após a sanificação, as cebolas foram embaladas e armazenadas durante 7 dias a 4ºC. A cada dia, uma bandeja de cada tratamento foi retirada e utilizada para coleta de amostras, para realização das seguintes análises: contagem padrão de microrganismos aeróbios mesófilos, contagem total de microrganismos aeróbios psicrotróficos, quantificação de fungos e leveduras, quantificação de coliformes a 35ºC e a 45ºC, sólidos solúveis totais (SST), pH, determinação da acidez total titulável (ATT), textura e perda de massa. Menores contagens de aeróbios mesófilos foram encontradas nos tratamentos com H2O2; todos os tratamentos, exceto o controle, foram eficientes para redução dos aeróbios psicrotróficos e coliformes a 35ºC; não foram encontrados coliformes a 45ºC em nenhum dos tratamentos; apenas os tratamentos com 4% e 6% de H2O2 reduziram os valores de fungos e leveduras; não houve diferenças entre os tratamentos para as análises de SST e perda de massa; foram obtidos maiores valores de pH para os tratamentos com NaDCC; menores valores de ATT foram encontrados nos tratamentos com H2O2 (4%), H2O2 (6%) e NaDCC (50 ppm) e maiores resultados de textura foram obtidos nos tratamentos com H2O2 (4%) e H2O2 (6%). De acordo com as condições deste experimento, concluiu-se que o H2O2, nas concentrações de 4% e 6%, foi mais eficiente como sanificante para cebolas minimamente processadas do que o NaDCC; segundo os parâmetros analisados, a qualidade da cebola se manteve adequada para o consumo em todos os tratamentos até o sétimo dia após o processamento, incluindo o tratamento-controle (sem sanificante).

Cebola; processamento mínimo; sanificantes; microrganismos


Editora da UFLA Editora da UFLA, Caixa Postal 3037 - 37200-900 - Lavras - MG - Brasil, Telefone: 35 3829-1115 - Lavras - MG - Brazil
E-mail: revista.ca.editora@ufla.br