Produção da capuchinha em cultivo solteiro e consorciado com os repolhos verde e roxo sob dois arranjos de plantas

Yield of nasturtium in monocrop and intercropped with 'green' and 'purple' cabbage under two arrangements of plants

Objetivou-se, neste trabalho, estudar a produção de flores da capuchinha e das " cabeças" do repolho, cultivadas como culturas solteiras e consorciadas. Foi estudada a capuchinha 'Jewel' (Ca), em cultivo solteiro e consorciado com os repolhos de folhas verdes 'Sooshu' (RV) ou roxas 'Red Extra Early' (RR), sob duas (2) ou três (3) fileiras de plantas no canteiro. Os dez tratamentos resultantes (Ca2, Ca3, RV2, RV3, RR2, RR3, Ca2RV3, Ca3RV2, Ca2RR3, Ca3RR2) foram arranjados no delineamento experimental blocos casualizados, com três repetições. As colheitas das flores da capuchinha foram efetuadas entre 30 e 155 dias após o transplante (DAT) e as das " cabeças" dos repolhos, entre 102 e 140 DAT. O maior número de flores e a maior massa fresca das flores da capuchinha foi em cultivo solteiro (12.022.220 ha-1 e 8,20 t ha-1, respectivamente). No consórcio, os maiores valores foram com o repolho roxo (7.555.560 ha-1 e 5,04 t ha-1, respectivamente). As produções médias de massas fresca das " cabeças" do repolho com folhas verdes em cultivo solteiro e consorciado foram de 33,78 e 35,76 t ha-1 e do repolho roxo foram de 23,19 e 19,50 t ha-1, respectivamente. O cálculo da razão de área equivalente foi de 1,56 (Ca2RV3), 1,33 (Ca3RV2), 1,30 (Ca2RR3) e 1,45 (Ca3RR2), indicando ser viável cultivar em consórcio. Considerando a renda bruta, pode-se concluir que o consórcio da capuchinha e do repolho foi viável para o produtor de repolho, devendo optar-se pelo arranjo Ca2RV3. O produtor de capuchinha deve optar pelo cultivo solteiro, com duas fileiras no canteiro.

Brassica oleracea var. capitata; Tropaeolum majus; crop association


Editora da Universidade Federal de Lavras Editora UFLA, Caixa Postal 3037, 37200-000 Lavras, MG-Brasil - Lavras - MG - Brazil
E-mail: editora@ufla.br