Avaliação de tipos de enxertia e recipientes para produção de mudas de gravioleira (Annona muricata L.)

Evaluation of grafting types and containers for the production of soursop tree (Annona muricata L.)

Resumos

Na fruticultura moderna, é importante a busca de métodos de cultivo para a redução do tempo de produção. Nesse sentido, o emprego de técnicas de enxertia é fundamental. No Campo Experimental do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas-UFAL, sob as condições de viveiro, foi conduzido um experimento com gravioleira (Annona muricata L.). O objetivo foi avaliar os efeitos de três métodos de enxertia sobre a porcentagem de pegamento do enxerto. Os métodos de enxertia utilizados foram por borbulhia em escudo, garfagem à inglesa simples e garfagem em fenda cheia, combinado com duas cultivares de gravioleira (Gigante das Alagoas e Crioula) e dois recipientes para mudas (sacos de polietileno e tubetes), empregando-se porta-enxertos com idade de 95 dias após a emergência. Foi avaliado o pegamento do enxerto aos 60 e 90 dias após a enxertia. Verificou-se que a cultivar Gigante das Alagoas foi superior à Crioula quanto ao pegamento do enxerto aos 60 e 90 dias após a enxertia. O melhor método de enxertia dependeu do tipo de recipiente, pois, quando se utilizaram sacos de polietileno, o método de enxertia por borbulhia em escudo foi superior aos de garfagens nas avaliações realizadas aos 60 e 90 dias após a enxertia, apresentando a percentagem média de pegamento do enxerto de 100 e 95%, respectivamente. Entretanto, utilizando recipientes de tubetes, todos os três métodos de enxertia testados apresentaram porcentagem média de pegamento do enxerto superior a 75%, porém, não diferiram estatisticamente entre si. Por meio desses resultados, verifica-se que é possível reduzir o tamanho do recipiente, sem perder a eficiência e a qualidade das mudas.

Annona muricata; grafting; budding; asexual propagation; soursop tree


In modern fruit culture, the search for cropping methods for reduction of production time is important. In this sense, the use of grafting techniques is fundamental. In the Experimental Field of the Center of Agricultural Sciences of the Federal University of Alagoas-UFAL, under the nursery conditions, an experiment with soursop tree (Annona muricata L.) was conducted. The objective was to evaluate the effects of three grafting methods on the percentage of soursop tree. The grafting methods utilized were by the green strip budding, whip grafting and the top cleft grafting associated with two soursop tree cultivars (Gigante das Alagoas and Crioula) and two containers for seedlings (polyethylene bags and tubes), by employing rootstocks aged 95 days after emergence. It was found that the ‘Gigante das Alagoas’ showed a better performance than ‘Crioula’ concerning graft establishment at 60 and 90 days after grafting. The best grafting method depended upon the container type utilized. When the polyethylene bags were employed the green strip budding grafting method showed a better performance than grafting methods in the evaluations performed at 60 and 90 days after grafting, presenting the average percentage of graft establishment of 100 and 95%, respectively. Nevertheless, by utilizing tube containers, all the three grafting methods tested presented average percentage of graft establishment higher than 75% but, they did not differ statistically. These results showed it is possible to reduce the size of the container, without missing the efficiency and quality of soursop trees.

Annona muricata; grafting; budding; asexual propagation; soursop tree


a03

Avaliação de tipos de enxertia e recipientes para produção de mudas de gravioleira (Annona muricata L.)1 1 Extraído da tese apresentada pelo primeiro autor para a obtenção do título de Doutor junto à Universidade Fede-ral de Lavras/UFLA – Caixa Postal 37 – 37200-000 – Lavras, MG.

Evaluation of grafting types and containers for the production of soursop tree (Annona muricata L.)

Mário Couquiti KitamuraI; José Darlan RamosII; Eurico E. Pinto de LemosIII

IEngenheiro Agrônomo, M.Sc., Dr., Professor Adjunto, UFRR, Km 12, Boa Vista, RR, 69.301-970, E-mail: couquiti@uol.com.br

IIEngenheiro Agrônomo, M.Sc., Dr., Professor Adjunto/UFLA, E-mail: darlan@ufla.br

IIIEngenheiro Agrônomo, M.Sc, Ph.D., Professor Adjunto, UFAL, BR 104, km 14, Maceió, AL, 57072-970, E-mail: eepl@uol.com.br

RESUMO

Na fruticultura moderna, é importante a busca de métodos de cultivo para a redução do tempo de produção. Nesse sentido, o emprego de técnicas de enxertia é fundamental. No Campo Experimental do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas-UFAL, sob as condições de viveiro, foi conduzido um experimento com gravioleira (Annona muricata L.). O objetivo foi avaliar os efeitos de três métodos de enxertia sobre a porcentagem de pegamento do enxerto. Os métodos de enxertia utilizados foram por borbulhia em escudo, garfagem à inglesa simples e garfagem em fenda cheia, combinado com duas cultivares de gravioleira (Gigante das Alagoas e Crioula) e dois recipientes para mudas (sacos de polietileno e tubetes), empregando-se porta-enxertos com idade de 95 dias após a emergência. Foi avaliado o pegamento do enxerto aos 60 e 90 dias após a enxertia. Verificou-se que a cultivar Gigante das Alagoas foi superior à Crioula quanto ao pegamento do enxerto aos 60 e 90 dias após a enxertia. O melhor método de enxertia dependeu do tipo de recipiente, pois, quando se utilizaram sacos de polietileno, o método de enxertia por borbulhia em escudo foi superior aos de garfagens nas avaliações realizadas aos 60 e 90 dias após a enxertia, apresentando a percentagem média de pegamento do enxerto de 100 e 95%, respectivamente. Entretanto, utilizando recipientes de tubetes, todos os três métodos de enxertia testados apresentaram porcentagem média de pegamento do enxerto superior a 75%, porém, não diferiram estatisticamente entre si. Por meio desses resultados, verifica-se que é possível reduzir o tamanho do recipiente, sem perder a eficiência e a qualidade das mudas.

Termos para indexação:Annona muricata, anonácea, borbulhia, garfagem, propagação vegetativa, gravioleira.

ABSTRACT

In modern fruit culture, the search for cropping methods for reduction of production time is important. In this sense, the use of grafting techniques is fundamental. In the Experimental Field of the Center of Agricultural Sciences of the Federal University of Alagoas-UFAL, under the nursery conditions, an experiment with soursop tree (Annona muricata L.) was conducted. The objective was to evaluate the effects of three grafting methods on the percentage of soursop tree. The grafting methods utilized were by the green strip budding, whip grafting and the top cleft grafting associated with two soursop tree cultivars (Gigante das Alagoas and Crioula) and two containers for seedlings (polyethylene bags and tubes), by employing rootstocks aged 95 days after emergence. It was found that the ‘Gigante das Alagoas’ showed a better performance than ‘Crioula’ concerning graft establishment at 60 and 90 days after grafting. The best grafting method depended upon the container type utilized. When the polyethylene bags were employed the green strip budding grafting method showed a better performance than grafting methods in the evaluations performed at 60 and 90 days after grafting, presenting the average percentage of graft establishment of 100 and 95%, respectively. Nevertheless, by utilizing tube containers, all the three grafting methods tested presented average percentage of graft establishment higher than 75% but, they did not differ statistically. These results showed it is possible to reduce the size of the container, without missing the efficiency and quality of soursop trees.

Index terms:Annona muricata, grafting, budding, asexual propagation, soursop tree.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

(Recebido para publicação em 24 de junho de 2003 e aprovado em 26 de agosto de 2003)

  • ARANGO, F. T. La guanábana (Annona muricata L.). Revista Esso Agrícola, Săo Paulo, v. 21, n. 2, p. 5-10, 1975.
  • BANKAR, G. J. Vegetative propagation in annonas (Annona squamosa L.).  Haryana  Journal  of  Horticultural Sciences, Haryana, v. 18, n. 1/2, p. 10-13, 1989.
  • BOURKE, D. O. Annona ssp. In: GARNER, R. J. The propagation of tropical fruit trees Farnham Royal: FAO/CAB, 1976. 566 p.
  • CASAS, H. M.; VICTORIA, M. A. S.; ZAROTE, R. D. R. Ensaios preliminares de propagation sexual y asexual de guanabano (Annona muricata L.). Acta agronomy, Palmira, v. 34, n. 4, p. 66-81, oct./dic. 1984.
  • FREITAS, G. B. Propagaçăo, florescimento, frutificaçăo e produçăo da gravioleira (Annona muricata L.) 1997. 87 f. Tese (Doutorado em fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1997.
  • GENÚ, P. J. de C.; RAMOS, V. H. V.; JUNQUEIRA, N. T. V.; PINTO, A. C. de Q. Instruçőes para a formaçăo de mudas de gravioleira por enxertia. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1992. 14 p. (EMBRAPA-CPAC. Circular Técnica, 28).
  • GHOLAP, S. V.; DOD, V. N.; BHARAD, S. G.; WANKAR, A. M. Studies on vegetative propagation in  bullocks  heart  (Annona reticulata L.).  Crop Research Hisar, [S.l.], v. 20, n. 1, p. 158-159, 2000.
  • HOFFMANN, A.; CHALFUN, N. N. J.; ANTUNES, L. E. C.; RAMOS, J. D.; PASQUAL, M.; SILVA, C. R. de R. Fruticultura comercial: propagaçăo de plantas  frutíferas.  Lavras:  UFLA/FAEPE,  1996. 319 p.
  • IGLESIAS, A. A.; SANCHEZ, L. A. Propagacion del guanabanoAnnona muricata L., por medio de injerto sobre diferentes patrones de anonáceas. Acta Agronômica, New York, v. 35, n. 3, p. 53-58, jul./set. 1985.
  • LEDERMAN, I. E.; BEZERRA, J. E. F.; PEDROSA, A. C.; MOURA, R. J. M. de; DANTAS, A. P. Propagaçăo vegetativa de fruteiras tropicais nativas e exóticas, em Pernambuco: técnicas desenvolvidas e adaptadas pela Empresa IPA. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE RECURSOS GENÉTICOS DE FRUTEIRAS NATIVAS, 1992, Cruz das Almas. Anais... Cruz das Almas: EMBRAPA-CNPMF, 1993. p. 105-108.
  • LEDERMAN, I. E.; SILVA, M. F. F. da; BEZERRA, J. E. F.; SANTOS, V. F. Influęncia da idade do porta-enxerto e do tipo de enxertia na propagaçăo da gravioleira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 32, n. 6, p. 613-615, jun. 1997.
  • LEDO, A. Resposta de tręs gravioleiras (Annona muricata L.) a dois métodos de enxertia. 1991. 52 f. Dissertaçăo (Mestrado) Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1991.
  • LEDO, A. da S. Evaluation of three varieties of soursop and two grafting methods in Cerrados, Central Brazil. Fruits, Paris, v. 50, n. 4, p. 299-303, Aug. 1995.
  • LINDSAY, D. W. The physiology of grafting. 1972. 170 f. Tese (PhD) - University of Edinburg, Faculty of Science, Edinburg, 1972.
  • LOPES, J. G. V.; ALMEIDA, J. I. L. de; SILVA, M. G. C. da. Ensaio preliminar com enxertias da gravioleira (Annona muricata L.). Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v. 12, n. 1, p. 7-11, 1990.
  • MATTOS, J. K. A. Vantagens e riscos de propagaçăo vegetativa. Cerrado, Brasília, v. 8, n. 31, p. 18-24, mar. 1976.
  • PÁDUA, T. Propagaçăo de árvores frutíferas. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 9, n. 101, p. 11-9, maio 1983.
  • PINTO, A. C. de Q. Produçăo e utilizaçăo da graviola e pinha Bahia: Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, 1975. (Relatório Técnico. Appendix VII-A).
  • PINTO, A. C. de Q.; SILVA, E. M. Graviola para exportaçăo: aspectos técnicos de produçăo. Brasília: EMBRAPA- SPI, 1994. 41 p. (EMBRAPA-SPI. Série Publicaçőes Técnicas Frupex, 7).

  • 1
    Extraído da tese apresentada pelo primeiro autor para a obtenção do título de Doutor junto à Universidade Fede-ral de Lavras/UFLA – Caixa Postal 37 – 37200-000 – Lavras, MG.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    22 Out 2010
  • Data do Fascículo
    Fev 2004

Histórico

  • Recebido
    24 Jun 2003
  • Aceito
    26 Ago 2003
Editora da Universidade Federal de Lavras Editora UFLA, Caixa Postal 3037, 37200-000 Lavras, MG-Brasil - Lavras - MG - Brazil
E-mail: editora@ufla.br