Desenvolvimento de germoplasma de milho precoce, tolerante ao frio e a seca para produção de energia e alimentação animal

Milho se tornou uma alternativa rentável para os agricultores e pecuaristas de North Dakota (ND). No entanto, os híbridos desenvolvidos pela indústria do Norte dos EUA ainda não têm tolerância ao frio e a seca, bem como não tem a adequada qualidade do grão para produtos como etanol e alimentação animal. Portanto, é necessário aumentar o valor das operações de alimentação animal antes e depois da utilização do etanol. O programa da North Dakota State University (NDSU) iniciou o desenvolvimento de híbridos que apresentem alto conteúdo de proteína através do projeto de milho precoce com alto conteúdo de proteína de qualidade (EarlyQPMF). O Programa da NDSU atua como um fornecedor genético para empresas de sementes básicas, companhias varejista de sementes, indústria de processamento, e melhoristas, nacionais e internacionais. Nos últimos 10 anos, NDSU obteve nove certificados de proteção (PVP) de milho e lançou 38 produtos de milho. Dentro desses, 13 linhagens foram lançadas, exclusivamente, para uma empresa de sementes básicas para fins comerciais. Alem disso, dois híbridos foram identificados para a produção comercial na região central e ocidental de North Dakota.

North Dakota; etanol; alto conteúdo de proteína de qualidade


Crop Breeding and Applied Biotechnology Universidade Federal de Viçosa, Departamento de Fitotecnia, 36570-000 Viçosa - Minas Gerais/Brasil, Tel.: (55 31)3899-2611, Fax: (55 31)3899-2611 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: cbab@ufv.br