A visita do Robert Park ao Brasil, o "homem marginal" e a Bahia como laboratório

The visit of Robert Park to Brazil, the "marginal man" and bahia as a laboratory

La visite de Robert Park au Brésil, "l'homme marginal" et Bahia servent de laboratoire

Lícia do Prado Valladares

Este artigo insere-se nas preocupações teóricas da autora sobre a recepção da "Escola de Chicago", no Brasil. Analisa a passagem de Robert Park ao final dos anos 30 na Bahia; suas motivações e os efeitos para as ciências sociais internacionais. Essa viagem é pouco conhecida e o artigo traz uma pequena colaboração para a história das ciências sociais, no Brasil e na Bahia. Baseada em dados originais de pesquisa realizada no Brasil e nos Estados Unidos, o autora considera a importância da visita de Park [e de Pierson] à Bahia. Retoma as noções clássicas de Homem Marginal, desenvolvida por Park e de melting pot, usada por Park e discípulos, ao se referirem à convivência, em Chicago, de comunidades com nacionalidades diferentes, que não se misturavam. O caso baiano, de miscigenação, intrigou Park, que acabou transformando a Bahia num "laboratório social", suscitando a vinda de outros antropólogos, e novas questões e interpretações teóricas, atualmente retomadas.

Escola de Chicago; Robert Park; Donald Pierson; relações raciais; Bahia e Brasil


Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Estrada de São Lázaro, 197 - Federação, 40.210-730 Salvador, Bahia Brasil, Tel.: (55 71) 3283-5857, Fax: (55 71) 3283-5851 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: revcrh@ufba.br