MANEJO DA VEGETAÇÃO SOB LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA SERRA DE BATURITÉ 1 1 Parte dos resultados do projeto de pesquisa desenvolvido em parceria entre a Universidade Federal do Ceará e o Instituto FRUTAL financiado pela Companhia Energética do Ceará (COELCE), com recursos do Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento do Setor Elétrico.

MANAGEMENT OF THE VEGETATION UNDER ELECTRICAL ENERGY TRANSMISSION LINES IN THE SERRA DE BATURITÉ

Francisco Alisson da Silva Xavier Teógenes Senna de Oliveira Francisca Soares de Araújo Vaneicia dos Santos Gomes Sobre os autores

RESUMO

Entre os impactos diretos causados pela instalação de redes elétricas sobre a vegetação e o solo ressaltam-se a fragmentação de trechos de mata, os efeitos de borda decorrentes da derrubada de áreas florestadas, o estabelecimento de corredores sob as linhas de transmissão de energia e a aceleração de processos erosivos do solo. Objetivou-se, no presente estudo, propor alternativas de manejo racional da cobertura vegetal de mata atlântica em áreas sob linhas de transmissão de energia elétrica (ALTEEs), instaladas na Serra de Baturité, Ceará. Foram selecionadas e delimitadas ALTEEs situadas na vertente barlavento e nos intervalos altitudinais abaixo de 600, entre 600 e 800 e acima de 800 metros, em redes de média (13,8 kV) e alta tensão (69 kV). Foram selecionadas e avaliadas áreas não-perturbadas, consideradas como referencial no estudo comparativo com as ALTEEs. Os resultados apontaram que o manejo da vegetação em áreas sob linhas de transmissão de energia deve considerar principalmente os seguintes aspectos: (1) o hábito de crescimento das espécies em áreas não-perturbadas; (2) a taxa de crescimento da vegetação; (3) ações distintas nas regiões imediatamente abaixo da rede elétrica, na faixa de servidão e acima da faixa de servidão. A execução do plano de manejo, associado às constantes avaliações técnicas, possibilitarão a adequação da metodologia para as diferentes situações ambientais da Serra de Baturité e/ou outras localidades.

Palavras-chave:
rede elétrica; Floresta Atlântica; fitossociologia; diversidade

ABSTRACT

Forest fragmentation, board effects, establishment of corridors without vegetation and the acceleration of soil erosive processes are some direct impacts occurring on the vegetation and soil due to installation of electrical transmission lines. The goal of the present study was to propose alternatives for the sustainable management of the Atlantic Forest in areas under electrical transmission lines (ALTEEs) installed in the Baturité Mountain, Ceará, Brazil. It was selected and delimited ALTEEs located in the windward slope at the altitudinal ranges below to 600, between 600 and 800 and above to 800 meters in electric networks of low (13,8 kV) and high tension (69 kV). It was also selected undisturbed areas considered as referential in comparison to the ALTEEs. The results pointed out that management of the vegetation in areas under electrical transmission lines should mainly consider the following aspects: (1) growth habit of tree species within undisturbed areas; (2) growth rates of the vegetation; (3) differentiated management procedures on the vegetation situated immediately below the electrical lines, within intervention area and beyond to the intervention area. The execution of the management plan associated to the constant technical evaluations will make possible the adaptation of the methodology for the different environmental situations in the Baturité Mountain and/or other regions.

Keywords:
eletric network; Atlantic Forest; fitossociology; diversity

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • ABREU, A.R. et al. Fatores econômicos relacionados à intervenção na vegetação para a implantação de linhas de transmissão no estado de Rondônia. Ciência Florestal, v.12, n.1, p. 153-158, 2002.
  • ANDRADE-LIMA, D. The Caatinga Dominium. Revista Brasileira de Botânica, v.4, n.2, p. 149-153, 1981.
  • BROWER, J.E.; ZAR, J.H.; von ENDE, C. N. Field and laboratory methods for general ecology. 4. ed. Boston: McGraw-Hill, 1998. 273 p.
  • CORRÊA, F. A. Reserva da Biosfera da Mata Atlântica: roteiro para o entendimento de seus objetivos e seu sistema de gestão. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas: (Série Cadernos da Reserva da Biosfera, 2). 1995.
  • FIGUEIREDO, M. A.; BARBOSA, M. A. A vegetação e flora na serra de Baturité. Coleção Mossoroense. Série B, n.747. 1990.
  • FIGUEIREDO, M.A.; NUNES, L.E.C. Aspectos Florísticos dos remanescentes de Mata Atlântica no Ceará: Uma comparação com as áreas tradicionais de ocorrência no Brasil. In: REUNIÃO NORDESTINA DE BOTÂNICA, 1996, Natal, Rio Grande do Norte. Anais ... RN: Editora, 1996.
  • FUNCEME. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Séries históricas. Disponível em: <Disponível em: http://www.funceme.br/DEPAM/download/postos/54.txt >. Acesso em: 14 junho 2005.
    » http://www.funceme.br/DEPAM/download/postos/54.txt
  • JACOMINE, P.K.T.; ALMEIDA, J.C.; MEDEIROS, L.A.R. Levantamento exploratório-reconhecimento de solos do Estado do Ceará. Recife: EMBRAPA, DPP, SUDENE. 1973. 2v. 830 p. (Boletim Técnico, 28, Série Pedológica, 16).
  • KAGEYAMA, P.; GANDARA, F. B. Restauração e conservação de ecossistemas tropicais. In: CULLEN, L.; RUDRAN, R.; VALADARES-PÁDUA, C. (Org.). Métodos de estudos em biologia da conservação e manejo da vida silvestre. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2003. p. 383-395.
  • MANTOVANI, W. Conservação de biodiversidade: importância das serras úmidas no nordeste semi-árido brasileiro. In: OLIVEIRA, T. S.; ARAÚJO, F.S. (Org.). Diversidade e Conservação da Biota na Serra de Baturité, Ceará. Fortaleza: Edições UFC, COELCE, 2006. p. 3-15.
  • MORI, S. A. et al. Southern Bahians Moist Forest. The Botanic Review, v. 49, p. 155-232, 1983.
  • OLIVEIRA, R.R.; ZAÚ, A.S. Impactos da instalação de linhas de transmissão sobre ecossistemas florestais. Floresta e Ambiente, v. 5, p. 184-191, 1998.
  • PIETROBOM, M. R.; BARROS, I. C. L. Pteridófitas de um remanescente de floresta atlântica em São Vicente Férrer, PE, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 16, p. 457-479, 2002.
  • SEBBENN, A.M. et al. Efeito do manejo na estrutura genética de populações de caixeta (Tabebuia cassinoides). Scientia Florestalis, v. 58, p. 127-143, 2000.
  • SEMACE. Superintendência Estadual do Meio Ambiente. Zoneamento ambiental da APA da Serra de Baturité: diagnóstico e diretrizes. Fortaleza: 1992. 109 p.
  • SITOE, A. Bases ecológicas para agronomia e silvicultura. Versão 3.0. Universidade Eduardo Mondlane, Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal. 94 p. 2003. Disponível em: <http://www.uem.mz/faculdade/agronomia/eflorestal/ecologia.pdf>.
    » http://www.uem.mz/faculdade/agronomia/eflorestal/ecologia.pdf
  • TABARELLI, M.; MANTOVANI, W. Clareiras naturais e a riqueza de espécies pioneiras em uma floresta atlântica montana. Revista Brasileira de Biologia, v. 59, p. 251-261, 1999.

  • 1
    Parte dos resultados do projeto de pesquisa desenvolvido em parceria entre a Universidade Federal do Ceará e o Instituto FRUTAL financiado pela Companhia Energética do Ceará (COELCE), com recursos do Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento do Setor Elétrico.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Oct-Dec 2007

Histórico

  • Recebido
    28 Out 2005
  • Aceito
    16 Ago 2006
Universidade Federal de Santa Maria Av. Roraima, 1.000, 97105-900 Santa Maria RS Brasil, Tel. : (55 55)3220-8444 r.37, Fax: (55 55)3220-8444 r.22 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciaflorestal@ufsm.br