Bioecologia de Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae) em Canela-Guaicá (Ocotea puberula: Lauraceae) na região central do Rio Grande do Sul, Brasil

Bioecology of Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae) in Canela Guaicá (Ocotea puberula: Lauraceae) in the central region of Rio Grande do Sul State, Brazil

Leopoldo Witeck Neto Dionísio Link Mauricio Paulo Batistella Pasini Sobre os autores

Resumos

O conhecimento da entomofauna dos ecossistemas florestais tem sua importância no que se refere aos danos provocados pelos seus diferentes segmentos. Estudou-se a bioecologia do serrador Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae), em Ocotea puberula (Lauraceae), na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Em 49 galhos cortados foram analisados a frequência de corte, o diâmetro de galhos no corte e secções, comprimento de galhos, frequência de incisões de postura, emergência de adultos, tamanho do orifício de saída, comprimento e volume da galeria larval desta espécie. O período de corte de galhos se estende de fevereiro a março e esta espécie se enquadra como cortadora de galhos grossos. O número de incisões de postura é variável, porém, a maior concentração é encontrada nas secções de 20 a 40 cm a partir do corte, com valor médio de 11 incisões. Duzentos adultos emergiram de 27 galhos, com pico de emergência na primeira quinzena de dezembro. Para completar o seu desenvolvimento, esta espécie requer menor volume de madeira se comparada a outras espécies de serrador.

diâmetro dos galhos cortados; incisões de oviposição; período de emergência; serrador


The insect fauna knowledge of forest ecosystems have their importance in relation to damage caused by their different segments. The bioecology of the Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae) in Ocotea puberula (Lauraceae) was studied in the central region of Rio Grande do Sul state, Brazil. In 49 cut twigs were analyzed the cutoff frequency, the diameter of cut twigs and sections, twig length, posture incisions frequency, adult emergence, exit orifice size, length and volume of the larvae gallery of this species. The cut twigs period extends from February to March and this species is fit as thick cutter twigs. The incisions posture number is variable, but the highest concentration is found on sections 20 to 40 cm from the cut, with an average value of 11 incisions. Two hundred adults emerged from 27 twigs, with the most emergent on the first half of December. In order to complete its development, this species requires less wood volume if compared to other twig girdlers species.

adult emergence; diameter cut twigs; oviposition incisions; twig girdlers


INTRODUÇÃO

O conhecimento da entomofauna dos ecossistemas florestais tem sua importância no que se refere aos danos provocados pelos seus diferentes segmentos (WITECK NETO e LINK, 1997WITECK NETO, L.; LINK, D. Cerambycidae associados a Lauraceae, na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 33-39, 1997.).

Os coleópteros que ocorrem associados a estas plantas, causando algum tipo de dano, destacam-se pelo grande número de espécies e pelo alto grau de polifagia (MARTINS, 2005MARTINS, U. R. Cerambycidae Sul-Americanos (Coleoptera) - VII. Subfamília Cerambycinae, Elaphidionini Thomson 1864. São Paulo, 2005. 394 p.). O comportamento destas essências em plantios mais densos é ainda pouco conhecido, frente à incidência de pragas, especialmente cerambicídeos serradores (WITECK NETO e LINK, 1997WITECK NETO, L.; LINK, D. Cerambycidae associados a Lauraceae, na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 33-39, 1997.).

Na região central do Rio Grande do Sul, o ataque de serradores, principalmente do gênero Oncideres Serville, 1835 (Coleoptera: Cerambycidae), limita a instalação de bosques homogêneos (LINK et al.,1984LINK, D.et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira. 2. Oncideres spp. e plantas hospedeiras. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 5., 1984, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 1984. v. 2, p. 244-254.). Para estes autores, a modificação na vegetação florestal nativa, com a implantação de florestas homogêneas com essências nativas e/ou exóticas, tem apresentado problemas com o surgimento de surtos de insetos que podem tornar inviáveis tais cultivos.

Os serradores são considerados pragas importantes em Entomologia Florestal, pelo grande número de plantas hospedeiras e pelos danos que causam em determinadas essências florestais, quando cultivados em bosques homogêneos (BAUCKE, 1958BAUCKE, O. Biologia e controle do serrador da acácia-negra. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio, 1958. 58 p.; VULCANO e PEREIRA, 1978VULCANO, M. A.; PEREIRA, F S. O gênero Oncideres Serville, 1835 no Sul do país e países limítrofes, séria praga dos pomares e da Silvicultura. Studia Entomologica, Petrópolis, v. 20, p. 177-220, 1978.; LINK e COSTA, 1988LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.; WITECK NETO e LINK, 1997WITECK NETO, L.; LINK, D. Cerambycidae associados a Lauraceae, na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 33-39, 1997.; BERNARDI et al., 2011BERNARDI, O. et al. Besouros Cerambycidae associados a Eucalyptus spp no município de Pinheiro Machado R. S. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 1, p. 23-30, 2011., LEMES et al., 2011LEMES, P G. et al. Injúrias e oviposição de Oncideres impluviata (Germar) (Col: Cerambycidae) em Piptadenia gonoacantha (Mart.) Macbr. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v. 2, n. 1, p. 53-56, 2011.).

Os besouros do gênero Oncideres, conhecidos popularmente por serradores, anelam galhos de árvores em pleno vigor (LINK et al., 1996LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996.). O anelamento dos galhos é realizado pelas fêmeas visando estabelecer as posturas em um ambiente mais adequado para o desenvolvimento das larvas, uma vez que elas necessitam de madeira em secagem progressiva, para completar seu desenvolvimento (BAUCKE, 1962BAUCKE, O. A inseto fauna da acácia-negra no Rio Grande do Sul Biologia e controle às pragas mais importantes. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio,1962. 32 p.).

Vulcano e Pereira (1978)VULCANO, M. A.; PEREIRA, F S. O gênero Oncideres Serville, 1835 no Sul do país e países limítrofes, séria praga dos pomares e da Silvicultura. Studia Entomologica, Petrópolis, v. 20, p. 177-220, 1978. citaram 11 espécies de Oncideres ocorrentes no Rio Grande do Sul e 26 espécies para o Brasil com aproximadamente 100 espécies de plantas hospedeiras. Na região central do estado do Rio Grande do Sul, seis espécies ocorrem: Oncideres captiosaMartins, 1981MARTINS, U. R. Cerambycidae Sul-Americanos (Coleoptera) - VII. Subfamília Cerambycinae, Elaphidionini Thomson 1864. São Paulo, 2005. 394 p., Oncideres cervina Thomson, 1868, Oncideres dejeani Thomson, 1868, Oncideres impluviata (Germar, 1824), Oncideres saga (Dalman, 1823) e Oncideres ulcerosa (Germar, 1824) (LINK et al., 1982LINK, D. et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira (Coleoptera: Cerambycidae) 1. Nota prévia. In: CONGRESSO NACIONAL DE ESSÊNCIAS NATIVAS, 1., 1982, Campos do Jordão, SP. Anais... Silvicultura em São Paulo, São Paulo, 1982. v. 16a, n. 2, p. 1201-1203.; LINK et al., 1984LINK, D.et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira. 2. Oncideres spp. e plantas hospedeiras. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 5., 1984, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 1984. v. 2, p. 244-254.; LINK et al., 1994LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994.).

A família Lauraceae representa um importante grupo da flora dendrológica brasileira, reunindo espécies com qualidade de madeira, produção de frutos, óleos e especiarias (MARCHIORI, 1980). O gênero Ocotea é o mais abundante dessa família, sendo que 350 espécies ocorrem na região neotropical e 160 são encontradas no Brasil (BAITELLO, 2001BAITELLO, J B. Novas espécies de Lauraceae para a flora brasileira. Acta Botanica Brasilica, Feira de Santana, v. 15, p. 445-450, 2001.). Ocotea puberula (Rich.) Nees (canela-guaicá), é uma espécie arbórea nativa, comum no planalto meridional, principalmente em florestas com araucárias (LORENZI, 1998LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. São Paulo: Editora Plantarum, v. 1, 1998. p. 388.).

Espécies do gênero Oncideres representam um elemento de dano potencial para as lauráceas, havendo registros de ataque de Oncideres cervina em plantas desta família (LINK et al., 1984LINK, D.et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira. 2. Oncideres spp. e plantas hospedeiras. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 5., 1984, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 1984. v. 2, p. 244-254.; WITECK NETO e LINK, 1997WITECK NETO, L.; LINK, D. Cerambycidae associados a Lauraceae, na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 33-39, 1997.). Esta espécie apresenta distinção das demais do gênero através de seu protórax totalmente desprotegido e com muitas carenas transversais (DILLON e DILLON, 1946DILLON, L. S.; DILLON, E S. The tribe Onciderini (Coleoptera: Cerambycidae) Part II. Reading Public Museum and Art Gallery Scientific Publications,Reading, Pennsylvania, v. 6, p. 189-413, 1946.).

Estudos sobre a biologia e etologia de serradores foram desenvolvidos para Oncideres impluviata em Acacia mearnsii De Wild. (Fabaceae: Mimosoideae) (BAUCKE, 1958BAUCKE, O. Biologia e controle do serrador da acácia-negra. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio, 1958. 58 p.; BAUCKE, 1962BAUCKE, O. A inseto fauna da acácia-negra no Rio Grande do Sul Biologia e controle às pragas mais importantes. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio,1962. 32 p.; AMANTE et al., 1976AMANTE, E. et al. Ecologia do "serrador" da acácia-negra, Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera, Cerambycidae) no Rio Grande do Sul. I. Etologia. Agronomia Sul Riogandense, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 1-56, 1976.; DIDONÉ, 1978DIDONÉ, I. A. Efeito da temperatura no desenvolvimento larval de Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera: Cerambycidae) "Serrador" de acácia-negra. 1978. 67 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1978.), em Mimosa scabrella Bentham (Fabaceae: Mimosoideae) (PEDROZO, 1980PEDROZO, D J. Contribuição ao estudo de Oncideres impluviata (Germar, 1824) e seus danos em bracatinga (Mimosa scabrella BENTH). 1980. 83 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1980.; COSTA e MARQUES, 1988COSTA, E. C.; MARQUES, E N. Aspectos etológicos de Oncideres impluviata (Germar, 1824) em bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 219-228, 1988.; COSTA et al., 1988COSTA, E C. et al. Período pupal, emergência e distribuição dos galhos cortados por Oncideres impluviata (Germar, 1824) em povoamentos de bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 229-237, 1988.), em Parapiptadenia rigida (Benth.) Brenan (Fabaceae: Mimosoideae), e em Rapanea umbellata (Mart. ex D.C.) Mez (Myrsinaceae) (LINK e COSTA, 1993LINK, D.; COSTA, E C. Aspectos da biologia de Oncideres impluviata e de O captiosa em Santa Maria - RS. (Coleoptera: Cerambycidae) . Ciência Florestal, Santa Maria, v. 3, n. 1, p. 77-84, 1993.; LINK et al., 1994LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994.). Para Oncideres dejeani parâmetros bioecológicos foram estudados sobre Lithraea brasiliensis L. March (Anacardiaceae) e em Sebastiania brasiliensis Spreng. (Euphorbiaceae) (LINK et al., 1996LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996.). Para Oncideres cervina não há informações sobre seus parâmetros bioecológicos.

A obtenção de informações sobre a bioecologia de Oncideres cervina em Ocotea puberula, possibilita a estimativa do problema frente à praga, pois a detecção oportuna destes problemas entomológicos e, o conhecimento do inseto baseado nos elementos de sua biologia, fisiologia, ecologia e hábitos, fundamentam a determinação dos níveis populacionais, da sua dinâmica, previsão dos prejuízos e a análise dos métodos de combate compatíveis com os interesses florestais e humanos. Este trabalho tem por objetivo descrever alguns aspectos sobre a bioecologia de Oncideres cervina em canela-guaicá na região central do estado do Rio Grande do Sul.

MATERIAL E MÉTODOS

No período de fevereiro a julho de 1997 foram avaliados galhos cortados de Ocotea puberula em uma localidade na região central do estado do Rio Grande do Sul.

O local denominado de Morro Link, situado no município de Santa Maria, com área de aproximadamente 40 hectares, está localizado na Fralda da Serra Geral e pertence à região fisiográfica da Depressão Central (29°41'25"S, 53°48'42''W). De acordo com a classificação de Köppen, o clima da região é "Cfa", subtropical úmido sem estiagem (HELDWEIN et al., 2009HELDWEIN, A B. et al. O clima de Santa Maria. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v. 38, p. 43-58, 2009.). As plantas de Ocotea puberula ocupavam áreas de mata secundária em estágio regenerativo.

Com o uso de paquímetro, mediu-se o diâmetro dos galhos cortados, mensurado a partir de um centímetro do ponto de corte efetuado pelo serrador e com fita métrica, o comprimento total do galho a partir de sua base até a extremidade. Para a análise da distribuição das incisões de postura, através de paquímetro, determinou-se o diâmetro e o número de incisões a cada 20 cm, da base até o ápice. Após esta avaliação, os galhos foram etiquetados e deixados no local. Em setembro do mesmo ano, os galhos foram recolhidos e levados às dependências do setor de Entomologia, do Departamento de Defesa Fitossanitária, Centro de Ciências Rurais da Universidade Federal de Santa Maria, etiquetados e colocados em caixas para obtenção dos adultos.

No laboratório, os galhos foram serrados em secções de 35 cm e depositados individualmente em caixas teladas de 40 x 40 x 40 cm. As mesmas então foram numeradas para fim de registro, tendo a seguir sua abertura superior fechada com lâmina plástica transparente, para a visualização dos adultos de serrador emergentes.

As caixas foram dispostas em prateleiras, em um depósito, na temperatura ambiente e umedecidas regularmente com pulverizador manual. A partir da emergência dos serradores, estabeleceu-se a inspeção das caixas, para a retirada dos indivíduos adultos, a cada três dias, e a cada dez dias era procedida a limpeza das caixas para a retirada dos exemplares mortos ou refugiados. Ao término das emergências, procedeu-se uma última inspeção, após os galhos foram recondicionados para mensuração.

Determinou-se o início e o término de emergência mediante observações bissemanais dos galhos acondicionados, registrando-se, ao término do período, o número de adultos emergidos por galho. Cada exemplar recebeu uma etiqueta contendo o número da caixa e a data de coleta, para posterior envio de alguns exemplares a especialista visando à confirmação da identificação da espécie.

Após a emergência dos adultos do serrador, nos galhos com o auxílio de um paquímetro foram tomadas medidas dos galhos referentes ao comprimento e largura do orifício de emergência do imago (284 medições em 142 furos) e ao comprimento da galeria larval-pupal (72 galerias); para a obtenção do volume da galeria larval-pupal, enchendo-se a mesma com areia fina e após, ela foi essa areia era colocada numa proveta graduada (79 galerias).

Para comparar os valores do número de incisões de posturas (Nip) nas diferentes secções, os valores foram organizados em um delineamento inteiramente casualizado com diferentes números de repetições e submetidos à análise da variância. Foram consideradas a secção, os tratamentos e o número de galhos com incisões como as repetições. Para a comparação das médias foi empregado o teste de Scott-Knott. Para verificar a existência de relação linear entre o diâmetro da secção e o Nip, fez-se análise de correlação linear de Pearson e sua significância foi verificada por meio do teste t de Student. Para todas as análises estatísticas foram adotados 5% de probabilidade de erro.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Das diferentes espécies do gênero Oncideres ocorrentes no estado do Rio Grande do Sul, nos galhos cortados de Ocotea puberula obtiveram-se apenas adultos da espécie Oncideres cervina.

A atividade de corte de galhos de canela-guaicá por Oncideres cervina se estendeu no período de fevereiro a maio, com maior atividade em março. Neste período, a frequência de cortes se distribuiu irregularmente, semelhante ao encontrado por Link e Costa (1988)LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988. para Oncideres saga e Oncideres impluviata. Contudo, essas espécies de serradores apresentam atividade de corte em épocas distintas a de Oncideres cervina (Tabela 1).

Tabela 1.
Período de corte de diferentes espécies de Oncideres (Coleoptera: Cerambycidae) ocorrentes na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

Diferente de outras espécies de serrador, Oncideres cervina em seu corte apresenta caráter específico, não havendo referência sobre cortes deste serrador em outras espécies botânicas (WITECK NETO e LINK, 2001WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.). Os galhos cortados por Oncideres cervina apresentaram maior diâmetro e comprimento médio quando comparados ao diâmetro de galhos cortados de Ocotea indecora (Shott) Mez (Lauraceae) por Oncideres captiosa (Tabela 2), podendo haver influência da espécie botânica sobre o diâmetro de galhos cortados (LINK e COSTA, 1988LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.; WITECK NETO e LINK, 2001WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.).

Tabela 2.
Comprimento e diâmetro médio de galhos cortados por Oncideres cervina e Oncideres captiosa (Coleoptera: Cerambycidae) em Lauraceae na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

Conforme a classificação proposta por Link e Costa (1994)LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994., em função do diâmetro médio dos galhos cortados, esta espécie enquadra-se como cortadora de galhos grossos. Semelhante ao diâmetro, o comprimento médio dos galhos apresentou valores intermediários, não havendo diferença representativa em relação à Oncideres captiosa (Tabela 2). Oncideres saga em Acacia mearnsii e Parapiptadenia rigida, e Oncideres impluviata em Piptadenia gonoacantha (Mart.) (Fabaceae: Mimosoideae), Parapiptadenia rigida e Mimosa scabrella apresentaram diâmetro e comprimento de galhos inferiores aos de Oncideres cervina, no entanto, Oncideres guttulata Thomson, 1868 em galhos de Schinopsis quebracho colorado (Schlecht) Bark et Meyer (Anacardiaceae) apresentou galhos com comprimento superior (COSTA e MARQUES, 1988COSTA, E. C.; MARQUES, E N. Aspectos etológicos de Oncideres impluviata (Germar, 1824) em bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 219-228, 1988.; LINK e COSTA, 1988LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.; DIODATO et al., 1997DIODATO, L. et al. Estudio sobre el comportamento de oviposición del <cortapalos>Oncideres guttulata Thomson (Coleoptera: Cerambycidae) sobre <quebracho colorado>, Schinopsis quebracho-colorado (Schlecht) Bark et Meyer. Boletín de Sanidad Vegetal Plagas, Madrid, v. 23, p. 237-261, 1997.; MAGISTRALI et al., 2008MAGISTRALI, I C. et al. Parâmetros biológicos de Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) em Acacia mearnsii De Wild. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, Chapadinha, v. 2, n. 1, p. 3-10, 2008.; LEMES et al., 2011LEMES, P G. et al. Injúrias e oviposição de Oncideres impluviata (Germar) (Col: Cerambycidae) em Piptadenia gonoacantha (Mart.) Macbr. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v. 2, n. 1, p. 53-56, 2011.).

A abertura da casca no ponto em que a incisão se apresentou em 49 galhos de Ocotea puberula correspondeu a 3205 incisões (Tabela 3). Dos galhos cortados, houve predomínio com ramo principal único. Os ramos principais apresentaram maior número de incisões de postura que os ramos laterais, e este comportamento relaciona-se ao maior volume de madeira existente nesses ramos (LINK e COSTA, 1988LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.). Oncideres cervina apresentou maior número médio de incisões quando comparado com Oncideres captiosa (WITECK NETO e LINK, 2001WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.).

Tabela 3.
Número de galhos (ng) e número de incisões (ni) de Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae) em galhos cortados de Ocotea puberula, na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

A distribuição das incisões de postura concentrou-se entre 20 e 100 cm a partir do corte, com maior número nas secções de 20 e 40 cm, semelhante a outras espécies de Oncideres (Tabela 4). Oncideres captiosa apresentou variadas distribuições das incisões para espécies de Lauraceae, com maior número nas secções de 40 a 100 cm. Este serrador teve comportamento diferente conforme a planta, indicando influência não só do diâmetro e do comprimento de galho, mas da espécie botânica (WITECK NETO e LINK, 2001WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.). Costa et al. (1992)COSTA, E C. et al. Distribuição das posturas, de larvas e de inimigos naturais de Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 2, n.1, p.59-66, 1992. e Link e Costa (1993)LINK, D.; COSTA, E C. Aspectos da biologia de Oncideres impluviata e de O captiosa em Santa Maria - RS. (Coleoptera: Cerambycidae) . Ciência Florestal, Santa Maria, v. 3, n. 1, p. 77-84, 1993. verificaram que as posturas de Oncideres impluviata em Mimosa scabrela e Parapiptadenia rígidas e concentraram na faixa de 0 a 40 cm. Em galhos anelados de Acacia mearnsii por Oncideres saga,Magistrali et al. (2008)MAGISTRALI, I C. et al. Parâmetros biológicos de Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) em Acacia mearnsii De Wild. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, Chapadinha, v. 2, n. 1, p. 3-10, 2008. constataram que esta espécie preferiu as secções de 11-30 cm, para galhos novos e velhos, indicando para estas espécies haver uma relação direta com o diâmetro e a posição da secção para as posturas.

Tabela 4.
Diâmetro médio de galhos (Ø) e número médio de incisões de postura (Nip) em galhos cortados por Oncideres cervina (Coleoptera: Cerambycidae) de Ocotea puberula (Lauraceae), na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

A média de incisões de postura por secção para Oncideres cervina se apresentou variável com relação a outras espécies de Oncideres, sendo inferior à Oncideres impluviata em Parapiptadenia rigida (AMANTE et al., 1976AMANTE, E. et al. Ecologia do "serrador" da acácia-negra, Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera, Cerambycidae) no Rio Grande do Sul. I. Etologia. Agronomia Sul Riogandense, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 1-56, 1976.) e a Oncideres saga em Acacia mearnsii (MAGISTRALI et al., 2008MAGISTRALI, I C. et al. Parâmetros biológicos de Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) em Acacia mearnsii De Wild. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, Chapadinha, v. 2, n. 1, p. 3-10, 2008.). Os níveis de correlação entre diâmetros das secções e as incisões foram positivos, porém, estes não apresentaram efeitos significativos.

A presença de nodosidades nos galhos nos intervalos, decorrente da desrama natural associada a um caule rugoso, além das ramificações que partem do galho principal, promovem abrigo para as posturas e principalmente acúmulo de seiva associado a um relativo volume de madeira, o que beneficia o desenvolvimento das larvas e explica a concentração de incisões nestas secções (LINK e COSTA, 1988LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.; COUTINHO et al., 1998COUTINHO, C L. et al. Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) e a arborização urbana em Seropédica, RJ. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 5, n. 1, p. 50-54, 1998.; WITECK NETO e LINK, 2001WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.) e, portanto, na maioria dos galhos, o maior número de incisões estava associado a estas situações. Em galhos de Acacia mearnsii, o comportamento de Oncideres impluviata variou de acordo com o diâmetro e o comprimento do galho, havendo maior concentração das incisões nas regiões próximas ao corte (AMANTE et al., 1976AMANTE, E. et al. Ecologia do "serrador" da acácia-negra, Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera, Cerambycidae) no Rio Grande do Sul. I. Etologia. Agronomia Sul Riogandense, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 1-56, 1976.).

Dos 49 galhos de Ocotea puberula recolhidos, 27 tiveram a emergência de adultos de Oncideres cervina, sendo que galhos com maior umidade e que estavam em locais sombreados apresentaram maior emergência. Destes galhos, emergiram 200 indivíduos adultos numa média de 7,40 por galho, variando de 1 a 19 adultos, o que indica uma relação de 11,38 incisões de postura para cada adulto emergido.

O início da emergência de adultos ocorreu na segunda quinzena de outubro, com duração de três meses (Figura 1), inferior a Oncideres impluviata em Mimosa scabrella (COSTA et al., 1988COSTA, E C. et al. Período pupal, emergência e distribuição dos galhos cortados por Oncideres impluviata (Germar, 1824) em povoamentos de bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 229-237, 1988.). O pico de emergência de adultos foi constatado na primeira quinzena de dezembro, semelhante ao encontrado por Costa et al. (1988)COSTA, E C. et al. Período pupal, emergência e distribuição dos galhos cortados por Oncideres impluviata (Germar, 1824) em povoamentos de bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 229-237, 1988. para Oncideres impluviata em Mimosa scabrella.

Figura 1.
Comportamento de emergência de adultos de Oncideres cervina em galhos de Ocotea puberula (Lauraceae) anelados na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. (Quinzena/ Mês).

As dimensões dos orifícios de saída de Oncideres cervina foram em média de 9,7 mm (±2,3) com amplitude de 5,75 mm a 19,6 mm, para o eixo maior e 8,13 mm (±1,5) com amplitude de 4,19 mm a 12,57 mm para o eixo menor, similar àqueles verificados por Link et al. (1994)LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994. para Oncideres saga saga e Oncideres dejeani em galhos de Parapiptadenia rigida. No entanto, Oncideres cervina mostrou-se com maior amplitude nos eixos, o que indica maior variabilidade de tamanho de adultos emergidos. Link et al. (1996)LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996. para Oncideres dejeani em Sebastiania brasiliensis e Lithraea brasiliensis obtiveram valores semelhantes, porém, com médias superiores para ambos os eixos, justificados pelo maior tamanho desta espécie.

O comprimento médio da galeria larval foi de 53,70 mm (±11,70), semelhante ao encontrado por Link et al. (1994)LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994. em galhos de Parapiptadenia rigida. Este valor foi menor do que o encontrado para Oncideres saga saga, porém, superior ao de Oncideres dejeani em Lithraea brasiliensis e Sebastiania brasiliensis (LINK et al., 1996LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996.).

O volume médio das galerias foi de 2,68 ml (±1,63), valor este inferior ao encontrado por Link et al. (1994)LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994. em galhos de Parapiptadenia rigida, sendo 71% e 45% inferior àqueles de Oncideres saga saga e Oncideres dejeani respectivamente, relação esta semelhante à encontrada para Oncideres dejeani em galhos de Sebastiania brasiliensis e Lithraea brasiliensis, o que indica para essa espécie um melhor aproveitamento nutricional ou uma planta nutricionalmente mais adequada para este serrador (FORCELLA, 1984FORCELLA, F. Tree size and density affect twig girdling intensity of Oncideres cingulata (Say) (Coleoptera: Cerambycidae). The Coleopterists´ Bulletin, New York, v. 38, n. 1, p.37-42, 1984.; COSTA e MARQUES, 1988COSTA, E. C.; MARQUES, E N. Aspectos etológicos de Oncideres impluviata (Germar, 1824) em bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 219-228, 1988.; LINK et al., 1994LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994.; LINK et al., 1996LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996.).

CONCLUSÃO

Uma única espécie de serrador, Oncideres cervina, emergiu dos galhos cortados de Ocotea puberula (Lauraceae).

A época de corte de Oncideres cervina se estende do verão ao outono (fevereiro a maio) e difere parcialmente das outras espécies de serrador ocorrentes na região.

O diâmetro de corte é similar ao verificado para outras espécies de serrador que cortam Lauraceae.

O período de emergência foi similar ao de outras espécies de serrador.

O consumo de madeira necessário ao desenvolvimento larval é menor que o de outras espécies de serrador.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem à Dra. Maria Helena H. Galileo, da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, pela identificação do serrador.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • AMANTE, E. et al. Ecologia do "serrador" da acácia-negra, Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera, Cerambycidae) no Rio Grande do Sul. I. Etologia. Agronomia Sul Riogandense, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 1-56, 1976.
  • BAITELLO, J B. Novas espécies de Lauraceae para a flora brasileira. Acta Botanica Brasilica, Feira de Santana, v. 15, p. 445-450, 2001.
  • BAUCKE, O. Biologia e controle do serrador da acácia-negra. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio, 1958. 58 p.
  • BAUCKE, O. A inseto fauna da acácia-negra no Rio Grande do Sul Biologia e controle às pragas mais importantes. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura Indústria e Comércio,1962. 32 p.
  • BERNARDI, O. et al. Besouros Cerambycidae associados a Eucalyptus spp no município de Pinheiro Machado R. S. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 1, p. 23-30, 2011.
  • COSTA, E C. et al. Período pupal, emergência e distribuição dos galhos cortados por Oncideres impluviata (Germar, 1824) em povoamentos de bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 229-237, 1988.
  • COSTA, E C. et al. Distribuição das posturas, de larvas e de inimigos naturais de Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 2, n.1, p.59-66, 1992.
  • COSTA, E. C.; MARQUES, E N. Aspectos etológicos de Oncideres impluviata (Germar, 1824) em bracatinga. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 3-4, p. 219-228, 1988.
  • COUTINHO, C L. et al. Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) e a arborização urbana em Seropédica, RJ. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 5, n. 1, p. 50-54, 1998.
  • DIDONÉ, I. A. Efeito da temperatura no desenvolvimento larval de Oncideres impluviata (Germar, 1824) (Coleoptera: Cerambycidae) "Serrador" de acácia-negra. 1978. 67 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1978.
  • DILLON, L. S.; DILLON, E S. The tribe Onciderini (Coleoptera: Cerambycidae) Part II. Reading Public Museum and Art Gallery Scientific Publications,Reading, Pennsylvania, v. 6, p. 189-413, 1946.
  • DIODATO, L. et al. Estudio sobre el comportamento de oviposición del <cortapalos>Oncideres guttulata Thomson (Coleoptera: Cerambycidae) sobre <quebracho colorado>, Schinopsis quebracho-colorado (Schlecht) Bark et Meyer. Boletín de Sanidad Vegetal Plagas, Madrid, v. 23, p. 237-261, 1997.
  • FORCELLA, F. Tree size and density affect twig girdling intensity of Oncideres cingulata (Say) (Coleoptera: Cerambycidae). The Coleopterists´ Bulletin, New York, v. 38, n. 1, p.37-42, 1984.
  • HELDWEIN, A B. et al. O clima de Santa Maria. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v. 38, p. 43-58, 2009.
  • LEMES, P G. et al. Injúrias e oviposição de Oncideres impluviata (Germar) (Col: Cerambycidae) em Piptadenia gonoacantha (Mart.) Macbr. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v. 2, n. 1, p. 53-56, 2011.
  • LINK, D. et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira (Coleoptera: Cerambycidae) 1. Nota prévia. In: CONGRESSO NACIONAL DE ESSÊNCIAS NATIVAS, 1., 1982, Campos do Jordão, SP. Anais... Silvicultura em São Paulo, São Paulo, 1982. v. 16a, n. 2, p. 1201-1203.
  • LINK, D.et al. Serrador: levantamento das espécies, épocas de ocorrência e especificidade hospedeira. 2. Oncideres spp. e plantas hospedeiras. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 5., 1984, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 1984. v. 2, p. 244-254.
  • LINK, D. et al. Bionomia comparada dos serradores, Oncideres saga saga (DALMAN, 1823) e Oncideres dejeani (Thomson, 1868) (Coleoptera: Cerambycidae) em Parapiptadenia rigida. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 4, n. 1, p. 137-144, 1994.
  • LINK, D. et al. Alguns aspectos da biologia do serrador, Oncideres dejeani Thompson, 1868 (Coleoptera: Cerambycidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 6, n. 1, p. 21-25, 1996.
  • LINK, D.; COSTA, E C. Frequência de corte e diâmetro dos galhos cortados por duas espécies de Oncideres em bosque de angico e eucalipto, em Santa Maria. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 18, n. 2, p.119-124, 1988.
  • LINK, D.; COSTA, E C. Aspectos da biologia de Oncideres impluviata e de O captiosa em Santa Maria - RS. (Coleoptera: Cerambycidae) . Ciência Florestal, Santa Maria, v. 3, n. 1, p. 77-84, 1993.
  • LINK, D.; COSTA, E C. Diâmetro dos galhos cortados por Oncideres spp (Coleoptera: Cerambycidae) na região central do Rio Grande do Sul. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 69, n. 2, p. 183-192, 1994.
  • LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. São Paulo: Editora Plantarum, v. 1, 1998. p. 388.
  • MAGISTRALI, I C. et al. Parâmetros biológicos de Oncideres saga (Dalman, 1823) (Coleoptera: Cerambycidae) em Acacia mearnsii De Wild. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, Chapadinha, v. 2, n. 1, p. 3-10, 2008.
  • MARTINS, U. R. Cerambycidae Sul-Americanos (Coleoptera) - VII. Subfamília Cerambycinae, Elaphidionini Thomson 1864. São Paulo, 2005. 394 p.
  • PEDROZO, D J. Contribuição ao estudo de Oncideres impluviata (Germar, 1824) e seus danos em bracatinga (Mimosa scabrella BENTH). 1980. 83 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1980.
  • VULCANO, M. A.; PEREIRA, F S. O gênero Oncideres Serville, 1835 no Sul do país e países limítrofes, séria praga dos pomares e da Silvicultura. Studia Entomologica, Petrópolis, v. 20, p. 177-220, 1978.
  • WITECK NETO, L.; LINK, D. Bioecologia de Oncideres captiosa Martins, 1981 (Coleoptera: Cerambycidae) em lauráceas na região central do Rio Grande do Sul. 1. Dimensões dos galhos cortados e distribuição das posturas . In CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL 8., 2001, Nova Prata - RS. Anais... Nova Prata: Prefeitura de Nova Prata, 2001. p. 409-416.
  • WITECK NETO, L.; LINK, D. Cerambycidae associados a Lauraceae, na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 33-39, 1997.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Jun 2015

Histórico

  • Recebido
    21 Nov 2011
  • Aceito
    17 Jul 2013
Universidade Federal de Santa Maria Av. Roraima, 1.000, 97105-900 Santa Maria RS Brasil, Tel. : (55 55)3220-8444 r.37, Fax: (55 55)3220-8444 r.22 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciaflorestal@ufsm.br