As dimensões dos valores e da participação política em projetos de professoras: abordagens sobre os resíduos sólidos

Values and political participation dimensions in teachers' projects: solid residues approaches

Heloisa Chalmers Sisla Cinquetti Luiz Marcelo de Carvalho Sobre os autores

Resumos

Este trabalho aborda elementos relativos às dimensões dos valores e da participação política, desenvolvidos por professoras, quando da elaboração de projetos temáticos sobre resíduos sólidos. A análise representa um momento da investigação dos processos de educação continuada de professoras de séries iniciais do Ensino Fundamental, de São Carlos, SP, ao aprender e ensinar conteúdos relativos à temática ambiental, com foco nos resíduos sólidos. Apontamos na discussão dos dados que as professoras freqüentemente não reconhecem os limites da dimensão dos conhecimentos, o que provavelmente dificulta a percepção das possibilidades de desenvolvimento do trabalho com as dimensões dos valores éticos e da participação política. Analisamos, para estas dimensões, alguns aspectos que se destacaram na pesquisa realizada.

educação ambiental; formação continuada de professores; resíduos sólidos; valores; participação política


This paper aims to analyze aspects related to the values and political participation, developed by teachers, when writing thematic projects related to solid wastes. The analysis shows a moment in the process that in-service teachers faced while planning to teach contents related to environmental issues, and particularly solid wastes. We point out that teachers frequently do not recognize the limits of the knowledge dimension, and that probably makes it difficult for them to perceive the possibilities of developing the dimensions of ethical values and political participation in their environmental education practice. We analyze these two dimensions in some highlighted aspects from the results.

environmental education; teachers's professional development; solid wastes; values; political participation


ARTIGOS

As dimensões dos valores e da participação política em projetos de professoras: abordagens sobre os resíduos sólidos1 1 Apoio: Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) o apoio a esta pesquisa.

Values and political participation dimensions in teachers' projects: solid residues approaches

Heloisa Chalmers Sisla CinquettiI; Luiz Marcelo de CarvalhoII

IBolsista recém-doutora do CNPq junto ao Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos (e-mail: heloisa.cinquettiL@terra.com.br)

IIProfessor Assistente doutor do Departamento de Educação do Instituto de Biociências da UNESP, Campus de Rio Claro (e-mail: lmarcelo@rc.unesp.br)

RESUMO

Este trabalho aborda elementos relativos às dimensões dos valores e da participação política, desenvolvidos por professoras, quando da elaboração de projetos temáticos sobre resíduos sólidos. A análise representa um momento da investigação dos processos de educação continuada de professoras de séries iniciais do Ensino Fundamental, de São Carlos, SP, ao aprender e ensinar conteúdos relativos à temática ambiental, com foco nos resíduos sólidos. Apontamos na discussão dos dados que as professoras freqüentemente não reconhecem os limites da dimensão dos conhecimentos, o que provavelmente dificulta a percepção das possibilidades de desenvolvimento do trabalho com as dimensões dos valores éticos e da participação política. Analisamos, para estas dimensões, alguns aspectos que se destacaram na pesquisa realizada.

Unitermos: educação ambiental, formação continuada de professores, resíduos sólidos, valores, participação política.

ABSTRACT

This paper aims to analyze aspects related to the values and political participation, developed by teachers, when writing thematic projects related to solid wastes. The analysis shows a moment in the process that in-service teachers faced while planning to teach contents related to environmental issues, and particularly solid wastes. We point out that teachers frequently do not recognize the limits of the knowledge dimension, and that probably makes it difficult for them to perceive the possibilities of developing the dimensions of ethical values and political participation in their environmental education practice. We analyze these two dimensions in some highlighted aspects from the results.

Keywords: environmental education, teachers's professional development, solid wastes, values, political participation.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Referências

ANDREW, J. et al. Ethics, education and wildlife issues. International Research in Geographical and Environmental Education, v. 5, n. 1, p.31-44, 1996.

BRASIL. Senado Federal. Agenda 23. Brasília: Ed. Senado, 1994.

______. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente/saúde. Brasília: MEC, 1998a.

______. Ministério da Educação e do Desporto. Guia de livros didáticos: 1ª a 4ª séries. Brasília: MEC, 1998b.

______. Ministério do Meio Ambiente. Educação para um futuro sustentável: uma visão transdisciplinar para ações compartilhadas. Brasília: IBAMA, 1999.

BRIDGES, D. Dealing with controversy in the curriculum: a philosophical perspective. In: WELLINGTON, J. J. Controversial issues in the curriculum. Oxford: Basil Blackwell, p. 19-38, 1986.

CARVALHO, L. M. A temática ambiental e a escola de 1º grau. 1989. Tese (Doutorado em Educação)-Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

______. Educação ambiental e formação de professores. In BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Textos sobre capacitação de professores em educação ambiental. 2000.

CARVALHO, L. M. et al. Conceitos, valores e participação política. In: TRAJBER, R.; MANZOCHI, L. H. (Org.). Avaliando a Educação Ambiental no Brasil: materiais impressos. São Paulo: Gaia, 1996. p. 77-119.

CINQUETTI, H. S. Educação ambiental e resíduos sólidos: um estudo com professoras das séries iniciais do ensino fundamental.. 2002. Tese (Doutorado em Educação)–Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara,Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2002.

CINQUETTI, H. S.; CARVALHO, L. M. As professoras e os conhecimentos sobre resíduos sólidos. 2003. Texto apresentado ao 2º Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2003.

CRESPO, S. O Brasil na era verde: a consciência ecológica no país segundo pesquisas de opinião. Opinião Pública, Campinas, v. 1, n. 2, p. 76-91, 1993.

DELPIT, L. Other people's children. New York: New Press, 1995.

DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, 1994.

FIEN, J. Environmental education: a pathway to sustainability. Geelong: DeakinUniversity Press, 1993.

GAYFORD, C. The perspectives of science teachers. in relation to current thinking about environmental education. Research in Science & Technological Education, Abington, v. 16, n. 2, p. 101-113, 1998.

GRIMBERG, E. ; BLAUTH, P. Coleta seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. São Paulo: Pólis, 1998.

HALL, P. C. Environmental education as values clarification: a critical framework. In:

LIBÂNEO, J. C. Tendências pedagógicas na prática escolar. Revista da Associação Nacional de Educação, v. 6, p. 11-19, 1983.

LUCAS, A. M. The role of science education in education for the environment. Journal of Environmental Education, Washington, v. 12, n. 2, p.33-37, 1980a.

______. Science and environmental education: pious hopes, self praise and disciplinary chauvinism. Studies in Science Education, Leeds, v. 7, p. 1-26, 1980b.

REIGOTA, M. A floresta e a escola. São Paulo: Cortez, 1999. SÃO PAULO (Estado). Programa estadual de educação ambiental. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, [199-] .

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez, 1986.

SAVIANI , D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991.

SORRENTINO, M. Educação ambiental, participação e organização de cidadãos. Em aberto, Brasília, v. 10, p. 47-56, 1991.

STRADLING, R. Controversial issues in the classroom. In: STRADLING, R. et al. Teaching controversial issues. London: Edward Arnold Publishers, 1994.

EARTH WORKS GROUP. 50 pequenas coisas que você pode fazer para salvar a terra. São Paulo: Best Seller, 1989.

Artigo recebido em agosto de 2003 e selecionado para publicação em junho de 2004.

  • 1
    Apoio: Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) o apoio a esta pesquisa.
    • ANDREW, J. et al. Ethics, education and wildlife issues. International Research in Geographical and Environmental Education, v. 5, n. 1, p.31-44, 1996.
    • BRASIL. Senado Federal. Agenda 23. Brasília: Ed. Senado, 1994.
    • ______. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente/saúde. Brasília: MEC, 1998a.
    • ______. Ministério da Educação e do Desporto. Guia de livros didáticos: 1ª a 4ª séries. Brasília: MEC, 1998b.
    • ______. Ministério do Meio Ambiente. Educação para um futuro sustentável: uma visão transdisciplinar para ações compartilhadas. Brasília: IBAMA, 1999.
    • BRIDGES, D. Dealing with controversy in the curriculum: a philosophical perspective. In: WELLINGTON, J. J. Controversial issues in the curriculum Oxford: Basil Blackwell, p. 19-38, 1986.
    • CARVALHO, L. M. A temática ambiental e a escola de 1º grau 1989. Tese (Doutorado em Educação)-Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.
    • ______. Educação ambiental e formação de professores. In BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Textos sobre capacitação de professores em educação ambiental 2000.
    • CARVALHO, L. M. et al. Conceitos, valores e participação política. In: TRAJBER, R.; MANZOCHI, L. H. (Org.). Avaliando a Educação Ambiental no Brasil: materiais impressos. São Paulo: Gaia, 1996. p. 77-119.
    • CINQUETTI, H. S. Educação ambiental e resíduos sólidos: um estudo com professoras das séries iniciais do ensino fundamental.. 2002. Tese (Doutorado em Educação)–Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara,Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2002.
    • CINQUETTI, H. S.; CARVALHO, L. M. As professoras e os conhecimentos sobre resíduos sólidos 2003. Texto apresentado ao 2º Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2003.
    • CRESPO, S. O Brasil na era verde: a consciência ecológica no país segundo pesquisas de opinião. Opinião Pública, Campinas, v. 1, n. 2, p. 76-91, 1993.
    • DELPIT, L. Other people's children New York: New Press, 1995.
    • DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia, 1994.
    • FIEN, J. Environmental education: a pathway to sustainability. Geelong: DeakinUniversity Press, 1993.
    • GAYFORD, C. The perspectives of science teachers. in relation to current thinking about environmental education. Research in Science & Technological Education, Abington, v. 16, n. 2, p. 101-113, 1998.
    • GRIMBERG, E. ; BLAUTH, P. Coleta seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. São Paulo: Pólis, 1998.
    • LIBÂNEO, J. C. Tendências pedagógicas na prática escolar. Revista da Associação Nacional de Educação, v. 6, p. 11-19, 1983.
    • LUCAS, A. M. The role of science education in education for the environment. Journal of Environmental Education, Washington, v. 12, n. 2, p.33-37, 1980a.
    • ______. Science and environmental education: pious hopes, self praise and disciplinary chauvinism. Studies in Science Education, Leeds, v. 7, p. 1-26, 1980b.
    • REIGOTA, M. A floresta e a escola São Paulo: Cortez, 1999.
    • SÃO PAULO (Estado). Programa estadual de educação ambiental. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, [199-]
    • SAVIANI, D. Escola e democracia São Paulo: Cortez, 1986.
    • SAVIANI , D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991.
    • SORRENTINO, M. Educação ambiental, participação e organização de cidadãos. Em aberto, Brasília, v. 10, p. 47-56, 1991.
    • STRADLING, R. Controversial issues in the classroom. In: STRADLING, R. et al. Teaching controversial issues London: Edward Arnold Publishers, 1994.
    • EARTH WORKS GROUP. 50 pequenas coisas que você pode fazer para salvar a terra São Paulo: Best Seller, 1989.

    1 Apoio: Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) o apoio a esta pesquisa.

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      31 Ago 2009
    • Data do Fascículo
      2004

    Histórico

    • Aceito
      Jun 2004
    • Recebido
      Ago 2003
    Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Campus Universitário - Vargem Limpa CEP 17033-360 Bauru - SP/ Brasil , Tel./Fax: (55 14) 3103 6177 - Bauru - SP - Brazil
    E-mail: revista@fc.unesp.br