• Sociology and Phenomenology Presentation

    Dreher, Jochen; Santos, Hermílio
  • Various modes of the foundation for Sociology Dossier: Sociology and Phenomenology

    Nasu, Hisashi

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: A fundamentação de verstehende Soziologie apresentada pelo próprio Max Weber foi suficiente para que ele pudesse lidar com seus problemas sociológicos concretos. Contudo, pareceu ser insuficiente para Alfred Schutz assim como para Talcott Parsons, a despeito do reconhecimento de ambos em relação às ideias de Weber sobre essa sociologia enquanto tal. Schutz criticou que Weber pouco esclareceu sobre os fundamentos de seus conceitos mais importantes, enquanto Parsons criticou a tendência de Weber “de obscurecer o papel essencialmente não-ficcional do sistema de teoria generalizado”. O que significa a diferença entre eles? Esse artigo tenta dar uma resposta a esta questão comparando Weber e Parsons, Weber e Schutz e Schutz e Parsons, concentrando-se sobretudo nos conceitos de “Verstehen” (compreensão), “ação” e “significado subjetivo”. Com essa análise comparativa espera-se jogar luzes sobre contribuições da fenomenología para a sociologia.

    Abstract in English:

    Abstract: The foundation for Max Weber's verstehende Soziologie provided by himself was sufficient for him to deal with his concrete sociological problems. It appeared, however, to be insufficient for Alfred Schutz as well as for Talcott Parsons, in spite of their appreciating Weber's ideas of this sociology as such. Schutz criticized that Weber made little clarification of the fundamental layers of his primary concepts, whereas Parsons criticized Weber's tendency “to obscure the role of the essentially nonfictional generalized system of theory.” What does this difference among them means? This essay tries to make an answer to this question through comparing Weber and Parsons, Weber and Schutz, and Schutz and Parsons by focusing mainly on the concepts of “Verstehen” (understanding), “action” and “subjective meaning.” Such a comparative investigation is expected to shed light on contributions of phenomenology to sociology.
  • Language and lifeworld Dossier: Sociology and Phenomenology

    Strassheim, Jan

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Jürgen Habermas criticou Alfred Schutz de maneira seminal. Este artigo traça tal divergência até a diferença na conceitualização de idealização. A teoria social de Schutz é baseada em “tipos” enquanto idealizações com uma dinâmica inerente, enquanto a teoria social de Habermas é baseada em “regras” idealmente estáveis. Primeiramente, um modelo de regra de comunicação linguística é avaliado de acordo com análises da linguística, da filosofia e da sociologia da linguagem. É constatado que um modelo falha em alcançar seu objetivo teórico de explicar a comunicação linguística. Regras de linguagem hipotéticas, portanto, não explicariam nossa compreensão intuitiva de conteúdos proposicionais mínimos expressos em enunciados. As regras seriam tanto insuficientes quanto incertas em todas as instâncias do uso da linguagem. Neste contexto, a relação entre linguagem e “mundo-da-vida” é reavaliada. Um mundo-da-vida não pode ser constituído sobre um modelo de linguagem, nem mesmo suplementar tal modelo a fim de preservá-lo. Diferentemente de um modelo, Schutz reivindica que linguagem e mundo-da-vida estão interconectados e estruturados em “tipos” que podem acomodar a flexibilidade e a precisão da comunicação linguística. Embora seja necessário o aprofundamento da pesquisa, as conclusões apontam que a fenomenología tem sido indevidamente negligenciada pela filosofia social, e deveria receber maior atenção, assim como tem recebido na sociologia.

    Abstract in English:

    Abstract: Jürgen Habermas seminally criticized Alfred Schutz. This paper traces the disagreement back to a different role of idealization. Schutz's social theory is based on “types” as idealizations with an inherent dynamics, while Habermas's social theory is based on ideally stable “rules”. First, a rule model of linguistic communication is assessed against analyses from linguistics and the philosophy and sociology of language. A rule model, it is found, fails to meet its theoretical goal of explaining linguistic communication. Hypothetical rules of language would not explain our intuitive understanding of the minimal propositional contents expressed by utterances. The rules would be both insufficient and unreliable in every single instance of language use. Against this background, the relation between language and “lifeworld” is then re-evaluated. A lifeworld cannot build on a rule model of language as its foundation. Nor can it supplement such a model in order to save it. Unlike a rule model, Schutz's claim that language and lifeworld are interconnected and structured by “types” that can accommodate the flexibility and precision of linguistic communication. While further research is needed, this conclusion indicates that phenomenology has been unduly neglected in social philosophy and should receive as much attention as it has in sociology.
  • Alfred Schutz as a critic of social ontological Robinsonades Dossier: Sociology and Phenomenology

    Gros, Alexis

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Alfred Schutz tende a ser equivocadamente considerado como um ilustre representante do individualismo ontológico social. Neste artigo, busco corrigir esta interpretação deturpada da sua obra por meio de uma revisão de sua crítica ao que eu chamo de “Robinsonadas” - tomando emprestado um termo marxiano - intrínsecas à 5a Meditação Cartesiana de Husserl. Meu argumento é que a reconstrução sistemática desta crítica clássica permite esclarecer a verdadeira preocupação ontológica de Schutz, a saber: o intersubjetivismo ontológico social.

    Abstract in English:

    Abstract: Alfred Schutz tends to be falsely considered as an illustrious representative of social ontological individualism. In this paper, I seek to correct this flawed interpretation of his work by means of a revisitation of his criticism of what I - taking up a Marxian term - call the “robinsonades” intrinsic to Husserl's 5th Cartesian Meditation. It is my contention that the systematic reconstruction of this classical criticism makes it possible to lay bare Schutz's actual ontological account, namely: social ontological intersubjectivism.
  • The ecological epoché Dossier: Sociology and Phenomenology

    Barber, Michael

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Na discussão de Afred Schutz sobre o mundo da vida cotidiana, que difere de outras realidades múltiplas, apesar de todas essas realidades pertencerem ao mundo da vida que antecede a implementação da redução fenomenológica completa, ele enfatiza que o mundo da vida cotidiana é um mundo de trabalho. Nesse artigo, descreverei o que é trabalhar e seu potencial para prejudicar/comprometer nossas relações com os animais e impactar de forma negativa a sustentabilidade ecológica. Então, sugerirei dois recursos da tradição fenomenológica para desafiar o potencial de tal comprometimento: a noção de empatia de Husserl, que atinge os animais, e a ideia de realidades múltiplas de Schutz, a qual, como argumentarei, poderia incluir uma atitude ecológica distinta iniciada por uma epoché ecológica.

    Abstract in English:

    Abstract: In Alfred Schutz's discussion of the world of daily life, which differs from other multiple realities, though all these realities pertain to the life-world preceding the implementation of the full-blown phenomenological reduction, he emphasizes that the world of daily life is a world of working. In this paper I will describe what working is and its potential for impairing our relationships with animals and negatively impacting ecological sustainability. I will then suggest two resources within the phenomenological tradition for challenging the potential for such impairment: Husserl's notion of empathy, which reaches to animals, and Schutz's idea of multiple realities, which, I will argue, could include a distinctive ecological attitude initiated by an ecological epoché.
  • O conceito de angústia entre Max Weber e Peter L. Berger Dossiê: Sociologia e Fenomenologia

    Pissardo, Carlos Henrique

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O artigo visa a discutir como o conceito de angústia atua na interseção entre certo momento da obra de Peter L. Berger e a tese central de A ética protestante, de Max Weber. Pretende-se, por um lado, perscrutar como Berger recorre a esse conceito a fim de analisar atributos determinantes do trabalho de construção social da realidade e da insistente sombra que acompanha esse trabalho na forma daquilo que o autor denomina de “crise de sentido”. Por outro, busca-se enfatizar como esse estado de crise de sentido, vinculado por Berger à angústia, guarda proximidade com a tese desenvolvida por Weber em seu trabalho mais conhecido, onde o indivíduo moderno típico-ideal, isto é, o calvinista, é descrito como um sujeito angustiado porque também atravessado por um peculiar malogro em seu intento de dotar a vida de um sentido unívoco. Por fim, em um trabalho de cotejamento, analisam-se os deslocamentos e reformulações teóricas que impedem uma identificação ingênua entre os dois projetos. Objetiva-se, assim, trazer à tona um capítulo pouco estudado da relação entre a sociologia fenomenológica e as teorias de Max Weber.

    Abstract in English:

    Abstract: The article aims to discuss how the concept of anxiety acts at the intersection between a certain moment of the work of Peter L. Berger and the central thesis of The protestant ethics, from Max Weber. On the one hand, it seeks to examine how Berger uses this concept in order to analyze the work of social construction of reality and the persistent shadow that accompanies it in the form of a “crisis of meaning”. On the other, it emphasizes how this crisis of meaning, directly linked by Berger to the psychic condition of anxiety, is closely related to the thesis developed by Weber in his best known work, where the ideal-typical modern individual, that is, the Calvinist, is described as an anxious subject precisely because crossed by a failure in his attempt to endow life with a univocal meaning. Finally, in a comparative work, it is analyzed displacements and reformulations that hinder a naive identification between both projects. Thereby, the article brings to light a little-studied chapter of the relationship between phenomenological sociology and Max Weber's theories.
  • Sociological insights Dossiê: Sociologia e Fenomenologia

    Aquino, Luseni

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O texto apresenta uma breve discussão acerca dos insights que as obras de Hannah Arendt e Walter Benjamim oferecem para a tematização do sujeito e dos processos de subjetivação que tem sido marcante nas investigações sociológicas. Orienta a argumentação a hipótese de que, em ambos os casos, as reflexões são pautadas por uma compreensão bastante específica da vida social e do desenrolar histórico, que tem como fulcro o caráter contingente do agir humano. Neste sentido, identificam-se nas categorias “ação” e “experiência” o cerne das proposições dos autores. Conclui-se, ao final, que embora Arendt e Benjamin tenham apontado os imensos desafios que as condições materiais e a mentalidade moderna impõem ao sujeito como possibilidade para o existir humano, ambos indicam que o sujeito livre, como postulado que preserva o homem de ser reduzido a objeto ou recurso de poder ou prazer, subsiste não apenas como valor, mas também como potencialidade.

    Abstract in English:

    Abstract: The text presents a brief discussion about the insights that the works of Hannah Arendt and Walter Benjamin offer to the approach of the subject and the process of subjectivation that are common in sociological investigations. The argument is guided by the hypothesis that in both cases the reflections are based on a very specific understanding of social life and historical development, which is based on the contingent character of human action. In this sense, the categories “action” and “experience” are the core of the authors’ propositions. In the end, we conclude that although Arendt and Benjamin have pointed out the immense challenges that the material conditions and the modern mentality impose on the subject as a possibility for human existence, both authors indicate that the free subject subsists not only as a value but also as a possible outcome, as the postulate that preserves man from being reduced to an object or a resource of power or pleasure.
  • O juiz e o compartilhamento do mundo da vida Dossiê: Sociologia e Fenomenologia

    Lima, Marcelo Rubin de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Neste artigo, o conceito de compartilhamento do mundo da vida de Alfred Schütz é utilizado para analisar a ação do juiz frente às inovações e novidades que os atores sociais em conflito trazem aos tribunais. Este é um problema que se apresenta para os juízes que se dedicam às causas ambientais, visto que as tradições do passado não podem ser reproduzidas por serem nocivas ao meio ambiente. O magistrado dirige suas palavras na sentença em direção aos nossos sucessores, às gerações futuras anônimas e indeterminadas. Estes aspectos foram trabalhados com apoio de entrevistas em profundidade e análises de textos jurídicos para estudar o caso do Quilombo da Família Silva, o primeiro quilombo urbano do Brasil. Constatamos que entre as capacidades de um juiz ambiental está a faculdade de autorizar o surgimento da inovação de que as novas gerações são portadoras. Desta forma ele consegue interromper uma tradição e iniciar uma nova cadeia de causa e efeito na sociedade.

    Abstract in English:

    Abstract: In this article, Alfred Schütz's concept of sharing the lifeworld is used to analyze the judge's action facing innovations and novelties that conflicting social actors bring to the courts. This is a problem that is presented to judges who are dedicated to environmental causes, since the past traditions can not be reproduced because they are harmful to the environment. The magistrate directs his words in the sentence towards our successors, the anonymous and indeterminate future generations. These aspects were addressed with the support of in-depth interviews and the analysis of legal texts to investigate the case of the Quilombo da Família Silva, the first urban reservoir of traditional land in Brazil. We find that among the capabilities of an environmental judge is the power to authorize the emergence of innovation whos carriers are the new generations. In this way he can break a tradition and start a new chain of cause and effect in society.
  • Depois do fim do platonismo fenomenológico Dossiê: Sociologia e Fenomenologia

    Mata, Sérgio da

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O objetivo do artigo é oferecer uma visão geral da obra filosófica de Hermann Lübbe. Para tanto, deu-se ênfase a dois de seus principais campos de investigação: história da filosofia e fenomenología da experiência do tempo nas sociedades modernas. A exposição está organizada em quatro momentos: (1) contextualização intelectual, (2) as críticas de Habermas às suas posições, (3) o pluralismo metodológico de Lübbe e (4) sua descrição das consequências sociais e culturais da aceleração civilizacional moderna, bem como as possibilidades que se abrem para tal abordagem na análise das “jornadas de junho” de 2013.

    Abstract in English:

    Abstract: The purpose of this article is to offer a first overview of Hermann Lübbe's extensive philosophical work. Two of his main research topics are stressed here: the history of philosophy, and the phenomenology of time experience in modern societies. This has been done through the following steps: (1) intellectual contextualization, (2) Habermas’ criticisms on his positions, (3) Lübbe's methodological pluralism, and (4) his description of the social and cultural consequences of modern civilizational acceleration, as well as some possibilities for this approach in the interpretation of the Brazilian protest waves of June 2013.
  • De la “nación homogénea” a la “nación pluriétnica” Indígenas, afrodescendientes y africanos en Argentina a principios del nuevo milenio Reseña

    Zapata, Horacio Miguel Hernán
  • From reciprocal recognition to a society that is properly ‘social’ Article

    Souza, Luiz Gustavo da Cunha de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Este artigo apresenta uma discussão sobre a obra recente de Axel Honneth. Começando por uma exposição de seu projeto teórico mais amplo, descrito em O direito da liberdade (2011) como uma teoria da justiça sociologicamente ancorada, o artigo demonstra como Honneth se move da ideia de uma luta por reconhecimento em direção à ideia de intersubjetividade institucional. Este movimento, porém, é acompanhado por críticas que vêm nesta passagem o abandono das ambições críticas de seu modelo e um compromisso reformista com a ordem capitalista de mercado. A fim de responder a estas objeções, Honneth propõe uma reatualização da ideia do socialismo (2015) a partir da noção de liberdade social, concluindo com uma distinção entre duas formas de luta por reconhecimento, uma interna e outra externa - e defendendo as vantagens da primeira.

    Abstract in English:

    Abstract: This paper addresses Axel Honneth's recent endeavors to defend his theory of justice, broadly described in Freedom's right (2011) as an analysis of society. The paper begins by exposing Honneth's model as a theory of institutional intersubjectivity rather than a theory of the struggle for recognition. This model, however, was subject to criticism due to its supposed acceptance of the capitalistic market economy as a social order. In order to defend it from such objections, Honneth (2016) exposes the normative core of socialist ideals as a version of social freedom. Finally, he presents a distinction between two forms of political intervention: an internal and an external struggle for recognition - and asserts the advantages of the former.
  • Retratos não-modelares da modernidade Artigo

    Tavolaro, Sergio B. F.

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O presente artigo almeja apurar no seio do pensamento social brasileiro a existência de elementos que indiquem alternativas a noções sociológicas consolidadas acerca da modernidade. Indaga-se sobre as premissas que subjazem imagens do Brasil talhadas em algumas obras ditas “clássicas” de interpretação de nossa formação social. Em seguida, busca-se identificar peças-chave do quadro de referência que, desde longa data, circunscreve os horizontes de ideação sociológica acerca da experiência moderna. Logo após, são contempladas as reflexões de analistas contemporâneos a respeito do valor heurístico de retratos do país delineados no seio do pensamento brasileiro. Por fim, à luz de programas e abordagens da teoria social contemporânea, lança-se mão de insights e sugestões ensaiadas em tais interpretações “clássicas” com o propósito de indicar saídas a alguns dos impasses e limites da sociologia da modernidade sublinhados na atualidade.

    Abstract in English:

    Abstract: While interested in non-standard experiences of modernity this article delves into “classic” oeuvres of the so-called Brazilian social thought as it searches for alternative concepts, categories and perspectives on modern sociability. It starts with the investigation of the premises that underlie and circumscribe the works of some of the most prestigious interpreters of Brazil. It then sheds lights on key components of the hegemonic frame of reference that informs sociological accounts on modernity up to these days. Finally, in light of contemporary social theory, the article lays out some elements for a counter-hegemonic discourse of modernity.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Av. Ipiranga, 6681 - Partenon, Cep: 90619-900, Tel: +55 51 3320 3681 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: civitas@pucrs.br