A qualidade de vida é muito comprometida em pacientes adultos com dermatite atópica no Brasil, especialmente devido a fatores emocionais

Silvana Coghi Maria Cecilia Bortoletto S.A.P. Sampaio Heitor Franco de Andrade Junior Valeria Aoki Sobre os autores

OBJETIVOS: Medir a qualidade de vida (QoL), por questionários tanto genéricos como dermatológicos específicos, em pacientes adultos brasileiros com dermatite atópica, procurando por grupos afetados selecionados. MÉTODOS: Nós estudamos a qualidade de vida em 75 pacientes brasileiros adultos em tratamento ambulatorial de dermatite atópica, usando dois tipos de questionários de auto-resposta, previamente padronizados: um questionário genérico de qualidade de vida de 36 questões (SF-36) e um questionário de 10 questões para determinação do índice dermatológico de qualidade de vida (DLQI). Todos os pacientes estavam em tratamento por pelo menos seis meses e o seu estágio de doença clinico definido quantitativamente pelo índice padronizado de gravidade e áreas de eczema (EASI). RESULTADOS: A QoL e o controle da doença estavam relacionados mas com baixa relação tanto avaliados pelo DLQI (r²=0.26) ou pelo SF-36 (r²=0.20), mas com maiores relações com os componentes emocionais do SF-36. Usando a distribuição do percentil 75% para o SF36 e os valores de 75% do escore de gravidade clínica EASI, os pacientes foram distribuídos em quatro grupos: I que referia boa QoL e doença atópica leve (14/75), II referindo má QoL e doença atópica leve (19/75), III referindo boa QoL apesar de doença atópica mais grave (5/75) e IV concordando uma má QoL referida e uma doença atópica mais grave (37/75); todos os grupos apresentavam mesma distribuição etária, educação e nível social, renda familiar e tempo de doença. Havia uma maior freqüência de mulheres no grupo II, mas sem distúrbios de sono ou prurido intenso, fatores presentes intensamente no grupo IV. Dissecando os componentes físicos e emocionais do SF36, os grupos discrepantes II e II apresentavam maior diferença relativa aos componentes emocionais do teste, que também estavam relacionados aos valores do teste DLQI, o qual apresentava uma distribuição similar entre os grupos e maior relação aos componentes emocionais do teste genérico. CONCLUSÕES: A qualidade de vida é afetada em pacientes adultos com dermatite atópica, relacionada tanto com a gravidade da doença clinica como com os componentes emocionais, que são diferentes em subgrupos de pacientes. Estes dados mostram componentes que podem mascarar o exato impacto da severidade da doença sobre a qualidade de vida destes pacientes.

Dermatite atópica; Dualidade de vida; SF-36; DLQI


Faculdade de Medicina / USP Rua Dr Ovídio Pires de Campos, 225 - 6 and., 05403-010 São Paulo SP - Brazil, Tel.: (55 11) 2661-6235 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: clinics@hc.fm.usp.br