Cadernos Nietzsche, Volume: 39, Issue: 3, Published: 2018
  • O antiniilismo estético e a superação do niilismo Artigos

    Guervós, Luis Enrique de Santiago

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este artigo pretende mostrar que o niilismo no pensamento nietzschiano, além de ser um fenômeno histórico e um modo de ser do homem, é também fundamentalmente um fenômeno estético que assume a finitude da condição humana. Assim, Nietzsche, ao descrever o desenvolvimento do niilismo, quer narrar ao mesmo tempo sua própria vida. Ademais, o niilismo não pode ser superado de fora de seu próprio ponto de vista, mas deve ser superado desde dentro e somente por alguém que o vivenciou: isso só é possível mediante fazer de si mesmo uma obra de arte.

    Abstract in English:

    Abstract This article aims to show that nihilism in Nietzschean thought, besides being a historical phenomenon and a way of being of man, is also fundamentally an aesthetic phenomenon that presupposes the finitude of the human condition. Thus Nietzsche, when describing the development of nihilism, wants to narrate his own life at the same time. Moreover, nihilism cannot be overcome from outside its own point of view, but it must be overcome from within and only by someone who has experienced it: this can only be achieved through the self-creation as a work of art.
  • O conceito de cultura no período extemporâneo de Nietzsche Artigos

    Drews, Pablo

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O problema da cultura para Nietzsche é uma questão central que atravessa toda sua obra e que além disso permite entender o fundamental de seu pensamento. Neste artigo apresentaremos o conceito de cultura em seu ciclo extemporâneo, remetendo as análises a um período concreto de sua produção, aquele que compreende de O nascimento da tragédia (1872 até publicação da quarta Consideração Extemporânea (1876). Desse modo incluímos nesse ciclo intempestivo a sua opera prima, na medida em que nela se assentam os problemas vertebrais que as Considerações Extemporâneas enfrentarão à maneira de combate: a modernidadee racional como modo general de organização da existência, e em concreto o espírito da ciência que funciona como o fundamento da cultura moderna e que remonta historicamente à virada socrática. Essas críticas contra as ideias modernas Nietzsche as expõe de maneira magistral nas primeiras duas Extemporâneas, que têm como objetivo combater o filisteu da formação [Bildungsphilister] e ao espírito historicista que se havia instalado em sua época.

    Abstract in English:

    Abstract The topic of culture is present throughout the whole of Nietzsche’s work and plays a fundamental role in helping us understand his philosophy. For the purposes of this essay, we will present the concept of culture during a specific period of his work, ranging from the publication of The Birth of Tragedy (1872) to the fourth of his Untimely Meditations (1876), which will be referred to as the untimely period. Thus, we are including in this period his opera prima, since the fundamental problems he will combat in the Untimely Meditations are present here: the idea of modernity as a general way of organizing existence, and more specifically, the scientific spirit as the backbone of modern culture which can be traced back to Socrates. Nietzsche presents the criticisms towards modern ideas majestically in the first two Meditations, with the objective of combatting the historicist spirit of the time.
  • Friedrich Nietzsche e a crítica dos paradigmas culturais nas preleções da Basileia Artigos

    Santini, Carlotta

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Quando pensamos na Grécia, o “lugar dos sonhos” (Wunsch-Ort) dos alemães, e especialmente na relação de Nietzsche com a Grécia, muitas coisas podem com razão chamar nossa atenção. Grécia pode ser interpretada de diferentes maneiras na obra de Nietzsche. Mas todos podemos talvez concordar que, para Nietzsche, o mundo grego é uma ferramenta de valor crítico insuperável. Eles são testemunhas da diferença que os separa de nós. Eles são uma alternativa cultural inalcançável (unerreichbare) e inalcançada (unerreichte), para a qual é permitido orientar-nos, mas da qual, frequentemente e mais facilmente, podemos nos separar. Nietzsche serve-se do mundo grego a fim de aprofundar a crise da cega confiança etnocêntrica do homem moderno. Como historiador e filólogo, Nietzsche usa a literatura grega para lutar contra o absolutismo científico (há apenas um mundo, apenas uma ciência, uma única ratio, a minha) do mundo moderno. Sua crítica almeja falsificar as categorias científicas modernas, prosseguindo com um estudo genealógico que deve “transvalorar” as bases da cultura ocidental moderna.

    Abstract in English:

    Abstract When we think of Greece, the “Place of Desire” (Wunsch-Ort) of the German, and especially of the relation between Nietzsche and Greece, many things could indeed come to our attention. Greece could be interpreted in many different ways in Nietzsche’s work. Although we can all agree that, to Nietzsche, the Greek world is a tool of insurmountable critical value. They are spectators of the difference that separates them from us. They are an unattainable (unerreichbare) and unattained (unerreichte) cultural alternative, which allows us to orient ourselves, although from which, frequently and most easily, we can draw apart from. Nietzsche uses the Greek world in order to deepen the blind ethnocentric confidence crisis of modern man. As a Historian and Philologist, Nietzsche uses Greek literature to fight against scientific absolutism (there’s only one World, only one Science, only one ratio, mine) of modern world. His criticism aims to falsify the modern scientific categories, proceeding with a genealogical study, which should “transvaluate” the basis of the modern western society.
  • A questão da teleologia nos apontamentos do jovem Nietzsche: Zu Schopenhauer e Zur Teleologie (1867-68) Artigos

    Mattioli, William

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este artigo corresponde à primeira de duas partes que perfazem um estudo sobre a questão da teleologia nos apontamentos do jovem Nietzsche entre 1867 e 1869. No seu todo, o trabalho pretende oferecer uma leitura de três conjuntos de notas escritos pelo filósofo nesse período: Zu Schopenhauer, Zur Teleologie e Vom Ursprung der Sprache, com um claro enfoque nas notas sobre a teleologia, de 1868. Meu objetivo é tentar mostrar que, apesar das diversas críticas de Nietzsche à teleologia e de sua aparente adesão (via Lange) ao darwinismo, sua posição é melhor compreendida como um tipo de vitalismo, que é receptivo à ideia de uma intencionalidade inconsciente na natureza, mas que recusa explicitamente a concepção antropomorficamente inflacionada de um designer divino. Nesta primeira parte do estudo, me dedico a uma análise do texto Zu Schopenhauer e de parte do conjunto de notas reunidas sob o título Zur Teleologie.

    Abstract in English:

    Abstract This paper corresponds to the first of two parts that make up a study on the question of teleology in the notes of the young Nietzsche between 1867 and 1869. On the whole, the study intends to offer a reading of three sets of notes written by the philosopher in that period: Zu Schopenhauer, Zur Teleologie, and Vom Ursprung der Sprache, with a clear focus on the notes on teleology of 1868. My aim is to try to show that, despite Nietzsche's various criticisms of teleology and his apparent adherence (via Lange) to Darwinism, his position is best understood as a kind of vitalism, which is receptive to the idea of an unconscious intentionality in nature, but which explicitly rejects the anthropomorphically inflated conception of a divine designer. In this first part of the study, I focus on an analysis of the text Zu Schopenhauer and part of the set of notes collected under the title Zur Teleologie.
  • Nietzsche e a dialética aporética entre primeira e segunda natureza Artigos

    Piazza, Marco

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Nietzsche, em seus escritos, usa várias vezes a expressão “segunda natureza”, e ao longo de uma vasta extensão de tempo. O que torna muito interessante o uso nietzschiano desse termo é que uma parte substancial das suas ocorrências se caracteriza em torno de uma justaposição dialética entre uma “primeira” e uma “segunda natureza”. Este artigo apresenta uma reconstrução da reflexão de Nietzsche acerca da “segunda natureza”, em que tentamos demonstrar como nela existe uma compreensão clara de alguns aspectos das Philosophies of Habit clássicas e modernas e, conjuntamente, uma crítica do papel positivo atribuído ao hábito pela filosofia empirista anglo-saxônica.

    Abstract in English:

    Abstract In his writings, Nietzsche repeatedly uses the expression "second nature", and over a vast span of time. What makes the Nietzschean use of this term very interesting is that a substantial part of its occurrences is characterized by a dialectical juxtaposition between a "first" and a "second nature." This article presents a reconstruction of Nietzsche's reflection on "second nature," in which we attempt to demonstrate that there is a clear understanding of some aspects of the classical and modern Philosophies of Habit, as well as a critique of the positive role attributed to habit by Anglo-Saxon empiricist philosophy.
  • Verdade é práxis: Nietzsche e Marx Artigos

    Heit, Helmut

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O objetivo deste artigo é delinear semelhanças significativas e dissonâncias produtivas entre Marx e Nietzsche. Minha tese é a de que esses dois pensadores têm muito mais em comum do que é reconhecido ordinariamente. Após provar que Nietzsche muito provavelmente conhecia Marx, eu desenvolvo vários aspectos comuns a ambos. Ambos os pensadores perseguem projetos filosóficos de transformação crítica, empregam uma hermenêutica da suspeita, além do bem e do mal, ambos propõem uma antropologia naturalizada e reconstruções históricas. As passagens finais discutem suas respectivas concepções de capitalismo e de socialismo. As semelhanças e as diferenças entre Nietzsche e Marx podem servir como recurso produtivo e como inspiração em nossas tentativas contemporâneas para entender o mundo em que vivemos.

    Abstract in English:

    Abstract The aim of this paper is to point out significant similarities and productive dissonances between Marx and Nietzsche. My thesis is that these two thinkers have much more in common as is usually acknowledged. After a prove that Nietzsche most certainly know Marx, I develop several aspects of commonality. Both pursue philosophical projects of critical transformation, employ a hermeneutics of suspicion beyond good and evil, propose a naturalized anthropology and historical reconstructions. The final passages discuss their respective views on capitalism and socialism. The similarities as well as the differences between Marx and Nietzsche could serve as a productive resource and inspiration in our contemporary attempts to understand the world we live in.
  • Nietzsche, a vida como exigência da obra Artigos

    Oliveira, Jelson R. de; Falabretti, Ericson S.

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O presente trabalho explora o expediente metodológico aplicado por Merleau-Ponty sobre a obra e a vida de Cézanne: a vida como exigência de uma obra. Discutimos como esse expediente oferece uma chave de leitura para as polêmicas relações entre a vida e a obra nietzschiana, tanto no sentido de verificar como Nietzsche se apresenta internamente à sua obra, quanto para analisar como as circunstâncias de sua vida (doença, solidão, amizade, nomadismo, geografia, clima e distrações corporais) podem ser interpretadas como exigências do tipo de obra que ele se propôs a formular. Isso nos leva a uma nova estratégia para interpretar também a própria genealogia da obra nietzschiana e, com ele, de toda a história da filosofia.

    Abstract in English:

    Abstract This paper explores the methodological expedient applied by Merleau-Ponty on the work and the life of Cézanne: the life as demand of a work. We discuss how this expedient offers a key to the controversial relations between Nietzsche’s life and Nietzsche’s work, both in terms of how Nietzsche presents himself internally in his work, and in analyzing how the circumstances of his life (illness, loneliness, friendship, nomadism, geography, climate, and bodily distractions) can be interpreted as demands of the kind of work he has set out to formulate. This brings us to a new strategy to interpret the genealogy of Nietzsche’s work and, with it, of the whole history of philosophy.
  • O Eterno Retorno de Nietzsche como argumento do conto A biblioteca de Babel de Borges Artigos

    Marson, Henrique Aparecido

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este trabalho visa mostrar que o conceito de Eterno Retorno de Nietzsche, em sua vertente cosmológica, foi utilizado por Borges como argumento do conto A biblioteca de Babel. Para tanto, a Poética da leitura será trazida à tona em conjunto com o conceito de situação filosófico-narrativa para subsidiar a investigação. Em seguida, o entendimento de Borges sobre o Eterno Retorno de Nietzsche terá lugar. Por fim, o conto será analisado para verificar nele os elementos que sustentam que o argumento de A biblioteca de Babel é o conceito de Eterno Retorno de Nietzsche.

    Abstract in English:

    Abstratct This work aims to show the concept of Eternal Return of Nietzsche, in its cosmological version, it was used by Borges as argument of the story The Library of Babel. Therefore, the Poetics of reading will be brought up along with its connection with the concept of the philosophical-narrative situation to subsidize the research. Then, the understanding of Borges about the Eternal Return of Nietzsche will be discussed. Finally, the story will be analyzed in order to check on it the elements that show that the argument of The Library of Babel is Nietzsche's concept of Eternal Return.
  • Um olhar de Nietzsche ao século XVII: os subterrâneos da revolução cartesiana Artigos

    Krieger, Saulo

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Neste artigo pretendemos fazer ver de que modo a “revolução cartesiana” se revelou, para Nietzsche, uma resposta irrefletida a dispositivos inconscientes. A pretensa radicalidade da fundação da filosofia de Descartes e os desdobramentos desta teriam se dado pela intromissão dos seguintes fatores de ação inconsciente: o anseio por acomodação fisiopsicológica por trás do cogito; a moralidade inconsciente a hierarquizar o inteligível como superior ao sensível e ao passional, bem como a fazer pressupor um mundo ordenado, dócil às ideias claras e distintas; um terceiro fator de atuação inconsciente seria as “teias da gramática”, que o fizeram se limitar a inverter a primazia entre “eu” e “penso”, proporcionando ao pensar, e a seus resultados científicos subsequentes, uma ação de estrangulamento do que até então se tinha pela noção de alma. Esse quadro só fez se agravar até a segunda metade XIX, momento em que Nietzsche depara com a filosofia.

    Abstract in English:

    Abstract: This article has the purpose to highlight how does the “cartesian revolution” reveals itself to Nietzsche as a thoughtless answer to unconscious devices. Thus, the alleged radicality in the foundation of his philosophy and its unfolding would have happened by the intrusion of the following unconscious agents: the yearning of a physio-psychological accommodation behind the cogito; the unconscious morality ranking the intellect as higher than the sensible and the passional spheres, as well as implying a well-ordered world, obedient to the clear and distincts ideas; a third factor of uncouscious agency would be the habits of grammar, whereby he proceeds just in inverting the primacy between “I” and “think”, providing thought and its scientific deeds with a “tourniquet action” exerted on the ancient notion of soul. This framework continued to worsen until the second half of nineteenth century, when Nietzsche discovered philosophy.
  • A longa história do encontro entre Nietzsche e D. Pedro II Artigos

    Dias, Geraldo

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A história do encontro entre Nietzsche e Dom Pedro II, outrora anedoticamente difundida por Elisabeth Förster-Nietzsche, tem sido, ao longo de mais de um século, alimentada pela nossa historiografia (por historiadores como Oliveira Lima e José Murilo de Carvalho), pela crítica literária (seja pelo modernista Alceu Amoroso Lima e o simbolista Tristão da Cunha) e a imprensa diária e periódica, nacional e estrangeira. Nesse sentido, este artigo visa a discutir as causas e as consequências políticas dessa longa história para a recepção brasileira do pensamento de Nietzsche.

    Abstract in English:

    Abstract The history of the meeting between Nietzsche and Dom Pedro II, once anecdotally disseminated by Elisabeth Förster-Nietzsche, has been, for more than a century, provide by our historiography (by historians such as Oliveira Lima and José Murilo de Carvalho), by critics (by the modernist Alceu Amoroso Lima and the symbolist Tristão da Cunha) and the daily and periodical press, national and foreign. In this sense, this paper aims to discuss the motivations and political consequences of this long history for the Brazilian reception of Nietzsche’s thought.
  • Sobre o valor filosófico de uma autobiografia Resenha

    Zattoni, Romano S.
  • Dos românticos a Nietzsche. Oito estudos sobre a Filosofia do século XIX Resenha

    Meireles, Tulipa Martins
  • Errata Errata

Grupo de Estudos Nietzsche Rodovia Porto Seguro - Eunápolis/BA BR367 km10, 45810-000 Porto Seguro - Bahia - Brasil, Tel.: (55 73) 3616 - 3380 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: cadernosnietzsche@ufsb.edu.br
Accessibility / Report Error