Aquisição da linguagem: hesitações no par dialógico pergunta/resposta

Lourenço Chacon Cristyane de Camargo Sampaio Villega Sobre os autores

OBJETIVOS:

(1) Verificar a existência (ou não) de marcas hesitativas no início de enunciados no discurso de crianças; e (2) verificar em que medida a presença/ausência dessas marcas se explicaria por fatos recuperáveis na produção de seus discursos.

MÉTODOS:

Foram analisadas situações de entrevistas de quatro crianças com 5-6 anos de idade que frequentavam o nível II de uma escola pública de Educação Infantil na época da coleta dos dados. As entrevistas foram gravadas, em áudio e em vídeo, no interior de uma cabine acústica, com material de alta fidelidade. Posteriormente, as gravações foram transcritas por seis transcritores treinados para essa tarefa. Foram utilizadas normas de transcrição que priorizavam a análise das hesitações. Para a análise de fatos recuperáveis das condições de produção dos discursos das crianças, foi adotado o par dialógico pergunta-resposta.

RESULTADOS:

Foi observada correlação entre presença/ausência de hesitação em início de enunciados das crianças e tipo de pergunta (aberta/fechada) feita pelo interlocutor. Quando a pergunta era do tipo fechada, os enunciados iniciaram-se, preferencialmente, sem marca hesitativa; já quando a pergunta era do tipo aberta, os enunciados iniciaram-se, preferencialmente, com marcas hesitativas.

CONCLUSÃO:

A presença/ausência de marcas hesitativas em início de enunciados das crianças mostrou-se como dependente das condições de produção de seus discursos.

Linguagem Infantil; Linguística; Fonoaudiologia; Comunicação; Criança; Estudos de Linguagem; Desenvolvimento da Linguagem; Fala


Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Al. Jaú, 684, 7º andar, 01420-002 São Paulo - SP Brasil, Tel./Fax 55 11 - 3873-4211 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@codas.org.br