LOMBALGIA EM ESTUDANTES DE MEDICINA: PREVALÊNCIA E FATORES RELACIONADOS

NATASSJA BOSZCZOWSKI RUAN CARLO RODRIGUES PINTO FRANCISCO ALVES DE ARAÚJO JUNIORSobre os autores

RESUMO

Objetivo

Identificar a prevalência de lombalgia e os fatores associados em acadêmicos de medicina e medir o grau de incapacidade que a dor pode causar nesses estudantes.

Métodos

Os dados foram coletados virtualmente, por meio do Google Forms. Depois da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), os participantes responderam a um questionário sociodemográfico e os que relataram dor lombar também preencheram o Índice de Incapacidade de Oswestry. A análise dos dados foi feita em três etapas, com o programa estatístico R Core Team 2020, software livre e de código aberto. Nas segunda e terceira etapas, foram aplicados o Teste do Qui-Quadrado e o Teste Exato de Fisher.

Resultados

O estudo constou de 200 participantes, dos quais 58% relataram dor lombar. Dentre as pessoas com dor, 94% tinham escore de incapacidade em escala mínima. Nenhuma das variáveis apresentou relação significativa, embora IMC, sexo e etilismo tenham demonstrado valor de p próximo de 0,05 ou superior.

Conclusões

A prevalência de dor lombar nos estudantes de medicina foi de 58%, e nenhum fator de risco específico foi identificado. Além disso, 94% dos acadêmicos que relataram dor lombar tiveram escore de incapacidade na escala mínima e 6% em escala moderada. Nenhum participante apresentou incapacidade grave ou maior. Nível de evidência II; Estudo descritivo transversal com abordagem quantitativa.

Dor Lombar; Faculdades de Medicina; Estudantes de Medicina; Dor

Sociedade Brasileira de Coluna Al. Lorena, 1304 cj. 1406/1407, 01424-001 São Paulo, SP, Brasil, Tel.: (55 11) 3088-6616 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: coluna.columna@uol.com.br
Accessibility / Report Error