Screening Sex: revelando e dissimulando o sexo

Screening Sex

Neste texto, procura-se contar a história da exibição do sexo em filmes majoritariamente produzidos nos Estados Unidos no período de quase um século. Ao se perguntar quando, porque e como os Estados Unidos se transformaram de uma cultura que não exibia o sexo em uma que o exibe, a autora insiste no duplo significado do verbo screen (tanto como uma revelação quanto uma dissimulação). Exibir é revelar em uma tela. Mas um segundo e igualmente importante significado, como diz o dicionário é "proteger ou esconder atrás de uma tela". Os filmes tanto revelam como escondem. O artigo analisa a forma como mudanças sociais ocorridas nos Estados Unidos, como, por exemplo, a Revolução sexual dos anos 60 e novas visões a respeito da sexualidade, possibilitaram novas maneiras de representação do sexo no cinema, reorganizando a relação entre o público e o privado. O artigo se pergunta também sobre como nossos corpos e sentidos reagem ao encontro com o sexo na tela, introduzindo a ideia de "saber carnal" (carnal knowledge).

Sexo; Cinema; Pornografia


Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu Universidade Estadual de Campinas, PAGU Cidade Universitária "Zeferino Vaz", Rua Cora Coralina, 100, 13083-896, Campinas - São Paulo - Brasil, Tel.: (55 19) 3521 7873, (55 19) 3521 1704 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: cadpagu@unicamp.br