Couro imperial: raça, travestismo e o culto da domesticidade

Imperial leather: race, cross-dressing and the cult of domesticity

Analisando a relação sadomasoquista de um casal vitoriano, a autora argumenta que o travestismo de Hannah Cullwick e seu fetichismo eram tentativas sistemáticas de negociar os perigos do que, segundo ela, foi um dos atos de desaparecimento mais bem sucedidos da história moderna - a ocultação do trabalho doméstico das mulheres. Recusando-se a trocar a sua força desordeira da classe trabalhadora pelas rédeas da respeitabilidade, Hannah se adornou com seus próprios grilhões simbólicos, pondo em questão, de modo dramático, a narrativa vitoriana de progresso e a família humana heterossexual.

Fetichismo; Sadomasoquismo; Trabalho Doméstico; Era Vitoriana


Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu Universidade Estadual de Campinas, PAGU Cidade Universitária "Zeferino Vaz", Rua Cora Coralina, 100, 13083-896, Campinas - São Paulo - Brasil, Tel.: (55 19) 3521 7873, (55 19) 3521 1704 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: cadpagu@unicamp.br