TRIAGEM SOROLÓGICA DE DOENÇAS INFECCIOSAS: II. ASSOCIAÇÃO ENTRE PREVALÊNCIA E NÍVEIS DE POSITIVIDADE AO ELISA

Um rebanho bovino (cruza Holandês-Zebu) foi monitorado durante um período de dois anos pelo teste imuno-enzimático (ELISA) para detectar anticorpos contra 19 agentes infecciosos. Duzentos e noventa e cinco soros foram coletados de 157 animais jovens (0-4 meses de idade), 1037 soros de 292 animais em crescimento (4-36 meses de idade) e 1468 soros de 259 animais em produção (>36 meses de idade). Os resultados indicam que a diferença entre resultados positivos e negativos ao ELISA está associada com a prevalência geral de testes positivos. Quando esta prevalência for baixa a diferença entre resultados positivos e negativos é maior do que quando esta for intermediária ou alta. Isto significa que o ELISA é mais confiável quando em prevalências baixas. Isto tenderá a compensar diminuindo a probabilidade de valores positivos em prevalências baixas podendo contribuir no uso da sorologia em programas de erradicação.

triagem sorológica; doença de bovinos; ELISA


Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br