Caracterização da composição do leite de vacas Holandesas: estudo retrospectivo

Carlos Bondan Jéssica Aneris Folchini Mirela Noro Daniel Lazzari Quadros Karine Martini Machado Félix Hilário Diaz González Sobre os autores

RESUMO:

A determinação da qualidade do leite nas fazendas é um parâmetro mundialmente aceito e utilizado como base para os sistemas de pagamento. Os produtores modernos utilizam o conhecimento das características do leite para adotar medidas que visam melhorar produtividade e qualidade. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos do ano, estação, estágio de lactação e número de lactação sobre as variáveis produção e composição do leite de vacas Holandesas (n=148,604). A produção de leite estimada por regressão múltipla foi de 25,50L/vaca/dia. O inverno foi à estação com a maior produtividade e os maiores teores de proteína e lactose. A gordura de leite foi maior no outono em vacas primíparas e no final da lactação. As vacas com estágio de lactação entre 6 a 60 dias e aquelas que se encontram na segunda ou terceira lactação apresentaram a maior produtividade. A concentração de lactose correlacionou-se positivamente com a produção de leite. O escore das células somáticas correlacionou-se negativamente com a produtividade e com a concentração de lactose. As variações mais importantes nas características do leite ocorrem entre estações, estágios de lactação e número de partos. A saúde da glândula mamária ainda é o maior desafio a superar.

Palavras-chave:
qualidade do leite; número de lactações; sazonalidade; estágio de lactação

Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br