Correlação entre ruptura de ligamento cruzado cranial e lesão de meniscomedial em cães

Correlation between cranial cruciate ligament rupture and meniscal tears in dogs

Ísis dos Santos Dal-Bó Cássio Ricardo Auada Ferrigno Daniela Fabiana Izquierdo Caquías Marcos Ishimoto Della Nina Márcio Poletto Ferreira Adriana Valente de Figueiredo Renato Albuquerque de Oliveira Cavalcanti Jaqueline França do Santos Vanessa Couto de Magalhães Ferraz Sobre os autores

O presente trabalho correlacionou o tempo de ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr) à lesão em menisco medial e ao tipo de lesão observada em cães tratados por estabilização dinâmica (osteotomias) ou estática (sutura fabelo-tibial). Este estudo retrospectivo avaliou os registros de 104 cães (117 joelhos). As osteotomias foram realizadas em 98 articulações, a sutura fabelo-tibial em 15 joelhos e, em 4 joelhos, foi realizada apenas artrotomia exploratória. A média de idade foi 4,5 anos, 41% dos cães eram machos e 59%, fêmeas e a média da massa corporal foi 32,7kg. Os tipos de lesão do menisco medial observados foram: tipo 1, 2, 3, 4, 6, 7 e associações dos tipos 1-4, 1-6 e 1-7. O tipo 1 foi o mais prevalente, sendo responsável por 32,5% dos casos. Não foram encontradas correlações entre a presença ou não de lesão de menisco medial e o tempo de ocorrência da RLCCr e entre o tipo de lesão de menisco medial e o tempo de RLCCr.

TPLO; TTA; meniscectomia; joelho; canino


Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br