Accessibility / Report Error

CONSERVAÇÃO DO SÊMEN CANINO A 37ºC EM DILUENTES À BASE DE ÁGUA DE COCO

CANINE SEMEN CONSERVATION AT 37ºC IN COCONUT WATER BASED EXTENDERS

Resumos

O presente trabalho objetivou avaliar a eficiência do diluidor à base de água de coco acrescido de ácido 3-indol acético (AIA) e gema de ovo na conservação do sêmen canino a 37ºC. Coletou-se o sêmen de seis cães adultos por manipulação digital, fracionando-o em três alíquotas. Procedeu-se a diluição do sêmen com o diluidor à base de água de coco (grupo A), com este acrescido de 4% de AIA (grupo B) e, com o mesmo acrescido de 20% de gema de ovo e 4%AIA (grupo C). Avaliou-se a motilidade, o vigor e a percentagem de alterações morfológicas espermáticas imediatamente após a coleta e periodicamente durante 180 minutos (T0, T5, T15, T30, T60, T90, T120, T180), avaliando-se também a taxa de degradação média de motilidade espermática (TDM). Os diluidores foram comparados pelo teste de Whitney-Mann (P<0,05). Não foram verificadas diferenças estatísticas entre os grupos até T60. A motilidade no uso do grupo A foi superior à dos demais grupos a partir de T90, ficando em torno de 95%.A TDM foi significativamente menor no diluente A (7,5%) em relação aos demais diluentes. Dessa forma, o diluente à base de água de coco mostrou-se adequado para a preservação do sêmen canino a 37ºC por 180 minutos.

sêmen canino; termorresistência; água de coco


The aim of this study was to evaluate the canine semen diluted with coconut water extender, added of 3-indol acetic acid (IAA) and egg yolk at 37ºC. Sperm of six stud dogs was collected by digital manipulation and divided in three equal aliquots. Dilution was performed by the addiction of coconut water (extender 1), coconut water plus 4% of IAA (extender 2) and coconut water plus 4% of IAA and 20% of egg yolk (extender 3). Sperm motility, vigor and morphology immediately after dilution and periodically until 180 minutes, as well as media degradation motility rate (DMR), were evaluated. Extenders were compared by Whitney-Mann test (P<0.05). Statistical differences were not shown between the extenders up to 60 minutes. After 90 minutes, sperm motility on the extender A was superior to the other extenders (95%). The DMR on the extender A (7.5%) was significantly inferior to the other extenders. Thus, coconut water extender is adequate for the preservation of canine semen at 37ºC for 180 minutes.

canine semen; termorresistance; coconut water


CONSERVAÇÃO DO SÊMEN CANINO A 37oC EM DILUENTES À BASE DE ÁGUA DE COCO

CANINE SEMEN CONSERVATION AT 37oC IN COCONUT WATER BASED EXTENDERS

Daniel Couto Uchoa1 1 Acadêmico de Medicina Veterinária, Faculdade de Veterinária (FAVET), Universidade Estadual do Ceará (UEGE), Rua Jaime Pinheiro, 84, Cocó, Fortaleza, Ceará. E-mail: donpepe@zipmail.com.br. Autor para correspondência. Alexandre Rodrigues Silva2 2 Médico veterinário, Mestrado em Ciências Veterinárias, FAVET/UECE. Rita de Cássia Soares Cardoso2 2 Médico veterinário, Mestrado em Ciências Veterinárias, FAVET/UECE. Bárbara Sucupira Pereira3 3 Acadêmico de Medicina Veterinária, FAVET/UECE. Lúcia Daniel Machado da Silva4 4 Doutor em Ciências Veterinárias, FAVET/UECE.

RESUMO

O presente trabalho objetivou avaliar a eficiência do diluidor à base de água de coco acrescido de ácido 3-indol acético (AIA) e gema de ovo na conservação do sêmen canino a 37oC. Coletou-se o sêmen de seis cães adultos por manipulação digital, fracionando-o em três alíquotas. Procedeu-se a diluição do sêmen com o diluidor à base de água de coco (grupo A), com este acrescido de 4% de AIA (grupo B) e, com o mesmo acrescido de 20% de gema de ovo e 4%AIA (grupo C). Avaliou-se a motilidade, o vigor e a percentagem de alterações morfológicas espermáticas imediatamente após a coleta e periodicamente durante 180 minutos (T0, T5, T15, T30, T60, T90, T120, T180), avaliando-se também a taxa de degradação média de motilidade espermática (TDM). Os diluidores foram comparados pelo teste de Whitney-Mann (P<0,05). Não foram verificadas diferenças estatísticas entre os grupos até T60. A motilidade no uso do grupo A foi superior à dos demais grupos a partir de T90, ficando em torno de 95%.A TDM foi significativamente menor no diluente A (7,5%) em relação aos demais diluentes. Dessa forma, o diluente à base de água de coco mostrou-se adequado para a preservação do sêmen canino a 37oC por 180 minutos.

Palavras-chave: sêmen canino, termorresistência, água de coco.

SUMMARY

The aim of this study was to evaluate the canine semen diluted with coconut water extender, added of 3-indol acetic acid (IAA) and egg yolk at 37oC. Sperm of six stud dogs was collected by digital manipulation and divided in three equal aliquots. Dilution was performed by the addiction of coconut water (extender 1), coconut water plus 4% of IAA (extender 2) and coconut water plus 4% of IAA and 20% of egg yolk (extender 3). Sperm motility, vigor and morphology immediately after dilution and periodically until 180 minutes, as well as media degradation motility rate (DMR), were evaluated. Extenders were compared by Whitney-Mann test (P<0.05). Statistical differences were not shown between the extenders up to 60 minutes. After 90 minutes, sperm motility on the extender A was superior to the other extenders (95%). The DMR on the extender A (7.5%) was significantly inferior to the other extenders. Thus, coconut water extender is adequate for the preservation of canine semen at 37oC for 180 minutes.

Key words: canine semen, termorresistance, coconut water.

INTRODUÇÃO

A inseminação artificial (IA) é uma biotecnologia bastante difundida na reprodução assistida de diversas espécies. Atualmente, essa biotécnica vem tornando-se usual também entre os veterinários que trabalham com melhoramento genético de cães. Paralelamente ao uso da IA, diversos métodos de conservação de sêmen canino, como o resfriamento (YUBI et al., ., 1987; ROTA et al., ., 1995) e a congelação (FOOTE, 1964; ENGLAND, 1993; RODRIGUES, 1997, SILVA et al., ., 2000) estão sendo aperfeiçoados. Entretanto, a utilização do sêmen fresco dentro de um curto período de tempo após a coleta tem recebido pouca atenção, sendo necessária a realização de estudos que verifiquem a viabilidade espermática. Isso facilitaria o transporte do sêmen canino dentro e entre áreas geográficas separadas por pouca distância, possibilitando, inclusive, o seu fracionamento e a inseminação de diversas cadelas.

A determinação da viabilidade espermática é realizada através do teste de termorresistência, que consiste na incubação do sêmen em banho-maria a 37oC na tentativa de se reproduzir in vitro o que aconteceria com os espermatozóides no interior do trato genital feminino. Neste teste, pode-se utilizar o sêmen fresco sem aditivos ou com a adição de diluentes. Nos últimos anos, foi desenvolvido um diluente à base de água de coco para a conservação do sêmen de caprinos (NUNES, 1985), suínos (TONIOLLI & MESQUITA, 1990), capotes (MILITÃO et al., 1994) e ovinos (SOUZA et al., ., 1994). O sêmen de suínos (TONIOLLI & MESQUITA 1990), e de caprinos e ovinos (NUNES & COMBARNOUS 1995), diluído em água de coco demonstrou excelentes resultados durante o teste de termorresistência, resfriamento e congelação. No sêmen canino, apenas testes de congelação com o referido diluidor foram efetuados, tendo sido alcançados excelentes resultados (SILVA et al., 2000).

Devido à abundância de sua matéria-prima na região Nordeste do Brasil, refletindo-se em baixo custo, associado ao preparo simples, é viável a possibilidade de se adequar o diluente à base de água de coco à conservação do sêmen de cães. Foi isolada da água de coco uma molécula pertencente ao grupo das auxinas, o ácido 3-indol-acético (AIA), o qual confere aos espermatozóides, um aumento na motilidade e vigor espermático (SALES, 1989). Um outro componente largamente utilizado na composição de diluidores do sêmen canino é a gema de ovo pelas suas propriedades nutritivas e protetoras de membrana (ENGLAND, 1993). Neste contexto, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a eficiência do diluidor à base de água de coco acrescido de ácido 3-Indol acético (AIA) e gema de ovo na conservação do sêmen canino a 37oC.

MATERIAL E MÉTODOS

Para o desenvolvimento do trabalho, foram selecionados seis cães das raças: Pastor Alemão (n=2), Husky Siberiano (n=1), Rottweiller (n=1), Retriever Labrador (n=1) e sem raça definida (n=1), com idade variando entre 2 e 7 anos. Os animais, pertencentes ao canil da Polícia Militar do Ceará e a canis particulares, foram alimentados com ração comercial Pedigree® uma vez ao dia, tendo acesso à água à vontade.

Cada cão foi submetido a uma coleta de sêmen por manipulação digital (CHRISTHIANSEN, 1984), com o auxílio de funil e tubos graduados. O ejaculado foi avaliado e a fração espermática separada em três alíquotas destinadas à diluição e conservação com os três diluentes a serem testados.

Imediatamente após a coleta, o sêmen foi avaliado quanto às suas características macroscópicas (aspecto, volume, viscosidade e cor). Avaliou-se também a motilidade (percentagem de espermatozóides móveis) e o vigor espermático, qualificado em escala de 0 a 5 (HERMAN & SWANSON, 1941), através da microscopia ótica (100 e 400x). Para a análise morfológica dos espermatozóides, fez-se um esfregaço de sêmen corado com hematoxilina-eosina modificada, cujo procedimento consistia na imersão do esfregaço em álcool absoluto por 10 segundos, em hematoxilina por 10 segundos e, finalmente, em eosina por 15 segundos. Em seguida, a lâmina era lavada em água corrente para a retirada do excesso de corante. Por fim, fazia-se sua avaliação através da microscopia ótica (400x -PLATZ e SEAGER, 1977). A concentração espermática foi determinada através de espectrofotometria (CARDOSO et al.., 1997). Apenas as amostras de sêmen consideradas excelentes, ou seja, apresentando 100% de espermatozóides móveis com vigor 5,0 e uma porcentagem de alterações morfológicas espermáticas inferior a 20% foram utilizadas neste experimento.

Foram utilizados três diferentes diluentes cuja base foi uma solução composta em média por 50% de água de coco, 25% de água destilada e 25% de citrato de sódio a 5%, com osmolaridade ajustada entre 304 e 306 mOsm/. Os diluentes foram agrupados da seguinte forma: diluente base (grupo A), diluente base acrescido de 4% de solução contendo 4ng de AIA/m de etanol (grupo B), e grupo B acrescido de 20% de gema de ovo mais 4% de solução contendo 4ng de AIA/m de etanol (grupo C). Para cada grupo, foram realizadas 6 repetições.

Logo após a análise da fração espermática de cada cão, essa foi dividida em três alíquotas iguais e diluída na proporção 1:1 com o diluente a ser estudado, sendo mantido em tubos graduados em banho-maria a 37oC. Foram realizadas análises microscópicas imediatamente após a diluição (T0) e aos 5, 15, 30, 60, 90, 120 e 180 minutos. Foi também avaliada a taxa de degradação média da motilidade (TDM) através da fórmula proposta por CORTEEL (1976):

Os resultados deste experimento foram expressos na forma de média e desvio padrão. O efeito dos diferentes diluentes testados sobre a conservação dos parâmetros espermáticos foi analisado pelo Teste de Whitney-Mann, sendo as diferenças consideradas significativas quando P<0,05.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A fração espermática do sêmen fresco dos seis cães utilizados no experimento apresentou aspecto normal, volume médio de 1,82 + 0,71m , coloração branca-opalescente, viscosidade leitosa e concentração média de 766 x 106 sptz/m . Tais características estão dentro da normalidade para a espécie canina (CHRISTHIANSEN, 1986).

O sêmen fresco apresentou uma motilidade próxima a 100%, vigor em torno de 5, com 8% ± 3,2 de alterações totais. A motilidade espermática após diluição em todos os três diferentes diluentes avaliados no tempo 0 foi de 100% e, até 60 minutos, a motilidade espermática não diferiu entre os grupos (P>0,05). Após 90 minutos, o grupo A apresentou uma motilidade de 95,8 ± 6,7%, sendo significativamente superior aos grupos B e C, que apresentaram motilidade de 54,2 ± 34,4% e 60 ± 35,8%, respectivamente, os quais não diferiram entre si (Figura 1). Imediatamente após a diluição, o vigor espermático, apresentou um valor 5 para todos os grupos, os quais não apresentaram diferenças estatísticas até os 90 minutos. A partir dos 120 minutos, observou-se que o grupo A preservou de maneira mais eficiente o vigor espermático, quando comparado ao grupo C (Figura 2).



Na avaliação do sêmen canino diluído somente em água de coco (grupo A) realizada após 120 minutos, foi observada uma motilidade espermática de 94%, com um vigor de 4,5, resultados estes próximos aos verificados no uso do mesmo diluidor para o teste de termorresistência do sêmen ovino, isto é, motilidade de 85%, com vigor de 4,5 (NUNES & COMBARNOUS, 1995).

A utilização da água de coco acrescida de AIA a 37oC por 120 minutos para a diluição do sêmen caprino foi realizada por NUNES & SALES (1993), tendo sido observada uma motilidade espermática alta e constante durante os 30 minutos iniciais. A partir dos 60 minutos, observou-se queda acentuada do referido parâmetro espermático. No presente trabalho, a observação da constância da motilidade espermática no sêmen canino durante os 15 minutos iniciais, e posterior declínio aos 30 minutos, mostrou certa similaridade com os resultados obtidos com o sêmen caprino. Possivelmente, em ambas as espécies, isso se deve ao aumento do metabolismo espermático promovido pelo AIA no início do teste de termorresistência, culminando com o final das reservas energéticas de frutose e exaurindo o espermatozóide.

A tabela 1 mostra que não foram observadas diferenças significativas entre os grupos experimentais quanto ao parâmetro de porcentagem de alterações morfológicas totais no sêmen canino, observadas durante o teste de termorresistência. Entretanto, verificou-se que tal porcentagem de alterações sofreu um aumento no decorrer do tempo, dentro de cada grupo, atingindo valores de 28,0 ± 7,2(grupo A), 22,8 ± 7,7(grupo B) e 25,8 ± 6,8(grupo C). Dentre tais alterações, as mais evidentes foram cabeças soltas e caudas enroladas, as quais se caracterizavam como alterações secundárias, oriundas da maturação espermática no epidídimo ou decorrentes do processamento do sêmen, o que envolve desde o seu acondicionamento até a confecção do esfregaço (PLATZ & SEAGER, 1977).

A taxa de degradação da motilidade (TDM) ao final de 180 minutos verificada no grupo A foi de 7,5% sendo significativamente inferior (p<0,05) àquela dos grupos B e C que foram de 77,5% e 78,3%, respectivamente, não diferindo entre si (Tabela 2).

Após 120 minutos, CORTEEL (1976) verificou uma TDM entre 50 e 60% utilizando a água de coco na diluição do sêmen caprino a 37oC; NUNES (1985) e TONIOLLI (1988), utilizando o mesmo diluidor, observaram valores de TDM entre 20 e 40% para o sêmen suíno, na mesma temperatura e tempo de avaliação; TEIXEIRA et al. (1994) observaram uma TDM de 41,93% em ovinos, também utilizando água de coco a 37oC após 120 minutos. No presente estudo, após 180 minutos, observou-se uma TDM de 7,5% para o sêmen canino a 37oC com o diluidor à base de água de coco. Esta baixa taxa de degradação encontrada, provavelmente, deve-se ao fato de o sptz canino apresentar uma maior resistência à temperatura, quando comparado a outras espécies (WATSON & PLUMMER, 1985). Entretanto, apesar desta resistência, ao se adicionar AIA ao diluidor, foi evidenciada uma alta TDM.

Os resultados obtidos neste experimento sugerem que o diluidor à base de água de coco é eficaz na conservação do sêmen canino a 370C por até 180 minutos, sendo que a adição de ácido 3-indol-acético proporciona um aumento da TDM, possivelmente por exaurir as reservas energéticas da célula espermática. Dessa forma, recomenda-se utilizar o sêmen canino diluído em água de coco para a realização de inseminações artificiais em um período de 180 minutos.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem à Effem Produtos Alimentícios pelo fornecimento da ração Pedigree® e aos responsáveis pelos canis da Polícia Militar do Ceará e particulares que cederam seus animais para realização do experimento.

Ciência Rural, v.32, n. 1, 2002.

Recebido para publicação em 02.10.00. Aprovado em 09.05.01

  • CARDOSO, R.C.S.; SILVA, A.R.; SILVA, L.D.M. Relaçăo entre o espectrofotômetro e a câmara de Neubauer na determinaçăo da concentraçăo espermática do sęmen canino. In: ENCONTRO DE INICIAÇĂO CIENTÍFICA DA UECE, 6, 1997, Fortaleza-Ce. Anais... Fortaleza, Ce : Pró-Reitoria de Pós-Graduaçăo e Pesquisa, 1997. V.1. 472p. p.284.
  • CORTEEL, J.M. Motilité et fecondance des espermatozoides de bouc. An Zoot, v.25, p.576-71, 1976.
  • CHRISTIANSEN, I.J. Reproduction in the dog and the cat. London : Balíliere Tindall, 1984. p.99-100.
  • ENGLAND, G.C.W. Cryopreservation of dog's semen: a review. Journal of Reproduction and Fertility, v.47, p.243-255, 1993.
  • FOOTE, R.H. Extenders for freezing dog semen. American Journal of Veterinary Research, v.25, n.104, p.37-40, 1964.
  • HERMAN, H.A.; SWANSON, E.W. Variations in dairy bull semen with respect to its use in artificial insemination. S.L : Univ Mo Agr Exp Sta Bull, 1941. 326p.
  • MILITĂO, S.F.; POSSO, C.S.; SOUZA, F.M. Avaliaçăo de diluidores alternativos para a inseminaçăo artificial em capotes (Numida meleagris). ). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 23, 1994, Olinda, Pe. Anais... Olinda, PE : Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, 1994. 656p. p.534.
  • NUNES, J.F. A inseminaçăo artificial como método alternativo para o melhoramento da caprinocultura leiteira no Brasil. Revista Brasileira de Reproduçăo Animal, v.06, p.329342, 1985.
  • NUNES, J.F.; COMBARNOUS, Y. Utilizaçăo da água de côco e suas fraçőes ativas como diluidor do sęmen dos mamíferos domésticos. In: SIMPÓSIO DE BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇĂO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS, 1995, Fortaleza, Ce. Anais... Fortaleza, Ce : Mestrado em Produçăo e Reproduçăo de Pequenos Ruminantes / UECE, 1995. p.53-64.
  • NUNES, J.F.; SALES, F.G.M. El agua de coco (Cocos nuciphera) in natura integral y adicionados con citoquininas con dilutor do semen caprino. Rev Cient, v.3, p.273-281, 1993.
  • PLATZ, C.C.; SEAGER, S.W.J. Successful pregnancies with concentrated frozen canine semen. Lab Anim Sci, v.27, n.6, p.1013-1016, 1977.
  • RODRIGUES, B.A. Efeito do diluidor ŕ base de albumina sérica bovina (BSA) sobre a viabilidade in vitro do sęmen canino criopreservado Porto Alegre, RS, 1997. 176p. Dissertaçăo (Mestrado em Cięncias Veterinárias) - Curso de Pós-graduaçăo em Cięncias Veterinárias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997.
  • ROTA. A.; STROM, B.; LINDE - FORSBERG. C. Effects of seminal plasma and three extenders on canine semen stored at 4oC. Theriogenology, v.44, p.885-900, 1995.
  • SALLES, M.G.F. Água de coco (Cocus nucifera) in natura e sob a forma de gel e estabilizada como diluidor de sęmen caprino Porto Alegre, RS, 1989. 176p. Dissertaçăo (Mestrado em Cięncias Veterinárias) - Curso de Pós-graduaçăo em Cięncias Veterinárias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997.
  • SILVA, A.R.; CARDOSO, R.C.S.; SILVA, L.D.M. Congelaçăo de sęmen canino com diferentes concentraçőes de gema de ovo e glicerol em diluidores ŕ base de Tris e água de coco. Cięncia Rural, v.30, n.6, p.10211025, 2000.
  • SOUZA, N.M.; TEIXEIRA, M.D.A.; OLIVEIRA, L.F., et al. Água de coco sob a forma de fraçăo ativa liofilizada adicionada ou năo de gema de ovo e gel , como diluidores do sęmen ovino. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 23, 1994, Olinda-Pe. Anais... Olinda, PE : Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, 1994. 656p. p.583.
  • TEIXEIRA, M.D.A.; RODRIGUES, A.P.R.; SOUSA, N.M., et al. Avaliaçăo da taxa de degradaçăo da motilidade do sęmen de ovinos deslanados e caprinos, diluídos em água de coco e suas fraçőes. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA, 23, 1994, Olinda, Pe. Anais... Olinda, PE : Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, 1994. 656p. p.589.
  • TONIOLLI, R. Avaliaçăo in vitro do sęmen de caprinos de raças nativas do Nordeste brasileiro diluído em água de coco sob a forma in natura estabilizada e de gel. Fortaleza, Ce, 1988. Monografia (Graduaçăo em Medicina Veterinária) - Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Estadual do Ceará, 1988.
  • TONIOLLI, R.; MESQUITA, D.S.M. Fertilidade de porcas inseminadas com sęmen diluído em água de coco estabilizada e com BTS. Rev Bras Reprod Anim, v.14, p.249-254, 1990.
  • WATSON, P.F.; PLUMMER, J.M. The response of boar sperm membranes to cold chock and cooling. In: INTERNATIONAL CONF ON DEEP FREEZING BOAR SEMEN,1985. Proceedings... v.1, p.113 127, 1985.
  • YUBI, A.; FERGUSON, J.M.; RENTON, J.P., et al Some observations on the dilution, cooling and freezing of canine semen. J SmaIl Animal Pract, v.28, p.753-761, 1987.
  • 1
    Acadêmico de Medicina Veterinária, Faculdade de Veterinária (FAVET), Universidade Estadual do Ceará (UEGE), Rua Jaime Pinheiro, 84, Cocó, Fortaleza, Ceará. E-mail:
    donpepe@zipmail.com.br. Autor para correspondência.
  • 2
    Médico veterinário, Mestrado em Ciências Veterinárias, FAVET/UECE.
  • 3
    Acadêmico de Medicina Veterinária, FAVET/UECE.
  • 4
    Doutor em Ciências Veterinárias, FAVET/UECE.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      03 Nov 2003
    • Data do Fascículo
      Fev 2002

    Histórico

    • Aceito
      09 Maio 2001
    • Recebido
      02 Out 2000
    Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
    E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br