Aderência cromossômica durante a análise do comportamento meiótico de Passiflora serrato-digitata L (PassifloraCEAE)

Cerca de 90% das espécies do gênero Passiflora são nativas das Américas, sendo que aproximadamente 200 espécies são nativas do Brasil. Possuem grande importância comercial, pois algumas espécies são utilizadas na alimentação humana, outras apresentam propriedades medicinais e ornamentais. A espécie Passiflora serrato-digitata faz parte do banco de germoplasma do Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR, estação experimental de Londrina, PR. Botões florais colhidos foram fixados em etanol/ácido acético (3:1 v/v) por 24 horas, transferidos para álcool a 70% e acondicionado sob refrigeração. As lâminas foram preparadas pela técnica de esmagamento e coradas com carmim propiônico a 1,0% e observadas ao microscópio óptico. Por meio da análise do comportamento meiótico, foram verificadas irregularidades no processo de segregação dos cromossomos de P. serrato-digitata, tais como migração precoce para os pólos em metáfase I e II, cromossomos não orientados na placa equatorial em metáfase I e II, cromossomos retardatários em anáfase I e II, levando a formação de micronúcleo em telófases I e II e micrósporos em tétrades. Outra irregularidade observada foi aderência cromossômica, relatada pela primeira vez no gênero Passiflora, que também pode ter contribuído para a formação de mônades, díades, tríades, as quais foram observadas, resultando em micrósporos normais, desbalanceados, 2n e 4n. De acordo com o Índice Meiótico de 71,83% observado, essa espécie pode ser classificada como não estável meioticamente.

microsporogênese; meiose; gametas 2n


Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br