Resíduos de medicamentos veterinários em leite no Brasil

Stefani Faro de Novaes Lígia Lindner Schreiner Isabella Pereira e Silva Robson Maia Franco Sobre os autores

RESUMO:

Medicamentos veterinários são utilizados no manejo do gado leiteiro para tratamento e profilaxia de doenças, podendo deixar resíduos no leite. A exposição humana e o consumo não intencional de resíduos de drogas podem causar efeitos adversos e desenvolvimento de bactérias resistentes, representando importante preocupação para saúde do consumidor. Neste estudo é apresentada a ocorrência de resíduos de medicamentos veterinários no leite de 2009 a 2011 no Brasil, monitorado pelo Programa Oficial de Análise de Resíduos de Medicamentos Veterinários em Alimentos de Origem Animal. Total de 961 amostras foram coletadas no comércio e avaliadas para os principais β-lactâmicos, tetraciclinas, anfenicol, aminoglicosídeos, quinolonas, sulfonamidas e avermectinas. Resíduos de medicamentos veterinários não excederam os LMR, embora exista uso considerável de antimicrobianos criticamente/altamente importantes e avermectinas em vacas leiteiras, especialmente quinolonas e tetraciclinas. Doxiciclina (1,9%) e abamectina (1,6%) foram detectadas, embora não se destinem ao uso em animais produtores de leite para consumo humano. Norfloxacino (15%) foi observado, mesmo não havendo LMR estabelecido, consequentemente, não deveria ter sido detectado qualquer nível de resíduos. Não foram confirmados resíduos de estreptomicina, cloranfenicol e β-lactâmicos. Conclui-se que o leite no Brasil contém baixos níveis de resíduos de medicamentos veterinários, de forma que o risco toxicológico relativo ao seu consumo não deve ser considerado problema de saúde coletiva. Contudo, é importante ressaltar a natureza das amostras, que correspondem ao leite de diversas fazendas e o efeito de diluição pode ter ocorrido. A ausência de LMR estabelecido para a norfloxacino impede uma interpretação adequada dos resultados e dificulta o controle de resíduos químicos nos alimentos. A detecção de certos antimicrobianos e avermectinas pode estar associada ao uso “extra-label” ou ao desrespeito dos períodos de carência, sugerindo que Boas Práticas Veterinárias não estejam sendo seguidas, visto que resíduos de fármacos não autorizados foram detectados.

Palavras-chave:
limite máximo de resíduo; monitoramento de leite; risco toxicológico; medicamentos veterinários

Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br